Blog do Rodrigo Mattos

Fifa vai pedir indenização se ficar provada propina de Globo por Copa

rodrigomattos

A Fifa vai pedir indenização a responsáveis caso fique provado que houve pagamento de propina pela Globo para obtenção de contratos de direitos de televisão da Copa-2022 e 2030. Em corte de Justiça dos EUA, o ex-executivo da Torneo Y Competencias Alejandro Burzaco afirmou que a emissora brasileira pagou subornos ao ex-presidente da Fifa Julio Grondona para obter esses direitos. A Globo nega ter dado suborno a dirigentes.

O blog perguntou à Fifa o que seria feito em relação ao contrato da emissora brasileira pela Copa após a denúncia. Como tem feito neste processo, a federação internacional afirmou ser vítima de irregularidades denunciadas na corte de Nova York, como já reconhecido na própria Justiça. Em seguida, ressaltou que ainda espera o final do processo para tomar medidas.

''Como o Departamento de Justiça já reconheceu, a Fifa é vítima de alegadas irregularidades que estão sob questão no julgamento. A Fifa fortemente apoia e encoraja as autoridades norte-americanas pelos esforços de responsabilidade os indivíduos que abusaram das suas posições para corromper o futebol internacional para seu benefício próprio. No caso de o juri constatar que os acusados são culpados dos crimes que são acusados, a Fifa vai tomar medidas necessárias para procurar restituição e recuperar qualquer perda causada pelas suas más condutas'', afirmou a entidade em resposta ao blog.

Em relação à conduta do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, a Fifa não quis dar mais informações. O depoimento de Burzaco deu mais detalhes sobre supostas propinas recebidas pelo dirigente da confederação, reafirmando que ele sabia do esquema de subornos da Conmebol. Del Nero já enfrenta um processo disciplinar na Fifa desde o final de 2015, mas não houve conclusão.

Por meio da assessoria, o Comitê de Ética da Fifa afirmou que não comentará casos em curso.

Veja a nota da Globo sobre o tema:

''Sobre depoimento ocorrido em Nova York, no julgamento do caso Fifa pela Justiça dos Estados Unidos, o Grupo Globo afirma veementemente que não pratica nem tolera qualquer pagamento de propina. Esclarece que após mais de dois anos de investigação não é parte nos processos que correm na Justiça americana. Em suas amplas investigações internas, apurou que jamais realizou pagamentos que não os previstos nos contratos. Por outro lado, o Grupo Globo se colocará plenamente à disposição das autoridades americanas para que tudo seja esclarecido. Para a Globo, isso é uma questão de honra. Não seria diferente, mas é fundamental garantir aos leitores, ouvintes e espectadores do Grupo Globo que o noticiário a respeito será divulgado com a transparência que o jornalismo exige.''