PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

Seleção e Copa tiram dinheiro de patrocínio de clubes em 2014

rodrigomattos

26/11/2013 11h30

( Para seguir o blog no Twitter: @_rodrigomattos_ )

A Copa-2014 e a seleção brasileira tomaram a maior parte do mercado de patrocínios para 2014 e tiraram dinheiro dos clubes de futebol. Dirigentes dos times têm relatado dificuldades para obter parceiros comerciais e preveem um ano péssimo sob o ponto de vista de captação de receitas com suas camisas.

E o cenário já não era positivo em 2013. Clubes como Palmeiras e Santos estão sem anunciantes master em sua camisa, e outros têm valores reduzidos ou problemas. A exceção são os que tiveram o apoio da Caixa Econômica Federal, que entrou forte para tentar compensar a força de concorrente no Mundial.

Enquanto isso, a CBF anunciou neste mês o seu 14o patrocinador com a EF Englishtown. Ou seja, a entidade enche os cofres de dinheiro usando atletas formados pelos clubes, que minguam sem fatias do mercado.

"É verdade (o efeito ruim da Copa). Grande parte dos recursos está direcionado à Copa. Já fomos conversar, mas boa parte das empresas alegou que estava direcionada para o Mundial", afirmou o diretor-executivo do Botafogo, Sérgio Landau. "Ainda não fechamos nada para 2014. Se conseguirmos a manutenção, será positivo."

Detalhe: o Botafogo é sério candidato à vaga na Libertadores, e negocia para ao menos manter o Guaraviton. Com o Engenhão fechado, também não tem receitas de parcerias com empresas no local.

"Essa análise (de que o mercado se voltou para Copa) está correta. Tentamos encontrar oportunidades em meio a isso. Estamos procurando concorrentes (dos anunciantes do Mundial) para tentar amenizar. Às vezes, a empresa ainda não entrou no mercado de marketing", contou o diretor de marketing do Santos, Fernando Montanha.

Seu clube vai completar um ano sem patrocinador master. Ele entende que sua situação não é ruim porque lembrou que os parceiros em outros lugares da camisa representam bons contratos. Ao tentar comer pelas beiradas, tenta fechar um patrocínio principal até dezembro, demonstrando mais otimismo que os outros.

Há oito meses sem parceiro principal, o Palmeiras também está no mesmo passo: tenta fechar patrocínio até o final do ano. O São Paulo mantém patrocínios que estão com problemas, como Semp Toshiba e Penalty. Oficialmente, a diretoria são-paulina não admitiu que há questões com os atuais parceiros. O que eles reconhecem é a dificuldade do cenário em 2014.


"Há alguns componentes para o próximo ano: empresas estão fazendo ações com a seleção, com a Copa, e não com os clubes", disse o vice de marketing do São Paulo, Júlio Casares. "O jeito é se preparar para 2015."

Há clubes que podem fugir à regra por conta de circunstâncias específicas. Por exemplo, o Corinthians e Flamengo têm como parceira a Caixa Econômica. No caso corintiano, já está fechada renovação automática até o final de 2014. No rubro-negro, a parceria terá de ser renegociada no início de 2014.

"Temos que ver o contexto de cada clube. Para nós, o ano de 2014 pode ser melhor. Depende de como você analisa o estágio de cada clube", avaliou o diretor de marketing do Flamengo, Fred Luz. Sua análise deve-se ao fato de que o clube vem em um processo de recuperação e aumento de receitas, com novas iniciativas de marketing.

Considerado todo o mercado brasileiro, os bancos dominam o cenário, com sete das 12 principais camisas do futebol brasileiro, Flamengo, Corinthians, Vasco, Internacional, Grêmio, Cruzeiro e Atlético-MG. A Caixa, com três grandes times, ainda se estende por uniformes importantes como Atlético-PR, Coritiba e Vitória.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.