Blog do Rodrigo Mattos

Agentes escondem ganhos com comissões da CBF e desrespeitam regra da Fifa

rodrigomattos

Com Vinícius Castro

Empresários de jogadores não estão informando seus ganhos com comissões em transferências e contratos de jogadores, descumprindo o regulamento de intermediários da CBF. É possível constatar a omissão com um cruzamento de dados do relatório da CBF para agentes, além de documentos financeiros de clubes. A confederação admite o problema e vai notificar agentes para regularizar a situação. Na lista oficial, quem paga mais é o Corinthians.

No fim de março, em cumprimento à regra da Fifa, a CBF publicou o relatório de intermediários de 2018, que inclui o prazo entre abril de 2017 e março deste ano. O documento tem a relação de cada empresário que participou das 732 transações do período.

Na lista dos clubes aparece um total de R$ 35,333 milhões pagos em comissões. Neste cenário, seriam R$ 48 mil de pagamento aos empresários por cada transação, um número bem abaixo do valor no mercado.

''Sempre falo isso [que a maioria dos empresários não informa seus ganhos]. De 300 ou 400 transações, 50 ou 100 declaram os valores. Por que não declaram?'', questiona o diretor do departamento de registros da CBF, Reinaldo Buzzoni. ''Clubes não estão descumprindo nada porque só têm de dizer que há o intermediário.''

Os balanços comprovam a afirmação, já que os clubes declararam o quanto pagaram aos agentes. O Flamengo, por exemplo, relatou em seu balanço pagamento de R$ 17,7 milhões em comissões em 2017. Na lista da CBF, que deveria ser preenchida pelos empresários, não aparece nenhum valor pago pelo clube. No caso do Palmeiras, o clube fez 33 transferências registradas com participação de agentes. No entanto, os intermediários só informaram ter recebido R$ 1,2 milhão do clube alviverde.

Quem pagou o maior número de comissões declaradas foi o Corinthians, com um total de R$ 12,9 milhões pagos aos agentes – o clube alvinegro é responsável por mais de um terço do total declarado. O blog apurou que isso tem relação com a Elenko, do empresário Fernando Garcia, estar informando suas comissões depois de várias notificações. A empresa tem número considerável de operações do clube.

A CBF está cruzando dados do registro de comissões com balanços financeiros dos clubes que foram repassados pelas agremiações. Notícias de imprensa também serão utilizadas nesse processo. A partir daí, a confederação vai notificar o empresário para informar os valores e perguntar se ele recebeu. Caso o empresário esconda os dados, enfrentará processo na Câmara de Resolução de Disputas da CBF, que decide questões sobre transferências.

''Já existem vários processos relacionados a isso. Está evoluindo. Em 2015 ninguém declarava, em 2016, aumentou, em 2017, também'', contou Buzzoni. ''Vamos cruzar as informações. Se o clube diz que participou, ele não recebeu nada? Trabalhou de graça?''

O regulamento dos intermediários da CBF prevê que os empresários têm até 30 dias para notificar o valor que receberam de comissões a partir do registro da transação. Ele tem de preencher um formulário nesse sentido. Posteriormente, se a confederação tiver dúvida, também pode perguntar para os clubes o valor que pagaram para cruzar os dados. Um processo na CNRD (Câmara de Disputas) pode até levar ao descredenciamento do agente.

A atividade financeira de empresários de futebol já está na mira da Receita Federal, que também prepara uma legislação específica para regulá-los. A intenção é justamente coibir sonegação. Veja abaixo quem pagou mais comissões declaradas:

Corinthians – R$ 12,9 milhões

São Paulo – R$ 4,5 milhões

Santos – R$ 4 milhões

Internacional – R$ 3,7 milhões

Palmeiras – R$ 1,2 milhão

Cruzeiro – R$ 1,2 milhão