Blog do Rodrigo Mattos

Fla assina contrato com opção para comprar terreno para fazer estádio

rodrigomattos

Terreno que o Flamengo assinou opção de compra para fazer seu estádio. (É o espaço cercado por dois canais, a Av. Brasil e a Rua Prefeito Julio de Moraes Coutinho)

A diretoria do Flamengo assinou um contrato com opção de compra de um terreno na Av. Brasil para a construção de seu próprio estádio. A notícia foi dada primeiro pelo colunista Lauro Jardim, de ''O Globo'' e confirmada pelo blog. Isso não significa que o clube descartou concorrer ao Maracanã.

Colado a uma canal, o terreno fica colado na Av. Brasil na região entre Manguinhos e Benfica, na zona norte do Rio de Janeiro. Pertence a empresa que controla a Refinaria de Manguinhos, a Peixoto e Castro.  O contrato é válido por quatro meses e não torna obrigatória a compra. O clube tem esse período para decidir se leva adiante a operação.

Esse era um dos três terrenos estudados pelo clube para um estádio de 50 mil pessoas. Havia outras duas opções na Barra da Tijuca para as quais o clube ainda pode se voltar caso entenda não ser vantajoso esse na zona norte.

A diretoria do clube avança com o projeto do estádio enquanto espera pelas condições da concorrência do Maracanã. Cada vez que a licitação do Estado do Rio de Janeiro demora reduzem as chances de o clube se interessar por esta. Mas o clube ainda não descarta se voltar ao estádio tradicional se as condições forem vantajosas na concorrência. O prazo é até o final do ano para tomar uma decisão.

O projeto do novo estádio é estimado em R$ 550 milhões pela diretoria do clube, incluindo o preço da compra do terreno. A ideia é financiar tudo com recursos próprios.

Uma modelo que serve de inspiração é o estádio do Atlético-PR. Isso porque a arena permite uma maior setorização, o que reduz custos de manutenção e aumenta as possibilidade de rentabilidade.

Já existem até esboços do projeto de estádio rubro-negro. Com a opção de compra, o clube vai avançar nos estudos para viabilidade no local. O terreno foi usado pela Refinaria para fins industriais. A informação inicial é de não ser complicado mitigar os impactos de meio-ambiente no local.