PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Rodrigo Mattos

Fifa reprime protesto de convidados com faixa no Maracanã

rodrigomattos

22/06/2014 16h54


A Fifa reprimiu um protesto nas arquibancadas do Maracanã no jogo entre Bélgica e Rússia, mas seus seguranças e policiais foram incapazes de impedir a exibição de uma faixa com mensagem política.

Pelas regras da Copa-2014, é proibido esse tipo de manifestação. Irônico é que os dois manifestantes eram convidados de um patrocinador do Mundial, o Itaú.

O engenheiro Maurício Dantas e o professor João Carlos Rodrigues levaram uma faixa de cerca de quatro por dois metros para dentro do estádio. Estava escrito: "A festa nos estádios não vale as lágrimas nas favelas". De um lado, a frase estava em português, do outro em inglês.

No meio do jogo, eles abriram a faixa, e policiais militares os detiveram e os levaram para averiguação. A PM queria que eles entregassem a faixa, mas eles se recusaram alegando que não desrespeitavam nenhuma lei. Foram liberados.

Mais tarde, ao final do jogo, voltaram a exibir o protesto e seguranças particulares da Fifa mandaram que fechassem a faixa. Ainda queriam impedir os jornalistas de tirar fotos. Mas os manifestantes mantiveram a exibição das faixas. Até que um chefe pediu que eles se retirassem do estádio – foram acompanhados pelos agentes.

"Somos de um movimento social contra a violência policial dentro das favelas. Durante essa Copa, só aumentou a repressão e a retirada de pessoas dessas comunidades, como a da Mangueira, aqui próximo do Maracanã, que tentam transformar em uma região de elite", contou Dantas.

Ele ganhou os ingressos para o jogo do Banco Itaú, do qual é cliente, e que é patrocinador do Mundial. Chamou o amigo Rodrigues para fazer o protesto. "Entramos com a faixa dentro da mochila. Ninguém viu", contou Rodrigues.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Rodrigo Mattos