PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Rodrigo Mattos

Ferj mantém ameaça de pedir pena à Fla e Flu se jogarem toda a Liga

rodrigomattos

22/01/2016 05h00

O discurso otimista do presidente da Primeira Liga, Gilvan Pinho Tavares, contrasta com o clima ainda beligerante da Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) em relação à dupla Fla-Flu. A federação carioca mantém a posição de pedir uma punição para os dois times caso joguem mais partidas além das duas primeiras liberadas. Assim, hoje, a dupla só terá um acordo se recuar de atuar no campeonato.

Na saída da reunião entre Liga, CBF e Ferj, Gilvan afirmou que tudo estava se encaminhando para um acordo. A Ferj aceitou que os times atuassem em duas partidas, a primeira rodada e a segunda, desde que realizada no sábado de carnaval.

Flamengo e Cruzeiro fazem discursos amenos e esperam avançar. A questão é que a, na cabeça do presidente da Ferj, Rubens Lopes, não há possibilidade de novas autorizações porque entende que os jogos da liga prejudicariam o Estadual. Só a final coincide de fato com partidas do Carioca, mas ele não quer intervalos pequenos.

Mais, Lopes mantém a posição de que, caso Flamengo e Fluminense disputem qualquer outro jogo da Liga, será encaminhada para a CBF um pedido da Ferj de punição para os dois clubes. Haveria uma reivindicação para que isso fosse comunicado à Fifa para obter uma punição aos dois times.

Do lado do Flamengo, o discurso ameno é para consumo externo. O clube prepara uma medida de retaliação para a Ferj na negociação do contrato de televisão do Estadual. Quando as conversas começarem, o clube só aceitará renovar se o dinheiro for repassado diretamente ao clube, sem passar pela Ferj como ocorre atualmente. Assim, só daria os 10% de comissão da entidade, mas sem mais benefícios.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.