Blog do Rodrigo Mattos

Com Libertadores, Grêmio terá receita R$ 59 mi maior em 2017

rodrigomattos

Impulsionado pela boa campanha na Libertadores, o Grêmio terá uma receita pelo menos R$ 59 milhões maior do que o previsto para 2017. Os principais fatores para esse aumento são a venda de Pedro Rocha, o aumento do quadro de associados e as premiações da competição sul-americana. Esses fatores estão ligados ao bom desempenho no campeonato, direta ou indiretamente.

A previsão inicial do Grêmio para o ano era de uma receita de R$ 266 milhões. Essa estimativa vinha sendo cumprida em valor bem próximo no primeiro semestre do ano quando a renda ficou em R$ 137 milhões, segundo o balancete do clube.

Mas, no segundo semestre, o avanço do time gremista na competição continental levou ao crescimento das receitas e a uma revisão orçamentária. O valor revisto de receita é de R$ 325 milhões, isto é, R$ 59 milhões maior do que  o valor anterior.  Ressalte-se que isso não inclui renda de bilheteria que fica com a OAS por conta de acordo da arena.

''Não é só a Libertadores. Houve um aumento do quadro associativo, a venda de Pedro Rocha'', explicou o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Jr ao blog. ''O título traz ganho para nossa história, para nossa parte esportiva.''

A negociação do jogador atingiu R$ 45 milhões, a maior da história. Assim, o clube superou a previsão de R$ 61,2 milhões com venda de atletasjá que Wallace fora negociado no primeiro semestre. Mas o desempenho na Libertadores foi fundamental para despertar o interesse do Spartak tanto em Luan quanto em Pedro Rocha.

Pois bem, além disso, o Grêmio terá uma receita de pelo menos US$ 1,5 milhão na final se for vice, e US$ 3 milhões em caso de título da Libertadores. Isso representaria cerca de R$ 10 milhões extras já que só havia previsão de R$ 1 milhão em premiações e loterias neste semestre. Caso ganhe a competição, haverá ainda as cotas do Mundial da Fifa em dezembro.

Em paralelo, há o aumento do quadro associativo citado por Bolzan que tem relação direta com a Libertadores. Tanto que o Grêmio chegou a 92 mil sócios perto da final, e a diretoria estima atingir 100 mil até o final do ano. As associações ocorrem por conta da vontade de comprar ingressos e por conta do bom momento do time.