Topo
Blog do Rodrigo Mattos

Blog do Rodrigo Mattos

Categorias

Histórico

Dívidas dos clubes crescem em 2014. Palmeiras tem maior aumento em SP

rodrigomattos

12/12/2014 05h00

jogadores-do-palmeiras-ficam-cabisbaixos-apos-derrota-para-o-sport-1416453294072_615x300

Crédito da imagem: Friedemann Vogel/Getty Images

Em um ano que deveria ser de contenção de custos, os clubes brasileiros, mais uma vez, aumentaram suas dívidas durante 2014. É o que mostram balancetes deles publicados no segundo semestre e dados coletados pelo blog. Entre os times de São Paulo, quem teve maior crescimento de passivo foi o Palmeiras. Essa é a terceira matéria sobre a crise do futebol nacional.

Foram levantados dados de 10 agremiações, sendo sete delas com balancetes obtidos. Desses, o Flamengo é o único que reduziu de fato o seu débito. O Fluminense teve uma queda da dívida bruta, mas aumento da líquida. O Grêmio ficou estável. Palmeiras, Santos, Corinthians, São Paulo, Internacional, Atlético-MG e Botafogo tiveram crescimento das suas pendências.

Vamos aos números. Desconsideradas as receitas futuras de televisão, o passivo palmeirense saltou de R$ 281,5 milhões, em 2013, para R$ 400 milhões até agosto de 2014. Os principais culpados são os empréstimos feitos pelo presidente Paulo Nobre, que atingiram um total de R$ 138 milhões naquele mês.

Não houve variação grande do ativo (direitos e bens), desconsideradas as receitas de televisão futura. Assim, a situação financeira piorou bastante. Ressalte-se, no entanto, que a dívida tributária está sob controle.

Entre os rivais, o Corinthians também teve um crescimento do passivo de R$ 309,6 milhões para R$ 343 milhões em setembro de 2014. Seu endividamento líquido, que leva em conta o ativo do clube, subiu para R$ 256 milhões, um aumento de quase um terço.

A principal causa do rombo foram os altos gastos com o futebol e receitas em baixa que criaram um déficit. O clube incluiu débitos no Refis, e paga R$ 5 milhões por mês até o final do ano, o que reduz pendências fiscais. Uma ressalva é que a diretoria corintiana não registra no balanço os cerca de R$ 750 milhões em dívidas do Itaquerão. Somado esse valor, o clube tem a maior rombo do Brasil.

robinho-parte-com-a-bola-dominada-no-duelo-contra-o-atletico-pr-1416439536102_615x300

Crédito da imagem: Heuler Andrey/Getty Images

No Santos, o passivo cresceu R$ 54 milhões só no primeiro semestre de 2014, o que elevou o total a R$ 386 milhões. A situação do clube, no entanto, é bem pior visto que há diversos atrasos de salários de jogadores, e débitos por compras de atletas. Só em direitos de imagem a dívida saltou de R$ 22 milhões para R$ 40 milhões.

O São Paulo não tem balancetes disponíveis de 2014. Mas o presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, já admitiu um déficit de R$ 7 milhões por mês e o crescimento da dívida bancária. Ele falou em rombo de R$ 100 milhões no ano, mas deve fechar em menos do que isso.

O Flamengo teve uma redução de R$ 15 milhões no seu passivo total que ficou em R$ 810 milhões ao final de setembro de 2014. Mas o clube aumentou o ativo onde há depósitos judiciais no valor de R$ 41 milhões, ou seja, pagamento de dívidas.

A diretoria rubro-negra contabiliza uma dívida líquida de R$ 560 milhões. Só que, para isso, exclui os adiantamentos de contrato. É certo, no entanto, que a atual gestão pagou um valor em torno de R$ 100 milhões em débitos – R$ 56 milhões de redução do passivo mais R$ 41 milhões dos depósitos.

Embora sem números disponíveis de 2014, o Botafogo tem um novo presidente, Carlos Eduardo Pereira, que admitiu que a dívida já atingiu R$ 750 milhões após um ano inteiro quase de calotes em salários, processos e pendências fiscais.

Outro que acumulou débitos durante o ano foi Atlético-MG: não pagou por Diego Tardelli, tem salários em atrasos e uma disputa judicial com a União relacionada a uma pendência fiscal de R$ 270 milhões.

Por fim, o Inter teve um crescimento de passivo de cerca de R$ 16 milhões, ficando em R$ 386 milhões até o meio do ano. Pior, soma quase R$ 100 milhões em débitos por contratações de jogadores, entre participações econômicas e credores do colorado.

No Fluminense, o passivo caiu em R$ 30 milhões até setembro de 2014, fechando em R$ 461 milhões. Mas o ativo do clube também foi reduzido. Então, a dívida líquida aumentou entre R$ 10 milhões e R$ 20 milhões. O clube até teve certo saneamento com a inclusão no Refis, mas há as pendências deixadas pela Unimed em dezembro.

Não foi possível obter dados financeiros sobre Cruzeiro e Vasco.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Rodrigo Mattos