PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Seguro cobre gasto de acidente do Itaquerão, mas obra deve encarecer

rodrigomattos

28/11/2013 06h00

( Para seguir o blog no Twitter: @_rodrigomattos_ )

Um seguro vai cobrir todos os custos gerados pelo acidente que derrubou parte da cobertura do Itaquerão, estádio da abertura da Copa-2014. Isso inclui obras extras de conserto, novos equipamentos e a indenização para famílias dos operários mortos. Assim, por conta da tragédia desta quarta-feira, não haverá aumento de gastos significativos para o Corinthians.

Mas, sim, deve haver um crescimento no custo geral do estádio que já vinha sendo discutido antes do acidente. Explica-se: a Odebrecht alega que vai gastar mais do que o previsto no contrato inicial, R$ 860 milhões, e pede um aditivo do acordo.

Em relação ao caso específico do acidente, em que houve dois operários mortos, foi contratado um seguro por um preço entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões. Isso estava incluído no orçamento inicial da obra.

Entre outros itens que serão cobertos, estão a reconstrução de parte da área leste – a estrutura do estádio não foi atingida – que foi atingida por um guindaste, o conserto da máquina, e outras perdas como despesas extras com folha salarial. O seguro foi feito pela Odebrecht, que investiu até agora cerca de R$ 700 milhões na obra com recursos próprios e dinheiro de empréstimos bancários.

Ainda não há uma previsão de quanto tempo vai demorar para que todos os consertos sejam feitos até que a obra retorne ao estágio em que estava na quarta-feira antes do acidente. O telão, por exemplo, precisa ser arrumado. Haverá reuniões durante o dia para determinar um prazo final. 

A indenização dos dois operários mortos também está dentro do seguro. O cálculo do valor a ser pago a seus familiares deve ser feito de acordo com uma previsão do que eles teriam a receber de salários em toda a sua vida. Também há um seguro de vida para os parentes dos operários atingidos.

Ainda haverá uma investigação por parte do Ministério Público e do Ministério do Trabalho e Emprego para saber quais as causas do acidente. E o Sindicato de Trabalhadores de Construção Pesada pede uma perícia policial, com a obra parada, para apurar os reais motivos do acidente. Pelo menos 30% da construção já está interdidata.

Apesar de o seguro cobrir todos os custos do acidente, o Corinthians deve ter que aumentar o seu desembolso para completar a obra. É que a Odebrecht vem discutindo há cerca de quatro meses um contrato aditivo para incluir aumentos nos custos durante a construção do Itaquerão.

A alegação é de que a explosão do dólar afetou o orçamento da obra que tinha preço fixado em R$ 859 milhões. Esse valor deve subir, segundo pessoas envolvidas na negociação, para R$ 900 milhões.

Mas esse montante só será fixado depois de duras conversas entre Odebrecht e Corinthians, que resiste de todas as formas ao crescimento do preço. Ou seja, o acidente ocorreu em um momento em que as partes estavam em pleno atrito por causa do preço final.

A possível liberação de verba do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) também impacta no custo final para o clube, visto que os corintianos estão pagando juros a empresas privadas.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Blog do Rodrigo Mattos