Blog do Rodrigo Mattos

Nova rodovia ameaça inviabilizar projeto de estádio do Flamengo

rodrigomattos

O projeto de estádio do Flamengo na Av. Brasil sofre uma séria ameaça por conta de uma nova rodovia que tem previsão de passar em volta do terreno escolhido pelo clube. A diretoria rubro-negra já está consciente que isso deve inviabilizar o projeto e tenta conversar com autoridades, mas já cogita procurar novo local. A concessionária da ponte, Ecoponte, diz que o trajeto é definitivo e aprovado por prefeitura e governo do Rio.

O Flamengo assinou uma opção de compra de um terreno entre a Av. Brasil e a Av. Julio de Moraes Coutinho, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Tem até o final do ano para decidir se o adquire para realizar seu estádio. Havia otimismo pelo preço do terreno e pelas condições de acesso para a torcida.

Só que, no final de outubro, o governo do Estado e a Ecoponte anunciaram que estava prevista nova via de acesso entre a Linha Vermelha e a Ponte Rio-Niterói que passará justamente em cima da Av. Julio de Moraes. Será uma rodovia federal que, em seguida, entra para dar acesso à Av. Brasil.

A questão é que a ideia inicial do projeto do Flamengo era fazer o acesso da torcida ao estádio justamente pela Av. Julio de Moraes, o que seria inviabilizado por uma rodovia federal em que não pode haver travessia. Do lado da Av. Brasil, a entrada de grandes volumes de pessoas também se tornaria impossível pela alça de acesso à Av. Brasil. Dos outros dois lados, há canais, então, é impossível entrar por lá. Ou seja, o terreno estaria cercado.

Ciente do problema, a diretoria do Flamengo conversou com a Ecopontes, responsável pelo projeto, e com a prefeitura do Rio de Janeiro. A ideia era descobrir se pode haver uma modificação no projeto atual da via. Até porque, esta parte da rodovia, só seria realizada a partir de 2020. Assim, até lá, o clube quer saber se a via pode ser deslocada, para um trajeto diferente.

Mas a Ecoponte informou que o projeto é definitivo e que desconhece o projeto do estádio. Enquanto isso, a prefeitura do Rio diz que a via está em análise e o governo do Estado não respondeu às perguntas.

Por isso, dirigentes do Flamengo têm a consciência de que, se não for resolvido esse problema até o final do ano, não será possível comprar o terreno. Assim, a diretoria rubro-negra já estuda procurar nova área. O Flamengo pode também não comprar o terreno e esperar uma mudança no projeto porque ele já estaria desvalorizado, mas ficaria com projeto pendente.

O trajeto da via de acesso da Linha Vermelha para a Ponte Rio-Niterói era diferente inicialmente, segundo o edital de licitação. Mas, no final de outubro, em um vídeo do jornal ''O Globo'', o superintendente da Ecopontes, Alberto Lodi, anunciava o novo projeto que passa ao lado do terreno escolhido pelo Flamengo, o circundando. Alegava menor impacto a terrenos para serem adquiridos e evitar passar pelo Cemitério do Caju.

Em nova, a Ecoponte informou que as obras ''de alça da Linha Vermelha e Avenida Portuária'' fazem parte da concessão da Ponte.  E acrescentou: ''A concessionária informa que os traçados em questão são definitivos, e aprovados pelo Governo do Estado e Prefeitura do Rio. A concessionária esclarece ainda que desconhece o projeto do estádio.''

Questionada, a Secretaria municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação informou apenas ''que o projeto ainda está em analise. Por esse motivo ainda é cedo para falar a respeito.'' O governo do Estado do Rio de Janeiro não quis se pronunciar, alegando ser responsabilidade da prefeitura.

Fato é que a prefeitura tinha, antes, dado um ok inicial a ideia do terreno do Flamengo. Mas, agora, a concessionária da Ponte informa ter obtido aprovação do município do Rio de uma rodovia que circunda o terreno e o torna inviável.