Blog do Rodrigo Mattos

Apertado, São Paulo deixa de pagar impostos e deve mais R$ 30 mi

rodrigomattos

A crise do São Paulo tomou tal proporção que o clube deixou de pagar impostos nos últimos meses para economizar no caixa. Resultado: acumulou nova dívida de R$ 30 milhões e não tem como tirar Certidão Negativa de Débito. A aposta do clube é que, com a sanção da Lei do Profut, resolverá o novo débito.

O São Paulo era tradicionalmente um bom pagador de tributos: só tinha R$ 50 milhões de pendências na Timemania, e nenhuma penhora. Foi a dívida com bancos e seus juros altos que complicaram a vida são-paulina, apertando o caixa, atrasando direitos de imagem e salários.

Neste cenário, o clube decidiu não pagar Cofins e PIS, tributos que incidem sobre as receitas. Isso ocorreu nos últimos dois ou três meses, segundo vice-presidente de Administração e Finanças, Oswaldo Vieira de Abreu. Outros pagamentos como FGTS e INSS estão em dia.

''É recente. Quando aperta, qualquer empresa a primeira coisa que faz é não pagar impostos. Como a Lei do Profut estava em aprovação, o problema está resolvido'', afirmou o dirigente. Em compensação, com a economia, ele ressalta que só o mês de agosto de direitos de imagem está em aberto. O problema é o buraco de R$ 30 milhões indica que bem mais impostos não foram quitados ou por período mais longo.

Lembre-se: o Corinthians tomou atitude similar durante anos da gestão de Andrés Sanchez, o que gerou débitos de mais de R$ 100 milhões entre pendências e multas. A diretoria teve que se virar e antecipar receitas para regularizar a situação em 2014, um dos motivos da crise financeira atual.

No site da Receita Federal, uma consulta já mostra que é impossível retirar a certidão de inexistência de débitos para o CNPJ do São Paulo. Isso não significa que o clube esteja sem CND agora. Quando houver a renovação desses certificados, é que será impossível mantê-los caso não seja feita uma regularização.

''Isso é com o financeiro. Até agora não sei de nada porque entendo que temos a CND. Quando houver um problema, vão me procurar'', explicou o diretor jurídico são-paulino, Leonardo Serafim. Ele contou que o clube ainda analisava se entraria no Profut pelos termos sancionados por Dilma. Mas, no financeiro, a adesão é dada como certa tanto que o clube não quitou seus impostos.

Para se ter uma ideia do problema de não ter CND, pelas alterações no Estatuto do Torcedor feitas pelo Profut, o São Paulo não teria como disputar o Brasileiro. Todo o CT da divisão de base são-paulino foi construído com incentivo fiscal, que não poderia ser obtido. Qualquer recursos público, inclusive patrocínios, não pode ser pago ao clube.

O São Paulo tinha uma previsão de déficit para este ano de R$ 130 milhões. Esse valor, no entanto, deve cair com as vendas de jogadores incluindo Boschilla. No clube, uma parte dos dirigentes está mais otimista com o rumo até o final do ano, e outro setor está mais pessimista. É certo que o clube vive problemas inéditos neste ano.