PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Rodrigo Mattos

São Paulo admite pagar para ter apoio da torcida

rodrigomattos

15/08/2013 06h00

( Para seguir o blog no Twitter: @_rodrigomattos_ )

Ao tomar a decisão de reduzir muito os preços dos ingressos, a diretoria do São Paulo fez uma análise e constatou que há a possibilidade real de os jogos do time passarem a ser deficitários. Mas os dirigentes entendem que, neste momento de crise, vale a pena até cobrir prejuízos para contar com o apoio do torcedor na campanha para fugir do rebaixamento no Brasileiro da Série A.

Até agora, com públicos baixos, o São Paulo tem fechado seus borderôs no azul por pouco. Nos três  jogos mais recentes, sobrou para o clube um valor entre R$ 29 mil e R$ 101 mil. Isso com ingressos que já tinham preços promocionais e custavam R$ 10,00 para sócios torcedores na arquibancada.

Com os novos valores decretados – pode-se entrar no estádio com R$ 2,00-, há forte possibilidade de décifit caso o público não seja significativo já que a operação do estádio gira em torno de R$ 100 mil pelo menos.

"Cada jogo tem um quadro de funcionários que sabemos o custo. Não estamos pensando no financeiro.  (O prejuízo) Vai depender da quantidade de pessoas porque também abaixamos no setor térreo e intermediário. Oxalá tenhamos 68 mil de casa cheia", analisou o diretor financeiro do São Paulo, Oswaldo Vieira de Abreu.

Para a partida desta quinta-feira, diante do Atlético-PR, a previsão da diretoria é mais modesta: um público de 20 mil. Isso porque o horário do jogo é complicado para quem sai do trabalho e há previsão de frio na hora da partida. Mas a melhora na venda de bilhetes na quarta-feira indica que a torcida comprou a ideia de ajudar o time.

A decisão de abaixar os ingressos mesmo que cause prejuízo também leva em conta o fato de o clube estar equilibrado financeiramente após quitar a maior parte dos seus empréstimos bancários.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Rodrigo Mattos