Blog do Rodrigo Mattos

Resta saber até onde Ronaldo carregará Portugal nas costas

rodrigomattos

No confronto entre os dois times, Marrocos teve mais posse de bola, mais conclusões a gol, mais bolas recuperadas do que Portugal. Para além dos números, trabalhou melhor no coletivo. A equipe portuguesa só venceu por um motivo: Cristiano Ronaldo.

Com quatro gols em dois jogos, o atacante tem refletido literalmente a máxima de ''carregar um time nas costas''. Foi preciso apenas quatro minutos para que ele marcasse o seu gol aproveitamento cruzamento na área.

Depois disso, o jogo foi essencialmente marroquino. Triangulações pelos dois lados de campo, chegadas constantes na área portuguesa. Ao final, foram 14 finalizações do time africano contra seis dos portugueses, considerando apenas as que não foram bloqueadas.

Não dá nem para dizer que a defesa portuguesa funcionou como em outras competições como a Euro conquistada. Foi graças a Rui Patrício, em uma belíssima defesa, e à falta de pontaria marroquina que não ocorreu o empate.

No ataque, Ronaldo recebia poucas bolas, muitas delas truncadas, e cercadas. Errou uma conclusão na área que sobrou para ele, e desperdiçou duas cobranças de falta. Mas é fato que a única chance clara que teve converteu. Sem espaço, forçou dribles para sofrer faltas e até pediu um pênalti inexistente após queda na área.

O problema é que não há nenhum resquício de bom futebol em Portugal para além de seu craque. Resta saber até que fase da Copa o melhor jogador do mundo conseguirá levar sua seleção.