PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Globo aumenta pay-per-view e dá luvas de R$ 120 mi para Fla

rodrigomattos

01/04/2016 06h00

No novo contrato do Brasileiro-2019, a Globo aumentou o percentual do Flamengo no pay-per-view e dará luvas de R$ 120 milhões, parceladas para o clube. Foi uma forma de compensar a agremiação rubro-negra pela decisão de dividir de forma mais igualitária as receitas de TV Aberta e Fechada. Assim, o clube mantém vantagem sobre os outros.

Flamengo e Globo já acertaram todos os valores e condições do novo contrato. Agora, o acordo será levado ao Conselho Deliberativo na terça-feira. Conselheiros já podem consultar os termos da proposta. A perspectiva é de discussões acaloradas já que o compromisso é longo – até 2024 – e extrapola o mandato de Eduardo Bandeira de Mello.

Desde que há negociações individuais, rubro-negros e corintianos têm vantagens na cota de tv Aberta, o que mudou para 2019 com a exigência de outros times de divisão mais igualitária. Agora, será dividido em 40% igual, 30% por posição e 30% por exibição.

Em compensação, a Globo aumentou o percentual do Flamengo no pay-per-view. Atualmente, o clube ganha 15,7% de acordo com pesquisa feita pelo Ibope. Pelo novo contrato, a emissora carioca garante ao time um mínimo de 18,5% do total do pay-per-view. Se a pesquisa não der essa fatia ao clube, a Globo lhe paga por fora.

Em 2019, o patamar mínimo do pay-per-view será de R$ 650 milhões. Isso significa que o Flamengo espera ter R$ 120 milhões líquidos só desta mídia. Hoje, ganha em torno de R$ 75 milhões. O montante total vai depender de variáveis de desempenho e de exibição.

Outra vantagem é que o Flamengo ganhará luvas de R$ 70 milhões agora em 2016. Três anos depois, terá luvas de R$ 30 milhões. E outro pagamento em separado em 2021 de R$ 20 milhões. No total, R$ 120 milhões a parte do contrato igualitário para os outros.

Apesar do mimo da Globo, há entre conselheiros rubro-negros quem questione se esse contrato é de fato vantajoso para o clube. Explica-se: pelo acordo atual, o clube já deve levar R$ 170 milhões. Conselheiros argumentam que, com o novo montante, pode apenas haver um aumento da inflação sem grande ganho em um ambiente competitivo em que havia a proposta do Esporte Interativo.

Se o clube tivesse aceitado a proposta da Turner, teria R$ 550 milhões de TV Fechada considerados todos os clubes, e negociaria a TV Aberta com a Globo. Ao fechar com a Globo, o bolo total é de R$ 1,1 bilhão incluindo Aberta e Fechada, considerados todos os clubes. Para efeito de comparação, hoje, a Globo já paga R$ 750 milhões na Aberta.

Mas membros da situação rubro-negra argumentam que não havia garantia de que a Globo faria uma proposta alta ao Flamengo pela TV Aberta e pay-per-view caso negociassem com o Esporte Interativo. Assim, temiam colocar em risco a principal fonte de renda do clube que é a televisão. Ao fechar com a Globo, garantem um valor total maior na visão deles.

Além disso, integrantes da diretoria alegam que há um aumento, sim, do valor nominal do contrato (descontada a inflação). Outro ponto é que a diretoria do Flamengo conseguiu aumentar sua fatia no bolo da TV em um ambiente em que outros times pressionavam por igualdade. A maior preocupação de dirigentes do clube era manter sua posição de vantagem sobre os rivais.

 

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Blog do Rodrigo Mattos