Blog do Rodrigo Mattos

Bota discute vetar Engenhão ao Fla, mas regulamento da Ferj impede

rodrigomattos

Com Pedro Ivo de Almeida

A diretoria do Botafogo discute vetar o Engenhão para jogos do Flamengo após as confusões ocorridas no clássico que terminou com um torcedor morto. Essa proibição, no entanto, depende da Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro) pelo regulamento do campeonato. A tendência é a federação não aceitar o veto.

Questionado pelo blog, o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, afirmou que ainda não iria se pronunciar sobre possível veto ao Flamengo – o clube rubro-negro já não pode atuar em outras partidas na arena. Ele informou que só vai tomar uma decisão após inspeção de danos ao estádio. Mas indicou que é uma medida analisada por supostos danos de torcedores rubro-negros à arena.

''Foram muitas cadeiras e banheiros quebrados'', afirmou o dirigente. Pereira reconheceu que é a Ferj quem decide sobre o uso do Engenhão em clássicos. ''Perfeito. Mas existe um bom senso para tudo depois do que aconteceu no domingo.''

Em entrevista à ESPN Brasil, Pereira atacou a postura do Flamengo e relembrou até a polêmica contratação do volante Willian Arão, que trocou o clube alvinegro pelo rubro-negro no fim de 2015.

''O Flamengo quer tomar decisões pensando só nele. Não é a forma como o Botafogo vê o futebol, por isso não temos qualquer tipo de diálogo. Sem falar, óbvio, na falta de ética que foi a questão do Willian Arão'', declarou.

Também à ESPN Brasil, o presidente do Fla, Eduardo Bandeira de Mello, lamentou a decisão do Botafogo de propor o veto. ''Em um momento como esse, tomar atitudes que só servem para acirrar mais os ânimos… É uma grande besteira fazer isso no momento. A gente respeita a posição de outros clubes e pede que respeitem a nossa também. Tem que trabalhar para acabar de vez com violência nos estádios'', disse Bandeira.

Pelo regulamento, em seu artigo 44, os clássicos têm que ser disputados no Maracanã. O mando de campo é da Ferj. Depois, pelo artigo 62, fica estabelecido que, se o Maracanã não estiver disponível o local, será o Estádio Nilton Santos (Engenhão).

Nos bastidores, a Ferj entende que tem a prerrogativa de continuar a marcar clássicos do Flamengo no estádio pelas regras. Ainda não recebeu uma demanda do Botafogo para veto, e só discutirá isso se acontecer. Mas, internamente, a federação não pretende aceitar a posição do clube alvinegro.

Durante o arbitral do Estadual, o Flamengo pediu que o Maracanã fosse incluído como local para semifinais e finais. Em seguida, os clubes decidiram que, se não houvesse o Maracanã disponível, seria o Engenhão. O Botafogo não se manifestou em nenhum momento contra essa decisão.