PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

Com Eurico, Vasco se torna maior devedor da CBF: R$ 16 milhões

rodrigomattos

20/05/2015 06h00

o-presidente-do-vasco-eurico-miranda-roubou-todas-as-atencoes-na-cerimonia-de-premiacao-do-titulo-carioca-com-um-charuto-na-boca-1430704093527_615x300

No início de sua gestão, o presidente Eurico Miranda transformou o Vasco no maior devedor da CBF: um total de R$ 16 milhões. Os dados constam dos balanços financeiros dos clubes e da confederação. O aumento da dívida tem relação com empréstimo feito pelo clube no final do ano passado já sob sua presidência para pagar débitos fiscais.

A confederação tem como prática dar dinheiro a clubes com a cobrança de juros – principalmente no caso de times cariocas. Tanto que, nos últimos cinco anos, a dívida das agremiações praticamente dobrou, saltando de R$ 36 milhões para R$ 69,1 milhões ao final de 2014.

A entidade não gosta de detalhar os números, nem falar das negociações. O diretor financeiro da CBF, Rogério Caboclo, disse que não sabe especificar quanto cada clube deve. Mas esses números podem ser obtidos nos balanços deles.

Entre os cariocas, Fluminense, Flamengo e Botafogo reduziram suas dívidas com a confederação. O Botafogo, que tinha o maior passivo, teve uma queda de R$ 15,9 milhões para R$ 12 milhões ao final de 2014. No Flu, houve uma redução de cerca de R$ 1,7 milhão: ficou em R$ 11,2 milhões. E o Flamengo diminui quase pela metade o débito: está em R$ 6,8 milhões.

Enquanto isso, o Vasco teve um acréscimo de mais de R$ 5 milhões no total de sua dívida. Eurico negociou o empréstimo no final do ano passado. "Não tenho nenhum comentário sobre isso", esquivou-se Caboclo ao ser questionado sobre o empréstimo. O blog procurou Eurico que não atendeu os telefonemas. A assessoria do clube informou que só ele poderia falar do assunto.

Mas a verdade é que a CBF foi generosa: o dinheiro terá de ser pago a longo prazo pelo balanço vascaíno. Do total do débito do clube, só R$ 1,2 milhão terá de ser quitado em 2014, sendo o restante de R$ 14,8 milhões nos anos seguintes.

Uma parte dessa dívida foi adquirida pelo ex-presidente Roberto Dinamite, que também tinha o costume de pegar empréstimo com a CBF. Chegou a levantar R$ 8 milhões para pagar a folha salarial, e tentou nova ajuda no final do ano passado. Adversários políticos, Dinamite e Eurico têm um ponto em comum: no aperto, recorrem à confederação.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.