Blog do Rodrigo Mattos http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br Mon, 23 Apr 2018 07:00:09 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Corinthians obtém duas vitórias no início em um terço dos Brasileiros http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/23/corinthians-obtem-duas-vitorias-no-inicio-em-um-terco-dos-brasileiros/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/23/corinthians-obtem-duas-vitorias-no-inicio-em-um-terco-dos-brasileiros/#comments Mon, 23 Apr 2018 07:00:09 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20583 A liderança do Corinthians no Brasileiro após duas rodadas repete um hábito de largar forte no campeonato. É a quinta vez que o time consegue duas vitórias logo no início em um total de 15 edições disputadas, isto é, um terço das vezes. Isso não significa necessariamente uma campanha vitoriosa, mas é um trunfo mais à frente.

No ano passado, o time de Carille disparou no início, mas não houve duas vitórias seguidas no início. Os pontos foram se acumulando nas rodadas seguintes que deram larga vantagem ao final do primeiro turno, o que foi o suficiente para garantir o título. Nos dois primeiros jogos, a equipe obteve quatro pontos.

O Corinthians largou com duas vitórias logo de cara em dois outros anos de título: 2015 e 2011. Em ambos, o time então treinado por Tite se destacou, acabou o primeiro turno na frente e conseguiu administrar a pontuação até o final.

Em 2010, o time corintiano também obteve duas vitórias de início, fez uma boa campanha e acabou na terceira colocação. O ponto fora da curva é o Brasileiro-2007. Aquela equipe que foi rebaixada ao final da temporada iniciou também com duas vitórias. O único caso em que o time largou mal e foi campeão ocorreu em 2005, em que só somou um ponto na primeira rodada.

A consistência do jogo corintiano durante o ano é outro fator que indica pelo menos uma boa campanha. Sem ser brilhante, o time pode até jogar mal em certas oportunidades, mas mantém seu estilo eficiente. Segundo o Footstats, a equipe de Carille é a mais certeira em suas conclusões, com seis gols em seis arremates no gol — houve outros seis para fora.

Essa é uma questão para o Corinthians: a produção ofensiva do time continua a não ser grande, apesar de ser o ataque com mais gol nestas duas rodadas. O Grêmio, por exemplo, exibiu um jogo coletivo ofensivo melhor do que o corintiano nas duas primeiras rodada, ainda que não tenha acertado o pé nas conclusões, pois só fez um gol. São os dois times mais organizados do país neste início do Brasileiro e candidatos a disputar o título.

Há obviamente outras equipes que podem evoluir no Nacional, há a influência de outras competições como Copa do Brasil e Libertadores. O que a largada forte do Corinthians indica é uma boa campanha. A ver se resultará em título.

]]>
5
Corinthians deve R$ 25,5 milhões a fundo da Arena por renda reduzida http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/22/corinthians-deve-r-255-milhoes-a-fundo-da-arena-por-renda-reduzida/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/22/corinthians-deve-r-255-milhoes-a-fundo-da-arena-por-renda-reduzida/#comments Sun, 22 Apr 2018 07:00:15 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20568 O Corinthians deve pelo menos R$ 25,5 milhões ao fundo gestor de seu estádio por itens de manutenção da Arena. O fundo cobra um valor maior porque alega que outras despesas se encaixam neste item. Essa discussão foi postergada.

Pelo acordo do Corinthians com o fundo, o clube tem que pagar pelas despesas de operação e manutenção da Arena como gestor do estádio. Se houver sobra de caixa após pagamento dos empréstimo do BNDES, o clube poderia ser ressarcido do valor. Só que não tem havido montantes extras no caixa.

Pelo balanço do Corinthians, o estádio gerou um total de R$ 63,8 milhões em 2017. Desse total, R$ 23,3 milhões foram para operações do dia do jogo, isto é, descontos de borderô.

Do restante, o Corinthians repassou R$ 14,7 milhões, mas teve que registrar como dívidas outros R$ 25,5 milhões que não foram possíveis transferir para o fundo. No balanço, esse mesmo valor é registrado como conta a receber relacionado por “direitos de renda de jogos da Arena”. Em seu demonstrativo, o Corinthians relata que foram gastos R$ 26,6 milhões com despesas extraordinárias do estádio.

Internamente, no entanto, há uma discussão entre Corinthians e Odebrecht sobre o valor da dívida. Isso porque há itens que o clube entende que a empreiteira tem que fornecer como parte da garantia do estádio, e o fundo alega que trata-se de manutenção. Um exemplo é conserto de ar-condicionados.

As duas partes congelaram essa discussão para os próximos meses para tentar fechar assuntos mais urgentes como o novo acordo com a Caixa Econômica relacionada ao empréstimo do BNDES. Mas o tema voltará a carga no futuro.

Fato é que a Arena Corinthians não tem gerado receita suficiente para pagar as prestações do banco público e sua manutenção. Por isso, há a necessidade de aumento de receita. Para se ter ideia, o documento do fundo registra apenas R$ 800 mil a receber por conta de camarotes, um valor pequeno diante do tamanho do estádio.

]]>
20
Neymar pai omite da CBF comissão ganha com Lucas Lima do Palmeiras http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/21/neymar-pai-omite-da-cbf-comissao-ganha-com-lucas-lima-do-palmeiras/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/21/neymar-pai-omite-da-cbf-comissao-ganha-com-lucas-lima-do-palmeiras/#comments Sat, 21 Apr 2018 07:00:24 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20559 Com Danilo Lavieri

O agente Neymar da Silva Santos, pai do jogador Neymar Jr, omitiu da CBF boa parte ou até a totalidade dos seus ganhos com a comissão da contratação do jogador Lucas Lima pelo Palmeiras. É o que mostra o cruzamento de dados de relatório da confederação com o contrato da transação. Isso descumpre o regulamento da Fifa para agentes de jogador. O empresário nega qualquer irregularidade.

O blog mostrou que a maior parte dos empresários esconde da CBF os seus ganhos com comissões em transferências. Pelo regulamento de intermediários da confederação e da Fifa, é obrigatório para os agentes declarar valores obtidos com as transações. Os clubes só tem que informar o empresário que realizou a operação.

Pois bem, o relatório de intermediários da CBF mostra que o Palmeiras indicou que Neymar pai foi o agente responsável pela contratação de Lucas Lima. Consta da lista de cerca de 700 transferências divulgada pela confederação relacionada ao período de abril de 2017 a março de 2018.

Relatório da CBF mostra que Neymar pai foi indicado como agente da operação de Lucas Lima


Registro no BID do contrato de Lucas Lima dia 10 de janeiro


 

O UOL Esporte teve acesso ao contrato da operação que mostra que a comissão ganha por Neymar pai foi de R$ 4 milhões. A informação foi confirmada por fontes do Palmeiras.

O regulamento de intermediários da CBF prevê que os agentes têm até 30 dias a partir do registro do contrato para informar suas comissões. Mas, no relatório da confederação, consta apenas como R$ 1,2 milhão de valores declarados pagos pelo Palmeiras a empresários. Ou seja, um montante bem inferior ao recebido por Neymar pai.

Relatório da CBF mostra que só foi declarado por agentes R$ 1,2 milhão em comissões pagas pelo Palmeiras

Pelo relatório da CBF, não é possível descobrir o empresário ou empresários que fizeram a declaração do R$ 1,2 milhão. Porém, mesmo que tenha sido Neymar pai quem declarou este montante, ele ainda estaria omitindo R$ 2,8 milhões recebidos pelo Palmeiras na transação.

O diretor de departamento de registros da CBF, Reinaldo Buzzoni, disse que não tinha conhecimento da situação do caso de Neymar pai. Mas reafirmou que, se houve comissão e não houve declaração, ele será notificado pela confederação. Segundo Buzzoni, o valor integral da comissão tem que ser declarado no prazo previsto pelas regras.

Neste caso, Neymar pai tem que informar o dinheiro ganho ou pode enfrentar um processo na Câmara de Resolução de Disputas que trata das questões da transferência. Pode sofrer sanções que vão da advertência ao descredenciamento. Ressalte-se que não houve nenhum descumprimento de regras por parte do Palmeiras que só tem que informar o empresário que atuou. O clube só pode receber um notificação para revelar valores.

Questionada, a assessoria da empresa N&N, de Neymar pai, respondeu que não há nenhuma irregularidade nas declarações de valores sobre o contrato de Lucas Lima: “Todos os contratos respeitam as regras e normas da Confederação Brasileira de Futebol e foi o exatamente o que ocorreu nesta transação.” A empresa não respondeu, no entanto, se informou seus ganhos à CBF.

 

]]>
105
Agentes escondem ganhos com comissões da CBF e desrespeitam regra da Fifa http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/20/agentes-escondem-ganhos-com-comissoes-da-cbf-e-desrespeitam-regra-da-fifa/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/20/agentes-escondem-ganhos-com-comissoes-da-cbf-e-desrespeitam-regra-da-fifa/#comments Fri, 20 Apr 2018 07:00:46 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20550 Com Vinícius Castro

Empresários de jogadores não estão informando seus ganhos com comissões em transferências e contratos de jogadores, descumprindo o regulamento de intermediários da CBF. É possível constatar a omissão com um cruzamento de dados do relatório da CBF para agentes, além de documentos financeiros de clubes. A confederação admite o problema e vai notificar agentes para regularizar a situação. Na lista oficial, quem paga mais é o Corinthians.

No fim de março, em cumprimento à regra da Fifa, a CBF publicou o relatório de intermediários de 2018, que inclui o prazo entre abril de 2017 e março deste ano. O documento tem a relação de cada empresário que participou das 732 transações do período.

Na lista dos clubes aparece um total de R$ 35,333 milhões pagos em comissões. Neste cenário, seriam R$ 48 mil de pagamento aos empresários por cada transação, um número bem abaixo do valor no mercado.

“Sempre falo isso [que a maioria dos empresários não informa seus ganhos]. De 300 ou 400 transações, 50 ou 100 declaram os valores. Por que não declaram?”, questiona o diretor do departamento de registros da CBF, Reinaldo Buzzoni. “Clubes não estão descumprindo nada porque só têm de dizer que há o intermediário.”

Os balanços comprovam a afirmação, já que os clubes declararam o quanto pagaram aos agentes. O Flamengo, por exemplo, relatou em seu balanço pagamento de R$ 17,7 milhões em comissões em 2017. Na lista da CBF, que deveria ser preenchida pelos empresários, não aparece nenhum valor pago pelo clube. No caso do Palmeiras, o clube fez 33 transferências registradas com participação de agentes. No entanto, os intermediários só informaram ter recebido R$ 1,2 milhão do clube alviverde.

Quem pagou o maior número de comissões declaradas foi o Corinthians, com um total de R$ 12,9 milhões pagos aos agentes – o clube alvinegro é responsável por mais de um terço do total declarado. O blog apurou que isso tem relação com a Elenko, do empresário Fernando Garcia, estar informando suas comissões depois de várias notificações. A empresa tem número considerável de operações do clube.

A CBF está cruzando dados do registro de comissões com balanços financeiros dos clubes que foram repassados pelas agremiações. Notícias de imprensa também serão utilizadas nesse processo. A partir daí, a confederação vai notificar o empresário para informar os valores e perguntar se ele recebeu. Caso o empresário esconda os dados, enfrentará processo na Câmara de Resolução de Disputas da CBF, que decide questões sobre transferências.

“Já existem vários processos relacionados a isso. Está evoluindo. Em 2015 ninguém declarava, em 2016, aumentou, em 2017, também”, contou Buzzoni. “Vamos cruzar as informações. Se o clube diz que participou, ele não recebeu nada? Trabalhou de graça?”

O regulamento dos intermediários da CBF prevê que os empresários têm até 30 dias para notificar o valor que receberam de comissões a partir do registro da transação. Ele tem de preencher um formulário nesse sentido. Posteriormente, se a confederação tiver dúvida, também pode perguntar para os clubes o valor que pagaram para cruzar os dados. Um processo na CNRD (Câmara de Disputas) pode até levar ao descredenciamento do agente.

A atividade financeira de empresários de futebol já está na mira da Receita Federal, que também prepara uma legislação específica para regulá-los. A intenção é justamente coibir sonegação. Veja abaixo quem pagou mais comissões declaradas:

Corinthians – R$ 12,9 milhões

São Paulo – R$ 4,5 milhões

Santos – R$ 4 milhões

Internacional – R$ 3,7 milhões

Palmeiras – R$ 1,2 milhão

Cruzeiro – R$ 1,2 milhão

]]>
7
CBF apresenta para clubes propostas por direitos do Brasileiro no exterior http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/19/cbf-apresenta-para-clubes-proposta-por-direitos-do-brasileiro-no-exterior/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/19/cbf-apresenta-para-clubes-proposta-por-direitos-do-brasileiro-no-exterior/#comments Thu, 19 Apr 2018 18:14:56 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20541 A CBF apresentou para os clubes propostas para compra dos direitos do Brasileiro no exterior em reunião na última terça-feira. Foram várias ofertas feitas por agências de marketing em modelos diferentes. Só com a palavra final dos times é que será definida a forma de negociação.

Até 2018, a Globo comprava os direitos internacionais do Brasileiro juntamente com a possibilidade de exibição nacional. Havia um pagamento de US$ 10 milhões, segundo apurou o blog.

Nos novos contratos assinados pela emissora para 2019, os direitos do Nacional no exterior ficaram de fora dos acordos com os clubes. Por isso, a CBF se propôs a representar os clubes de forma unificada na negociação dessas propriedades.

O andamento do negócio, no entanto, andava meio travado desde o ano passado. Logo após a eleição de Rogério Caboclo para presidente, a confederação apresentou as propostas de agências pelos direitos do Nacional.

Não foi possível conhecer detalhes das ofertas. Mas é certo que há desde propostas em que todos os direitos são revendidos às agências, a outras para serem feitas negociações individuais por mercado. Há uma tendência a um pacote fechado para ser negociado em todos os países. Normalmente, ligas europeias vendem as propriedades por mercado.

O caso do Nacional, no entanto, é diferente. Os direitos internacionais do Brasileiro têm tradicionalmente um baixo valor de mercado. A Globo não tinha interesse de negocia-los porque concorria com sua TV no exterior. Além disso, faltam estrelas no campeonato, além de reconhecimento do campeonato.

]]>
3
Oposição, Atlético-PR vê em Fernando Diniz chance de ser diferente em campo http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/19/oposicao-atletico-pr-ve-em-fernando-diniz-chance-de-ser-diferente-em-campo/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/19/oposicao-atletico-pr-ve-em-fernando-diniz-chance-de-ser-diferente-em-campo/#comments Thu, 19 Apr 2018 07:00:15 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20538 Oposição à CBF e crítica da Globo, a diretoria do Atlético-PR vê no técnico Fernando Diniz a chance de ser diferente também em campo, com um estilo de jogo inovador. É o que conta o homem-forte do clube, Mário Celso Petraglia. Ele decidiu contratar o treinador e ao mesmo tempo lhe dar poderes para implantar suas ideias em todas as divisões dos clubes.

“Fernando Diniz trouxe o que nós buscávamos dentro de campo: inovação, excelência. Não podíamos fazer mais do mesmo no futebol. Estamos eternizados como clube que enfrenta esse cartel da Globo, do sistema. Faltava trazer algo de diferente no futebol, que é o coração do clube”, contou Petraglia.

Logo em seus primeiros jogos, o Atlético-PR tem se caracterizado por um sistema moderno de jogo com prioridade para a posse de bola e jogo de triangulações ofensivo. O esquema com três zagueiros que saem com a bola, em geral, no chão, e abre bastante as jogadas com dois alas, além de contar com três atacantes móveis.

Menos importante do que o esquema, é a ideia de ter a bola e dominar o adversário. Isso baseado em um jogo coletivo, não necessariamente em valores individuais extraodinários. “Temos que ser independentes de craques porque não podemos pagar salários de R$ 500 mil”, analisou Petraglia, que vê no tipo de jogo a chance de compensar a desvantagem financeira para times mais ricos.

A questão é que Petraglia não é exatamente um dirigente muito paciente com treinadores. É notório que o Atlético-PR costuma dispensar rápido treinadores por falta de resultados. Desta vez, ele pretende agir diferente.

“Seguimos a cultura (do futebol brasileiro de trocar técnicos). Vai ser diferente nesse caso. Mudamos muito porque outros treinadores não traziam algo. Era sempre mais do mesmo, com exceção da passagem do Paulo (Autuori). A intenção agora é manter. Felizmente, começamos bem”, afirmou.

Animado com o trabalho inicial de Diniz, o dirigente deu a ele poderes para implantar o modelo em todas as divisões de base do clube desde a sub-14. A ideia é ter uma relação entre Fernando Diniz e os outros técnicos, respeitando-se os treinadores da base. Pela segunda vez, tenta-se uma estrutura verticalidade, como foi feito com Autuori.

A diretoria do Atlético-PR vê paralelos entre sua busca por inovação em campo e às reivindicações por mudanças no futebol. Coincidentemente, o clube terá um jogo importante da Copa do Brasil diante do São Paulo após Petraglia se negar a aparecer em eleição do futuro presidente da CBF, Rogério Caboclo. Outros dois opositores foram Flamengo e Corinthians.

Petraglia falou com o dirigente da confederação por telefone para explicar porque não iria, após receber um pedido para comparecer. “Expliquei que a gente não concordou com o que havia sido feito”, disse ele, sobre a manobra de Caboclo e Marco Polo Del Nero por uma chapa única na confederação. O discurso de Caboclo afirmando que estava comprometido “com os que o apoiaram” desagradou o dirigente atleticano.

“Foi um recado que entendi claro. Quem diz que não está comigo está contra mim. Pode não ter sido a intenção, mas dá uma dupla interpretação”, analisou. O dirigente, no entanto, não teme retaliações como em relação à arbitragem, pois entende que isso é uma prática antiga no futebol.

]]>
11
Corinthians paga parcela de R$ 6 mi da arena enquanto negocia redução http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/18/corinthians-paga-parcela-de-r-6-mi-da-arena-enquanto-negocia-reducao/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/18/corinthians-paga-parcela-de-r-6-mi-da-arena-enquanto-negocia-reducao/#comments Wed, 18 Apr 2018 17:00:26 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20531 Após quitar um valor reduzido nos últimos meses, Corinthians voltou a pagar a parcela integral do empréstimo do BNDES no meio de abril no valor de cerca de R$ 6 milhões. A informação é do presidente corintiano André Sanchez. Isso pressiona o clube a fechar um acordo de renegociação com a Caixa pois não terá condições de continuar de arcar com esses valores até o final do ano.

“Pode botar aí que nós pagamos a parcela de R$ 5,960 milhões agora em abril”, afirmou Andrés Sanchez. “Vamos tentar fechar o acordo em um ou dois meses com a Caixa. Não vai mudar o prazo do financiamento.”

O blog apurou que a negociação avança, mas não há prazo para conclusão porque há muitas variantes nas conversas que envolvem Caixa e Odebrecht.

Sufocado financeiramente, o Corinthians parou de pagar as parcelas do empréstimo do BNDES em 2016. No ano passado, fez um acordo com a Caixa para voltar a quitar mensalidades reduzidas só com os juros, o que dava em torno de R$ 2,5 milhões. Pagou ainda valores retroativos.

Essas condições valiam até abril (o blog incialmente publicou que valiam até março). A partir daí, voltariam as parcelas integrais de R$ 5 milhões, mais o que deixou de ser pago no período anterior. Por isso, o total de R$ 6 milhões. Assim, o clube terá de quitar R$ 72 milhões por ano nos valores atuais.

Agora, o Corinthians tenta acertar novo acordo com a Caixa para reduzir o valor da parcela atual enquanto aumenta as futuras mensalidades. Ao mesmo tempo, precisa aumentar receitas de qualquer maneira. “Vamos aumentar. Precisamos vender camarotes”, contou Andrés sobre um dos focos da diretoria para incrementar a renda. Outra prioridade é realizar eventos, mas fora do gramado.

No total, o clube tem que quitar algo em torno de R$ 470 milhões no total do empréstimo. Ainda há outras dívidas com a Odebrecht em valores bem maiores que terá de ser negociadas com a empreiteira.

]]>
122
Apesar de queda de renda, CBF acumula novo lucro e tem R$ 361 mi em caixa http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/18/cbf-acumula-novo-lucro-e-tem-r-361-mi-em-caixa-ate-com-queda-de-renda/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/18/cbf-acumula-novo-lucro-e-tem-r-361-mi-em-caixa-ate-com-queda-de-renda/#comments Wed, 18 Apr 2018 07:00:17 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20523 Com Pedro Ivo Almeida

Apesar da queda de arrecadação, a CBF fechou o ano de 2017 com um total de R$ 361 milhões em caixa, entre aplicações em bancos, segundo balanço da entidade obtido pelo blog. Isso se deve a mais um ano com superávit de R$ 50,7 milhões. Só o dinheiro em caixa seria suficiente para bancar 18 anos de árbitro de vídeo pelo custo estimado pela confederação.

As federações estaduais aprovaram o balanço da CBF em reunião da assembleia nesta terça-feira. Logo em seguida, houve a eleição do futuro presidente da confederação Rogério Caboclo para mandato a partir de 2019, em votação que teve chapa única. Só três clubes não votaram em Caboclo: Atlético-PR, Corinthians e Flamengo.

No Conselho Arbitral da Série A, a CBF empurrou para os clubes os custos do árbitro de vídeo. Foi avaliado que seriam necessários R$ 20 milhões para implantar o sistema durante o ano inteiro, a metade só para um turno.

Pois bem, o balanço da confederação mostra uma receita de R$ 544,5 milhões. Houve uma queda em torno de R$ 50 milhões na receita da entidade.

Isso deve-se principalmente a reduções nas receitas de patrocínio (de R$ 410 milhões para R$ 353 milhões) e de direitos de televisão (de R$ 117,3 milhões para R$ 95,9 milhões). Ainda assim, houve um aumento no superávit de R$ 43,7 milhões para R$ 50,7 milhões.

Assim, houve um aumento do acúmulo de dinheiro no item “caixa, bancos e equivalentes de caixa”. No total, a CBF atingiu R$ 360,9 milhões em capital. No ano passado, eram R$ 245,3 milhões.

]]>
3
Conmebol distribui 70% da renda da Libertadores para clubes: R$ 354 mi http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/17/conmebol-distribui-70-da-renda-da-libertadores-para-clubes-r-354-mi/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/17/conmebol-distribui-70-da-renda-da-libertadores-para-clubes-r-354-mi/#comments Tue, 17 Apr 2018 07:00:29 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20516 A Conmebol distribuirá 70% do dinheiro arrecadado com a Libertadores para os clubes em 2018 em um total de R$ 354 milhões. O restante será usado para operação e logística da competição. O percentual é levemente inferior ao que a UEFA costuma repassar aos times em relação às suas competições.

As informações constam do relatório financeiro da Conmebol de 2017 que detalhou também a evolução das receitas da competição e do repasse aos clubes. É a segunda vez que a confederação sul-americana divulga seus dados econômicos e do campeonato, o que era uma exigência antiga dos times sul-americanos.

Pelas informações publicadas, a receita da Libertadores teve uma evolução nos últimos três anos, embora longe do salto que vai se verificar no próximo ano. Em 2016, a renda estava em US$ 121 milhões (R$ 415,7 milhões), atingindo US$ 144 milhões em 2017. Houve um novo contrato de patrocínio neste período. A previsão para 2018 é de uma receita de US$ 148,2 milhões (R$ 505 milhões).

Houve um crescimento do valor repassado aos clubes, mas em volume menor do que o aumento de receita. Em 2016, os clubes ficaram com US$ 92,1 milhões (R$ 314 milhões). A previsão para 2018 é de que seja distribuído aos times US$ 103,850 milhões (R$ 354 milhões), isto é, 70% do total. Ressalte-se que, em quatro anos, as receitas dos clubes vão praticamente dobrar já que em 2015 eram de US$ 52 milhões.

As cotas dos clubes em 2018 começam em US$ 50 mil para clubes eliminados na primeira fase e que só disputaram dois jogos. Até o campeão que leva US$ 6 milhões, valor que é o dobro do ano passado.

A UEFA repassa aos seus times 73% das receitas obtidas com a Liga dos Campeões, Liga da Europa e Recopa. O volume de dinheiro, no entanto, é muito maior na Europa, atingindo 2 bilhões de euros.

Dentro da Conmebol, a alegação é justamente de que o percentual de distribuição é mais alto na UEFA porque há mais dinheiro para suportar os custos das competições. Lembre-se que a operação logística de jogos da Liga dos Campeões é mais cara. Mas, na América do Sul, houve aumento de gasto com a implementação do árbitro de vídeo a partir das quartas-de-final, além disso há gastos com passagens de árbitros e delegados.

Segundo o relatório da Conmebol, o total de despesas com a Libertadores foi de US$ 103 milhões em 2017. Assim, haveria uma sobra de US$ 41 milhões para a confederação sul-americana já que as receitas foram de US$ 144 milhões. A tendência é, com a valorização da Copa América a partir de 2020, haver menos necessidade da renda da Libertadores para manter a confederação.

Para a temporada de 2019, o contrato da Libertadores de televisão vai pelo menos triplicar de valor atingindo um mínimo de US$ 350 milhões por ano, fora receitas de marketing. A promessa dentro da Conmebol é de que haverá aumento proporcional nas cotas distribuídas para os clubes, embora ainda não exista uma regra definida de como isso vai acontecer.

Há itens que podem aumentar as despesas da competição como a extensão do árbitro de vídeo para toda a competição. A final única também vai gerar custo extra para organização, mas, em compensação, os clubes não terão mais de pagar a logística da final.

]]>
4
Não adianta CBF afastar juiz se não muda seu sistema de arbitragem http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/16/nao-adianta-cbf-afastar-juiz-se-nao-muda-seu-sistema-de-arbitragem/ http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2018/04/16/nao-adianta-cbf-afastar-juiz-se-nao-muda-seu-sistema-de-arbitragem/#comments Mon, 16 Apr 2018 07:00:59 +0000 http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/?p=20510 Era ainda início de jogo quando o árbitro Fifa Wagner Reway viu um pênalti contra o Flamengo em bola que pegou na cabeça de Éverton Ribeiro, marcou pênalti e o expulsou. Depois, seu trio não viu impedimento claro no gol do rubro-negro carioca diante do Vitória. A partir daí, o roteiro era esperado: a CBF afasta o árbitro e admite o erro grave como ocorreu domingo. E isso adianta alguma coisa?

Não é o que mostram os equívocos anteriores, todos muito parecidos. No ano passado, o árbitro Grazianni Rocha foi afastado pela CBF após marcar também um pênalti para o Sport em que a bola bateu na cabeça de um jogador do Atlético-PR. Fez o mesmo com o bandeira que viu impedimento de Jô inexistente contra o Flamengo. E poupou só Elmo Resende que não viu mão de Jô em gol contra o Vasco.

Mas o roteiro do afastamento, da reciclagem, é conhecido na confederação. Acalma o clube revoltado, tira o árbitro equivocado do foco por alguns jogos.

Só que isso não tem mostrado nenhum efeito a longo prazo com melhoria da arbitragem nacional. Houve erros bizarros no Brasileiro-2017, em 2016 igualmente houve questionamentos à atuação dos juízes, e o mesmo em 2015.

Mudou-se o chefe de arbitragem, com a entrada do coronel Marcos Marinho, houve transparência ao se exibir os erros, algumas instruções, mas, no geral, não mudou o sistema do apito nacional. Segue sob o comando da CBF que resiste a investir porque não quer gastar dinheiro com o Brasileiro.

Então os árbitros nacionais são amadores em meio a uma série de profissionais porque a confederação não quer vínculos empregatícios e salários. Há até pressão do Ministério Público do Trabalho nesse sentido, mas a confederação luta contra.

A CBF também não quis investir no árbitro de vídeo, jogando toda a conta para cima dos clubes. Como se a entidade não lucrasse o bastante com a exploração do futebol brasileiro. Os clubes que votaram contra também erraram porque não questionaram a entidade. E, obviamente, a confederação não libera o Brasileiro para uma liga que poderia se estruturar para pagar a conta sozinha.

Não é só isso. Está claro que a formação de árbitros nacionais é deficiente. Wagner Reway não é um qualquer: está no topo da cadeia da arbitragem nacional, entre os 10 melhores por ser Fifa. Ora, um cara desse não vê uma bola na cara e um impedimento de dois metros, neste caso com o bandeira.

É de se pensar se a CBF não deveria importar um dos responsáveis por departamentos de arbitragem europeus para estruturar a sua diretoria. Um ex-árbitro de prestígio que pudesse ao menos introduzir um know-how novo na confederação. De novo, isso precisaria de investimento.

A auditoria externa em relação ao que é feito na arbitragem da CBF para avaliar e analisar onde há os erros é outra ideia que foi apresentada pelo Flamengo no ano passado. Quando um setor não está funcionando, um olhar externo pode ser saudável para entender os erros.

A única estratégia que temos certeza que não vai dar certo é repetir o que foi feito nos anos anteriores: ouvir protestos veementes, afastar árbitros, dar instruções genéricas e esperar o próximo equívoco grave. As atitudes são tomadas pela CBF quando “inês é morta”, como ressaltou Marcos Marinho, em entrevista ao Esporte Interativo.

Para completar, no domingo, o árbitro André Luis de Freitas marcou um pênalti inexistente nos acréscimos para o Vasco, quando viu falta em Rildo. Ao final do jogo, o goleiro atleticano Vitor lamentou que começa Brasileiro, acaba Brasileiro, e a arbitragem segue sendo o foco de polêmica. A primeira rodada indica que nada será diferente em 2018.

]]>
18