Blog do Rodrigo Mattos

Veja quanto dinheiro a Globo ganha com o Brasileiro

rodrigomattos

A disputa entre a Globo e o Esporte Interativo pelos direitos do Brasileiro-2019 gerou uma questão: qual o valor de mercado da competição? Para responder essa pergunta, é necessário entender quanto de dinheiro o campeonato gera para a emissora. Por isso, o blog fez uma apuração e levantamento de como a Globo ganha com o Nacional.

Primeiro, não é possível chegar a um número absoluto de faturamento com futebol. A Globo se recusa a abrir dados de seus negócios, procedimento padrão em outros emissoras. Mas é viável determinar a ordem de grandeza dos ganhos globais com dados revelados a clubes ou ao mercado.

O modelo de negócios de futebol da Globo implica em um pacote entre 95 e 100 datas de futebol em TV Aberta por ano – são 280 jogos transmitidos para diferentes praças. Outros 76 jogos do Nacional passam no Sportv, dois por rodada. E todas as 380 partidas da competição são incluídas no pay-per-view.

Para isso, em 2015, a Globo investiu um total de R$ 1,3 bilhão em direitos de transmissão do futebol consideradas todas as competições e para todas as mídias. Houve reajuste considerável para 2016 e esse deve ser o valor total aproximado pago apenas pelo Brasileiro. Com exceção do Paulista, com valor acima de R$ 70 milhões, nenhuma outra competição gera custa alto para a emissora, mesmo Libertadores e Copa do Brasil.

Há ainda custos de operação: uma transmissão de jogos custa um máximo de R$ 50 mil com a contratação de uma produtora, a Casablanca atende a maioria das emissoras. A emissora informou ter transmitido 1.700 jogos ao vivo em todo o grupo, sendo que boa parte deles é de campeonatos do exterior. Mesmo incluída a produção para todos, o custo máximo seria de R$ 85 milhões para todas as transmissões. Há ainda gastos menores para comercializar o pay-per-view.

Somado tudo, o custo da emissora com direitos do futebol, mais a operação, não chegará nem perto de R$ 2 bilhões neste ano. E os ganhos são muito maiores como se vê a seguir:

TV Aberta

São seis as cotas de publicidade do futebol da Globo. Cada uma foi negociada por R$ 245,7 milhões, o que leva o ganho anual a R$ 1,474 bilhão. Esse valor cresceu 83% em cinco anos, muito acima da inflação. Há outras 11 cotas participação vendidas a patrocinadores grandes como a Nissan, cujos valores não são revelados. Ou seja, só com o montante obtido com TV Aberta a emissora praticamente iguala o valor investido anualmente no futebol.

Fora isso, com os direitos sobre os jogos, a Globo alavanca a audiência de outros programas exibidos antes ou depois do futebol. Mais do que isso, ao marcar as partidas para as 22 horas, horário que não agrada torcedores, ela evita concorrência a seus programas mais nobres como novelas ou Jornal Nacional.

TV Fechada

O Sportv é o canal esportivo de maior audiência na TV Fechada, sendo o terceiro mais assistido no geral atrás apenas de dois infantis. A maior renda que gera é a taxa paga por operadoras como Net e Sky. Esse valor não é revelado. Mas, em um processo no Cade, a Rede TV, SBT e Record apontaram que cada assinante paga R$ 20,00 por mês pelo pacote de canais Globosat. O colunista Ricardo Feltrin, do UOL, apontou que esse valor seria de R$ 12,50.

De qualquer maneira, considerado o valor menor, a Globo ganhou em torno de R$ 3 bilhões de taxas por seus canais, já que são 20 milhões de assinantes de TV a cabo. Outros R$ 3 bilhões são gerados em anunciantes, elevando a renda da emissora a R$ 6 bilhões em TV fechada.

O Sportv é uma peça chave nesta equação visto que é o de maior audiência. E o Brasileiro é a competição mais importante da grade da emissora.

Pay-per-view

O pacote de jogos pagos da Globo tornou-se um negócio muito lucrativo desde 2008. Sua divisão de receitas, no entanto, continua igual com a maior fatia indo para a emissora. São cerca de 2 milhões de assinantes. Cada um deles paga em média em torno de R$ 600,00 por ano. Isso eleva os ganhos do ppv a R$ 1,2 bilhão com os pacotes.

Pelos contratos com os clubes, a emissora fica com 62% do total, enquanto as agremiações dividem 38%. Há uma cota mínima de R$ 500 milhões para os times, isto é, 41% do total estimado arrecadado. Ou seja, um percentual muito próximo do que efetivamente os times têm direito. Com a cota mínima, sobra para a Globo R$ 700 milhões do ppv.

Outros direitos

A Globo tem outros contratos com os clubes para cessão de direitos internacionais, placas de publicidade, direitos de internet. São valores menores se comparados às três mídias acima, mas, neste modelo, a emissora atua como intermediadora em todos os negócios em vez deles serem feitos diretamente pelos clubes. No caso dos direitos internacionais, por exemplo, o Brasileiro é pouco vendido no exterior, o que gera reclamação dos clubes.

Faturamento total

No ano de 2014, a Globo declarou receitas líquidas de R$ 16 bilhões em todas as suas operações. Consideradas as três principais mídias, TV Fechada, Pay-Per-view e Aberta, a emissora consegue um valor certamente superior a R$ 3 bilhões com o futebol. Ou seja, o futebol representa pelo menos 20% do faturamento da Globo em uma estimativa conservadora.

O que a Globo diz

O blog mandou perguntas para a Globo sobre o faturamento com o futebol, e a importância do Brasileiro para suas receitas. A emissora se recusou a revelar números, mas deu sua posição sobre a relevância do Nacional. Veja os principais trechos da resposta da Globo:

''Não há dúvidas de que o Campeonato Brasileiro é a competição anual mais importante para nós. Além dele, temos a Copa do Brasil, os estaduais e regionais, além das competições internacionais que são disputadas por nossos clubes, que sempre receberam grande investimento do Grupo, além de exposição e cobertura amplas em todas as nossas janelas – com destaque, no caso da TV Globo, para os conteúdos do Esporte Espetacular, do Globo Esporte, do Jornal Nacional e do Fantástico.''

''Estamos presente em todas as janelas de visibilidade. Entendemos que cada uma delas tem características próprias, retornos diferentes para o anunciante, públicos com hábitos de consumo distintos. E nossa proposta para cada uma leva tudo isso em consideração. Em 2015, exibimos, no conjunto de nossas mídias, cerca de 1.700 jogos ao vivo. Só na TV Globo, canal aberto e gratuito, foram 280 jogos ao vivo em 2015, considerando apenas Série A e B do Brasileirão, Libertadores, Copa do Brasil, Carioca, Paulista, Mineiro e Gaúcho – ainda tivemos mais jogos dos demais estaduais, amistosos e Seleção Brasileira. A TV Globogarante aos torcedores, com qualidade e relevância, amplo acesso ao esporte pelo qual são apaixonados e é uma tela importante para os patrocinadores das equipes, pela exposição, abrangência e retorno que proporciona. Só no Brasileirão Série A, a Globo exibe três dos 10 jogos de cada rodada.''

''O Première, com seus dois milhões de assinantes, traz a exclusividade dos jogos-chave e se tornou uma importante fonte de receita dos clubes e com muito potencial de crescimento ainda pela frente. O SporTV completa o cenário oferecendo mais opções de competições ao torcedor, trazendo do Brasileirão Série A ao futebol de base (com cerca de 100 jogos ao vivo em 2015), dando a possibilidade de o apaixonado por futebol assistir todos os dias a um jogo de times nacionais. O pacote comercial de cada janela se adequa ao cardápio de competições que cada uma delas adquire. Mais do que um número mínimo de jogos, o que importa ao anunciante é associar a sua marca a um esporte que é uma paixão nacional, é a relevância do que está sendo transmitido, é a abrangência que sua marca vai alcançar, é a garantia de retorno. O nosso compromisso é com a valorização do futebol brasileiro para todas as partes envolvidas: para quem assiste, para quem patrocina e para quem faz o show. ''

LEIA MAIS:

Por divisão de cotas, Globo mudará medição de audiência do PPV em 2019
Corinthians negocia com Esporte Interativo
Vice do São Paulo incomoda cartolas do Corinthians ao falar sobre Globo
Globo não muda Pay-per-view, e Fla e Corinthians terão mais dinheiro
Globo acredita em blefe do Esporte Interativo
Clubes dissidentes analisam também proposta da Globo por Brasileirão

Turner tenta acordos com novos clubes, mas enfrenta fidelidade à Globo
Bahia se torna o segundo clube a trocar Globo pelo Esporte Interativo
Por decisão unânime, Atlético-PR aceita proposta do Esporte Interativo