PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Por regra, Fifa esconde da torcida replay de pênalti polêmico

rodrigomattos

12/06/2014 19h17

A Fifa seguiu sua regra para telões em estádios e não mostrou aos torcedores no Itaquerão replay do pênalti mal marcado sobre Fred, em lance que deu a virada para a seleção brasileira sobre a Croácia na estreia da Copa-2014. Esse procedimento tem como objetivo evitar revoltas da torcida por erros cometidos pelo árbitro. Irônico que ele seja adotado logo após o presidente da entidade, Joseph Blatter sugerir o uso de repetições para decisões do árbitro.

A questão é que, na Africa do Sul, o sistema da Fifa não funcionou. Vários jogos tiveram exibidos repetições de lances polêmicos como um gol impedido da Argentina contra o México no Soccer City, principal estádio do Mundial. Isso levou a entidade a ter de baixar uma ordem para interromper os vídeos.

No Brasil, funcionou na abertura para os dois telões do Itaquerão. Jornalistas puderam ver claramente no sistema da entidade que Fred foi apenas tocado pelo zagueiro croata, sem que houvesse força para derrubá-lo. Mas o vídeo não foi para o público no Itaquerão. Assim, dentro do estádio, era impossível ver o erro cometido pelo juiz japonês Yushi Nishimura.

O mesmo procedimento foi seguido em lance seguinte quando Olic trombou com Júlio César e o árbitro marcou falta. Esse lance foi mais polêmico – na opinião do blog, houve a falta. Outras jogadas da partida, como o gol de Oscar, tiveram os replays exibidos normalmente nos telões do estádio. A decisão do que pode ser mostrado é feita por funcionários da Fifa.

A mesma federação internacional cujo presidente Blatter defendeu, nesta quarta-feira, o uso de replays para ajudar na decisão de árbitros. Ou seja, não pode mostrar para o público. Mas, eventualmente, pode vir a ser usado pelo juiz no futuro.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Blog do Rodrigo Mattos