PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Rodrigo Mattos

Desmoralizada pelo Corinthians, FPF diz que sempre quis torcida visitante

rodrigomattos

07/02/2015 06h00

Comandada pelo futuro presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, a FPF (Federação Paulista de Futebol) mudou de posição duas vezes na polêmica em relação à torcida visitante no clássico na Arena Palmeiras após sofrer pressão. Ao final, permitiu a presença dos alvinegros depois de uma ameaça do Corinthians de não entrar em campo. Mas, oficialmente, a federação afirmou que sempre foi a favor da presença dos visitantes em campo.

Segundo o diretor da federação, Marcos Marinho, a decisão de permitir a presença dos corintianos ocorreu após a determinação da Justiça de São Paulo de que a entidade não era obrigada a adotar torcida única. Ou seja, poderia ignorar a recomendação do Ministério Público Estadual de proibir visitantes – promotores ameaçaram até processar clubes e a federação.

Só que o Corinthians já informara anteriormente que tinha a decisão favorável da Justiça, e a FPF se mantinha irredutível sobre o veto aos corintianos. Quando Gobbi deu entrevista coletiva enfática, em que dizia que não jogaria, isso mudou. "Tínhamos que receber a decisão oficialmente. A decisão de Justiça chegou, nosso presidente analisou, e não vai se criar nenhuma problema", alegou Marinho.

Pelo regulamento de competições da FPF, a entidade tem a prerrogativa de decidir se haverá torcida visitante ou não. Pelo artigo 39, a definição da quantidade e a emissão de ingressos dependerão da "prévia autorização por parte do departamento de arrecadação da FPF, inclusive aos ingressos destinados à torcida visitante, se for o caso".

Marinho afirmou que a tendência agora é que todos os clássicos do Paulista sejam disputados com torcida visitante, mas admite que podem ocorrer novas polêmicas. "Se não surgir nada, todos os clássicos terão duas torcidas. A FPF sempre teve posição a favor de duas torcidas. Para frente, vamos ver se surge outra novela", contou Marinho.

Fato é que, de início, a federação afirmou que deveria haver torcida visitante quando houve o primeiro pedido do MP. Quando os promotores ameaçaram com processo, mesmo que só tivessem feito uma recomendação, a entidade decidiu vetar os corintianos. Quando o time de Parque São Jorge disse que não jogaria, e saiu decisão da Justiça, a FPF mudou de novo sua posição.

Ao final, nas duas últimas semanas, a federação paulista se curvou ao Corinthians, assim como a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) teve que recuar na questão do preço do ingresso no Estadual do Rio após briga com Flamengo e Fluminense. Em ambos os casos, os clubes mostraram que têm mais força do que os organizadores do campeonato quando defendem seus interesses. Resta saber se isso vai virar uma prática a partir de agora.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Rodrigo Mattos