PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Ex-presidente do Barça depositou R$ 13 mi para Teixeira quando na CBF

rodrigomattos

23/11/2016 14h54

O ex-presidente do Barcelona Sandro Rossel depositou R$ 13 milhões na conta do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira enquanto ele estava no cargo. Essa informação consta do relatório paralelo da CPI do Futebol, e de inquérito da Polícia Federal que pediu o indiciamento dos dois por crimes financeiros. Considerado o dinheiro dado por meio dos filhos, o total chega a R$ 20 milhões.

A relação entre os dois dirigentes começou com a negociação do contrato com a CBF e a Nike. Tornaram-se amigos. Sua relação passou a ser investigada quando a empresa Alianto, da qual Rossel era dono, recebeu R$ 9 milhões em dinheiro público para organizar o amistoso Brasil x Portugal em 2009.

Depois disso, já tinham sido encontrados movimentações financeiros indiretas entre os dois. Primeira, revelou-se que Teixeira recebeu dinheiro da sócia da Ailanto, Vanessa Precht. Depois, o blog do Juca revelou que a filha do ex-presidente da CBF recebera de Rossel em sua conta. O valor que consta na CPI é de R$ 3,6 milhões.

A quebra de sigilo bancário de Teixeira revelou um pagamento ainda maior diretamente entre os dois dirigentes em 2012. Ou seja, o depósito milionário ocorreu um pouco antes do cartola deixar a presidência da CBF.

"Apenas uma operação ponderada suspeita deixou de constar no RIF/COAF n. 18874, tratando-se de transferência efetivada por ALEXANDRE ROSELL FELIU, Banco Rural, Agência n. 001, conta n. 8.800.336-4, no valor de R$ 13 milhões, no dia 25/01/2012, para a conta de RICARDO TERRA TEIXEIRA no Banco Rural", conta o relatório da CPI.

Sandro Rossel foi responsável pela segunda maior movimentação de dinheiro encontrada com Teixeira nos anos de 2007 a 2012, sendo o primeiro a corretora Ativa Investimento. E, além do dinheiro depositado diretamente, foram feitos mais dois pagamentos para os filhos de Teixeira: Ricardo Teixeira Havelange e Roberto Teixeira Havelange. Cada um teve o valor de R$ 1,8 milhão, no meio de 2011.

Os três filhos de Teixeira que receberam dinheiro de Rossel repassaram os valores para seu pai, seja em aplicações, seja em dinheiro. Ou seja, na prática, o cartola ganhou R$ 20 milhões do ex-presidente do Barcelona. Todas as movimentações foram consideradas atípicas pelo Banco Central e por isso investigadas.

Essa é um das suas movimentações registradas no COAF que chegaram a R$ 464 milhões entre créditos e débitos, como revelara a Revista Época. Por isso, ele passou a ser investigado pela PF que concluiu o inquérito em 2015 com quatro pedidos de indiciamento do cartola. Ou seja, todas as transações de Rosell e Teixeira estão nas mãos do Ministério Público Federal, em sigilo, para elaborar denúncia.

Assim como Teixeira, que saiu da CBF em 2012, Rosell renunciou ao Barcelona em 2014 por outra investigação: o caso Neymar. Ele é acusado de irregularidades na contratação do atacante do Santos em caso investigado na Justiça Espanhola.

O blog ligou para o advogado de Teixeira, mas não conseguiu contato para esclarecimento do assunto. Anteriormente, o advogado Michel Asseff Filho informara que não fora comunicado de nenhuma novidade em relação a inquérito contra seu cliente no Brasil. Nos EUA, há também um pedido de indiciamento de Teixeira por corrupção ao receber propina em contratos da CBF.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Blog do Rodrigo Mattos