Blog do Rodrigo Mattos

Negociação entre Globo e Turner trava após oferta por fatia do Brasileiro

rodrigomattos

A Globo aposta em comprar a fatia dos direitos do Brasileiro que pertencem à Turner, seja diretamente seja por meio dos clubes se houver um rompimento. Mas essa possibilidade, no momento, está parada e não deve acontecer pelo menos na edição do Nacional de 2019. A negociação entre as emissoras travou e qualquer ação dos times vai demorar a fazer efeito mesmo se bem-sucedida.

A Turner terá contrato de direitos com seis ou sete clubes para o Nacional-2019, Palmeiras, Internacional, Santos, Atlético-PR, Fortaleza, Bahia e Ceará, sendo que os dois últimos ainda lutam para ficar na Série A. Mas, desde o final do canal Esporte Interativo, surgiu uma incerteza em relação à continuidade do projeto, embora a empresa reafirme que dará seguimento a ele.

Neste contexto, há conversas em curso com a Globo. A emissora carioca chegou a sondar com a Turner a possibilidade de comprar todos os direitos do Brasileiro pertencentes à empresa norte-americana.

A ideia seria assumir todos os custos e, em troca, ceder um pacote de jogos da Copa do Brasil. A oferta, não formalizada, foi rechaçada. Isso tornou mais frias as conversas entre as partes que avançavam para tentar um acordo de divisão de jogos.

Em paralelo, a Globo observa a movimentação dos clubes em disputa com a Turner. Foi formado um grupo com Bahia, Internacional, Santos e Coritiba, com a possível participação do Ceará. Em reunião, decidiram pressionar a Turner por, entre outros motivos, as luvas supostamente maiores pagas para o Palmeiras. Todos receberam R$ 40 milhões, e o clube alviverde, R$ 100 milhões por dois contratos – a Turner alega que um deles nada tem a ver com as luvas. A intenção dos clubes é conseguir indenizações ou a rescisão.

O grupo de clubes enviou uma notificação extrajudicial à Turner questionando o que alegam ser um descumprimento do contrato: todos deveriam receber igual e os palmeirenses ganharam mais pelas luvas. A empresa já respondeu que o contrato refere-se a direitos sobre cadastros de sócios e amistosos internacionais, não tendo, na sua versão, relação com luvas.

Agora, os clubes vão se reunir para decidir se levam o caso para o tribunal de arbitragem onde exigiriam indenizações ou o rompimento do contrato. Um dirigente ouvido pelo blog apontou que já foram reunidas provas de que o Palmeiras ganhou por luvas. Mas, ainda que optem pelo litígio, os próprios clubes sabem ser difícil uma resolução antes do Brasileiro-2019. A expectativa é de que o tribunal demore um ano.

Assim, o cenário mais provável é que a Turner transmita os jogos desses seis ou sete clubes do Brasileiro-2019 em seus canais TNT e Space. Está em aberto se haverá um acordo com a Globo para troca de direitos de partidas, o que evitaria que alguns jogos entre times das duas emissoras fiquem fora da tela.

Perguntada pelo blog, a Turner não falou sobre negociações, mas reafirmou sua intenção de exercer seus direitos sobre o Brasileiro e transmitir os jogos. Veja a nota:

''A Turner reafirma sua estratégia de investir em propriedades de primeira linha do futebol, como a Liga dos Campeões e a Série A do Campeonato Brasileiro e continua firmemente comprometida em valorizar e fortalecer sua relação com os clubes com os quais têm contratos. A presença da Turner no esporte é positiva para todos os players do mercado, estimula a concorrência saudável, valoriza o espetáculo e, principalmente, beneficia os clubes e os fãs do futebol. A Turner entra em campo a partir de 2019 com a Série A do Campeonato Brasileiro, criando uma experiência única e ainda mais emocionante para o consumidor brasileiro.''