PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

Exército garantirá segurança de transmissão de TV da Copa

rodrigomattos

22/02/2014 06h00

  • Renato Araújo/Agência BrasilGeneral Jamil Megid, responsável pela segurança na Copa e Olimpíada.

( Para seguir o blog no Twitter: @_rodrigomattos_)

As forças armadas serão as responsáveis por garantir a segurança das transmissões de televisão e da energia da Copa-2014. Esses serão um dos poucos casos em que os militares atuarão diretamente, e não apenas como grupo de reserva. Haverá 57 mil homens das forças na proteção do evento.

As transmissões de televisão são estratégicas para a Fifa no Mundial. A maior receita da entidade é recebida de redes de televisão, além disso patrocinadores pagam por terem suas marcas exibidas para o mundo inteiro. Uma queda no sinal durante o jogo é vista pela federação internacional como uma catástrofe.

A preocupação com o tema é tão grande que a Fifa decidiu até pagar R$ 47 milhões pelos estruturas de geradores para broadcast, redes de televisão. Esses gastos, inicialmente, seriam pagos pelo governo federal, mas a federação internacional decidiu banca-los para não correr riscos. No caso do Exército, a proteção às redes de telecomunicações são justificadas por ser uma área estratégica.

"Vamos aumentar a proteção a infraestruturas críticas junto às concessionárias. São os casos de energia e telecomunicações", afirmou general Jamil Megid Junior, responsável do Ministério da Defesa para a Copa-2014.

A aeronáutica ainda garantirá o fechamento do espaço aéreo nos estádios durante os jogos. Outra função das forças armadas será fazer inspeções em estádios e centros de treinamento antes da chegada dos times. "Faremos varreduras para identificar possíveis atos de terrorismo", contou Megid.

Em relação à contenção dos protestos, o exército só atuará se as forças de segurança públicas se mostrarem impotentes diante de manifestantes e os Estados requisitarem ajuda. De resto, ficarão como força de reserva. O total do investimento do Ministério da Defesa na segurança da Copa é de R$ 700 milhões.

 

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.