Blog do Rodrigo Mattos

Arquivo : Itaquerão

Argentinos quebram mais cadeiras do Itaquerão e jogam restos no campo
Comentários Comente

rodrigomattos

A festa argentina pela classificação à final da Copa teve, de novo, quebradeira de cadeiras no Itaquerão. Desta vez, eles até arremessaram os restos dos assentos no gramado para atingir quem estava por lá, segundo relatos de seguranças do COL (Comitê Organizador Local) da Copa-2014. Os torcedores foram retirados por policiais do local, e não houve confronto.

Não é a primeira vez que argentinos protagonizam cenas de vandalismo na arena corintiana. Foram danificados 282 assentos na partida contra a Suíça. Ressalte-se que foram estimados 20 mil torcedores do país vizinho no estádio, o que significa que a maioria se comportou bem.

O blog foi na arquibancada inferior sul do estádio após o jogo contra a Holanda, onde se concentrou boa parte da torcida celeste. Contou cerca de 40 assentos destruídos. Havia pelo menos cinco deles no gramado, onde foram arremessados pelos torcedores, segundo os seguranças. Um deles feriu-se com pouca gravidade, com um corte.

O relato dos seguranças é que a quebradeira foi feita, novamente, com pulos em cima dos assentos, e em certos momentos, de propósito, para poder jogar os restos no campo. O Batalhão de Choque foi chamado e retirou os torcedores, sem que houvesse um confronto, relataram os seguranças. A reportagem tentou contato com a polícia, mas não houve resposta para confirmar a informação.

Seguranças ainda contaram que houve vandalismo em outros setores do estádio, mas o blog não pôde verificar porque a maioria deles já estava fechada após o jogo.

A Fifa já afirmou que pagará por todos os danos a cadeiras do Itaquerão durante a Copa. A cada jogo o Corinthians faz um relatório novo para apontar o que foi destruído.


Itaquerão tem número recorde de cadeiras quebradas por argentinos
Comentários Comente

rodrigomattos

O Corinthians contabilizou 282 cadeiras quebradas no Itaquerão no jogo entre Argentina e Suíça. Houve outros assentos com danos menores. Esse número foi divulgado nesta quinta-feira pelo clube. Inicialmente, a contagem tinha chegado a mais de 300 assentos, mas uma revisão constatou que o número era um pouco menor. De qualquer maneira, é uma número inédito de assentos danificados.

Protagonizada pela torcida argentina, a quebradeira atingiu um patamar muito superior aos casos anteriores no estádio, e em partidas do Mundial em outras arenas. Com isso, o Itaquerão já tem cerca de 450 assentos danificados neste Mundial, visto que foram outros 175 na partida entre Inglaterra e Uruguai.

Questionada, a Fifa afirmou que vai pagar pelos danos, e o Corinthians vai apresentar um relatório com esse objetivo. A assessoria da entidade minimizou o caso ao afirmar que isso acontece em jogos de futebol, e que tem que se verificar a qualidade dos assentos. “Uma centena de cadeiras não é muito em um público de mais de 60 mil pessoas”, afirmou a porta-voz da federação internacional, Delia Fischer.

Não é o que mostram os números. A Concessionária do Maracanã informou que, nos cinco jogos no estádio na Copa, foram quebradas 125 cadeiras no total. Na partida da Argentina e Bélgica, foram 22 assentos. Havia mais de 70 mil pessoas nesses confrontos. Partidas nas Arenas Fonte Nova e Arena Pernambuco tiveram em média dez lugares quebrados por partida.

Uma partida do Corinthians teve 74 cadeiras danificadas, menos de um quarto do número verificado na partida da Argentina.

Os relatos de funcionários corintianos são de que os argentinos quebraram os assentos com pulos, e muitas vezes de propósito. Há cenas gravadas de alguns deles danificando os lugares um após o outro. Uma porta de banheiro foi arrancada.

Juntamente com o fabricante, o Corinthians realizou testes com as cadeiras nesta quarta-feira para verificar se havia algum problema. Funcionários do clube constataram que os assentos mantinham a resistência, e era difícil destruí-los.

Uma das explicações para o vandalismo, para quem estava nas arquibancadas, foi o clima quente entre torcedores brasileiros e argentinos. Houve provocação o tempo inteiro, inclusive entre corintianos e argentinos, embora não tenham sido registradas brigas graves. Quando acabou o jogo, os torcedores do país vizinho ficaram mais tempo no estádio, e foi justamente o momento da quebradeira mais intensa.


Argentinos destroem cadeiras do Itaquerão e Fifa nada faz. Veja fotos
Comentários Comente

rodrigomattos

Aos pulos, centenas de argentinos destruíram um grande número de cadeiras do Itaquerão no setor norte do estádio após a vitória de sua seleção sobre a Suíça, na terça-feira. Seguranças da Fifa e do COL (Comitê Organizador Local) nada fizeram para impedir o vandalismo no estádio. O Corinthians prepara um relatório dos danos, ainda não calculados.

O blog obteve diversas fotos que mostram os argentinos em cima das cadeiras, e vários delas destruídas. Também há vídeos. Em nenhuma das imagens, seguranças, que estão ao lado, reprimiram suas atuações, apenas recolhem o que foi detonado. Pelo contrário, a informação obtida pelo blog é de que os contratados da Fifa tentaram impedir as imagens feitas por funcionários do clube.

Um relatório do Corinthians vai apontar o total de assentos destruídos. Já foram feitas fotos e vídeos para provar a destruição. Pelo contrato entre a Fifa e o clube, quem for responsável por danos tem que pagar pelos consertos. O mesmo vale para o mármore do estádio, danificado na colocação de instalações provisórias.

Um relatório corintiano já apontou que outras 175 cadeiras foram destruídas por torcedores ingleses, no jogo contra o Uruguai. Também há relatos a danos em portas de banheiros.

A questão é que só foi comprado um excedente de 5% dos assentos no estádio corintiano para reposição. Se esse total for atingido, não haverá cadeiras substitutas ou terá de ser feita nova compra.

Não é a primeira vez que o Itaquerão sofre com vandalismo sobre assentos. Isso já ocorreu em dois jogos do próprio time, em setores de torcidas organizadas. Mas, na última partida, os torcedores não quebraram nada, após uma campanha da diretoria.


Fifa isenta croatas e diz que banheira alagou vestiário do Itaquerão
Comentários Comente

rodrigomattos

Após apurar incidentes no vestiário do Itaquerão, a Fifa concluiu que o local foi alagado por um problema em uma das banheiras, e descartou qualquer responsabilidades dos jogadores croatas. Essa versão é bem diferente da do gestor da arena, Andrés Sanchez: afirmou ao UOL Esporte que os atletas jogaram conteúdos de coolers no chão.

As reclamações do ex-presidente corintiano levaram a federação internacional a investigar o caso. Afinal, havia acusações de que o vestiário sofrera com vandalismo dos croatas, que negavam.

A Fifa concluiu que uma das banheiras tinha um problemas técnico que tornava difícil o seu desligamento, até porque o equipamento é bastante complicado. Por conta disso, a delegação da Croácia não conseguiu desligar o aparelho que ficou vazando água após a saída deles.

Em relação à acusação de uma mesa quebrada, a federação internacional também descartou qualquer vandalismo dos adversários da seleção. A mesa era uma dessas dobráveis, e frágil, portanto, deve ter se danificado com um peso maior.

Funcionário da Fifa que viu fotos do vestiário, enviadas pelo Corinthians, disse que não havia nada demais no local. Por isso, está descartada qualquer punição aos croatas. Para a entidade, foi um incidente menor fruto de um problema técnico.


Em meio à crise, prefeitura lava entorno do Itaquerão com água
Comentários Comente

rodrigomattos

Em meio à crise de abastecimento de São Paulo, funcionários da prefeitura lavavam o entorno do Itaquerão, local da abertura da Copa-2014, com água nesta tarde de segunda-feira. E não era um volume pequeno visto que havia um caminhão cheio para abastecer as mangueiras. Não era o único exemplo de desperdício ou descaso municipal em volta do estádio.

A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico de São Paulo) tem pedido que a população economize por conta do baixo nível da Represa da Cantareira. Por isso, o blog questionou os funcionários da prefeitura pelo desperdício. Um deles afirmou que era água de reuso que não servia para nada, apenas para lavar pratos.

Não é o que diz a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) que lista possibilidades de utilização da água de reuso, entre eles vasos sanitários, irrigação de campos e gramados, e até limpar passeios públicos. Só que a cartilha da Sabesp para evitar desperdício recomenda que não se lave calçadas e ruas com água porque são perdidos 279 litros em 15 minutos.

Além disso, a prefeitura de São Paulo também desperdiçava luz em volta do Itaquerão. Todos os postes de iluminação pública estavam acessos em pleno meio-dia com sol. E não são poucos visto que houve reforço após reclamação de torcedores.

Fora isso, pode-se perceber o descaso em relação ao muro da Fatec, onde funciona o centro de credenciamento da Copa-2014. A parede externa estava pichada.


São-paulino ironiza capacidade do Itaquerão: ‘Deram aplique na Fifa?’
Comentários Comente

rodrigomattos

O anúncio da Fifa de que o Itaquerão receberá 61,6 mil pessoas na abertura provocou ironia e crítica do conselheiro são-paulino José Francisco Mansur, responsável pelo projeto do Morumbi rejeitado pela entidade. Sua lembrança é de que foi exigido do estádio do São Paulo uma capacidade mínima de 68 mil.

A substituição do Morumbi pelo Itaquerão ocorreu em 2010. O projeto do estádio são-paulino foi rechaçado pela Fifa e pelo COL (Comitê Organizador Local) com a alegação de que não atendia as especificações para a abertura da Copa. Em seguida, o Corinthians apresentou sua ideia de estádio, e o governo do Estado ajudou com as provisórias.

Inicialmente, a capacidade do Itaquerão seria de 68 mil lugares com as arquibancadas montados pelo Estado. Explica-se: seriam pouco mais de 40 mil lugares, com as provisórias para chegar a esse total. Mas a Fifa considerou isso como capacidade total, não líquida. Ou seja, com exclusão de vários lugares, foi reduzido a 61 mil assentos.

“Para o Morumbi, o COL e o Comitê Paulista exigiam 68 mil lugares sem a possibilidade de haver arquibancadas provisórias. Para o amistoso de amanhã (da seleção, nesta sexta-feira), já vendemos 67 mil. E o engraçado é ler que no estádio recém-construído há assentos mortos – sem visão. Como é possível? Deram aplique na Fifa?”, afirmou Mansur.

A alegação da federação internacional é de que houve assentos cortados por conta de posições de televisão e de mídia, entre outros pontos. Segundo Thierry Weil, dirigente da Fifa responsável por ingressos, a capacidade pedida pela federação foi atendida pelo estádio. O Comitê Paulista informou que não houve alteração de exigência do Morumbi para o Itaquerão.

É certo, no entanto, que a entidade teve dificuldades para levantar o inventário de lugares do Itaquerão pelos atrasos nas obras. Quando saiu o número final, ficou bem abaixo do previsto inicialmente.


Obras do Itaquerão começaram tarde, diz Del Nero
Comentários Comente

rodrigomattos

Com o Itaquerão inconcluso a sete dias da Copa-2014, o membro da Fifa e vice da CBF, Marco Polo Del Nero, admitiu que as obras no estádio começaram tarde demais. Deu a entender que, no geral, o país deveria ter iniciado a organização do Mundial com antecedência. Mesmo assim, mostrou otimismo sobre o que ocorrerá na Copa.

Começou muito tarde (Itaquerão). Era para ter começado a organização com quatro estádios prontos, e para fazer outros quatro estádios. Se chegasse seis anos antes e não tivesse nada pronto, podia levar para outro lugar”, afirmou Del Nero.

Em seguida, ele emendou dizendo que tudo “vai correr bem”.

Sobre a seleção brasileira, ele afirmou estar otimista como a comissão técnica, embora de forma mais reservada. “O time está bem, o técnico está bem. O que pode acontecer é azar”.


Instalações da Fifa danificam mármore do Itaquerão
Comentários Comente

rodrigomattos

As instalações da Fifa provocaram danos no mármore do Itaquerão em alguns setores. Isso tem causado irritação entre os responsáveis pela arena, que reclamam da falta de cuidado com o estádio pelos fornecedores de estruturas provisórias.

O Corinthians disse que vigia de perto todo o uso da arena e promete pedir consertos ou ressarcimentos no caso de prejuízos. O COL (Comitê Organizador Local) e a Fifa afirmaram que vão reparar tudo que for modificado em relação ao inventário feito na ocupação do estádio.

O relato de responsáveis pelo Itaquerão é que os fornecedores das instalações provisórias não têm cuidado com paredes, batentes de portas e mármores. Assim, passam com grandes pesos direto no chão, o que causa rachaduras e danos.

Após os relatos, o blog esteve duas vezes no estádio e constatou os prejuízos ao mármore. E os maiores danos são em escadarias com esse material no prédio oeste, em locais onde os torcedores não têm acesso. Segundo um dos funcionários da arena, há o mesmo problema nas escadarias para os Vips. Mas o COL não deixou a reportagem ter acesso ao local.

Do lado leste, justamente onde houve maior presença da torcida, também há pequenas lascas, mas em número bem menor. Ali também há transporte de material da Fifa. Os principais problemas são restos de adesivos, marcações e arranhões feitos por fornecedores da entidade, difíceis de tirar segundo responsáveis pelo estádio.

O blog ouviu de um outro executivo de arena da Copa-2014 reclamações similares sobre a ocupação da Fifa. Segundo esse executivo, parceiros da federação internacional querem derrubar paredes sem autorização, deixam marcas em todos os pontos, entre outros problemas.

No caso do Itaquerão, as responsabilidades por danos terão que ser apuradas. Foi o Corinthians quem contratou a empresa que faz as instalações provisórias. Mas há parceiros da Fifa que também trabalham no local em estruturas de hospitalidade e patrocinadores.

Foi feito um check-list com todas as condições do estádio, com fotos, para análise posterior. “O Corinthians tem uma equipe que (…) está a verificar o andamento das obras provisórias/complementares e registrar todas as ocorrências diárias. Eventuais reparos necessários serão direcionados aos responsáveis”, informou a assessoria do clube.

“Ao final do período exclusivo, a situação das instalações é reavaliada. Todos os fornecedores da Fifa e do COL são monitorados e os danos causados serão reparados”, afirmou a assessoria do COL. “No entanto, cabe ressaltar que no caso específico da Arena São Paulo, o volume de trabalho e cargas movimentadas dentro do estádio até o momento são de responsabilidade da empresa que realiza a montagem das estruturas complementares, e não da Fifa e do COL.”


Empresa fecha goteiras no Itaquerão. Teste é adiado para sexta-feira
Comentários Comente

rodrigomattos

A poucos dias da abertura da Copa-2014, empresas fecham goteiras nas arquibancadas provisórias Sul no Itaquerão. O setor norte sequer pode ser testado ainda porque apenas vai ficar pronto na sexta-feira. Só então que o corpo de bombeiros fará uma vistoria no estádio e poderá dar o alvará de funcionamento, já que houve novo adiamento do que estava previsto para esta quarta-feira.

Durante o jogo entre Corinthians e Botafogo, empresas que operam as provisórias constataram diversas goteiras no setor sul por conta do funcionamento de caixas d’água, que abastecem os banheiros. Segundo funcionários da Fast Engenharia, estes dias têm sido usados para tampar esses buracos.

Haverá pouco tempo para fazer isso no setor norte, e nenhum teste para constatar goteiras. “Consideramos aquela parte em obras. O corpo de bombeiros vai verificar aquele setor e todos os outros para liberar o certificado técnico do estádio”, explicou Maurício Fogaça, consultor da Fast, responsável pelas arquibancadas provisórias. O UOL Esporte já antecipara que esses assentos só ficariam prontos a seis dias do Mundial.

O corpo de bombeiros já fez testes de impacto nas arquibancadas provisórias do Itaquerão, e pelo menos quatro visitas. Mas pediu acréscimos como alarmes, e hidrantes para liberar o estádio. Ainda falta uma escada no setor norte.

“O estádio ficará pronto para a abertura. Podem ficar tranquilos”, afirmou o gerente de arenas do COL (Comitê Organizador Local) Thiago Paes.  “Os bombeiros têm feito um acompanhamento diário. O laudo sairá em breve. Isso não preocupa. Está tudo equacionado.”

Em tour feito para a imprensa nacional e internacional, o COL evitou o setor norte, ainda não concluso e vetou a presença de repórteres em vários outros lugares, como camarotes e vestiários, que ainda passam por implantação de overlays.