Blog do Rodrigo Mattos

Corinthians e Vasco é jogo que vale milhões de TV e futuro dos clubes

rodrigomattos

Ameaçados de rebaixamento, Corinthians e Vasco disputam jogo que vale milhões em cotas de TV do Brasileiro e o futuro dos dois clubes para os próximos anos. Explica-se: pelo novo modelo de distribuição de receita de televisão os times grandes não têm mais salvaguarda quando caem à Série B, isto é, nada ganharão da primeira divisão. E os dois alvinegros carioca e paulista enfrentam graves crises financeiras.

Até 2018, os contratos de televisão com a Globo previam a manutenção da cota de televisão para o ano seguinte à queda de um grande para a Segundona. No segundo ano, ficaria com 50%. Isso acabou com o novo contrato.

Para se ter ideia do impacto, o estudo da Ernest & Young com Cesar Grafietti sobre cotas de TV estima que o Corinthians pode ganhar até R$ 271 milhões da televisão no Brasileiro de 2019 com o novo modelo de distribuição. Sem a salvaguarda, a cota de televisão da Série B é R$ 6 milhões por clube.

Claro que, com a força de sua torcida, o Corinthians poderá negociar um acordo paralelo para a Série B como já aconteceu em outras circunstâncias – o mesmo vale para o Vasco. E talvez pleitear um dinheiro pelo pay-per-view. Mas não poderá requisitar participação no bolo da Série A, o que gera uma perda considerável para seus caixas. De garantido, só os R$ 6 milhões.

No caso vascaíno, o caso é mais grave. O mesmo estudo da Ernest & Young e de Grafietti prevê receitas de R$ 103,6 milhões para o Vasco com o Brasileiro da Série A de 2019. Mas os vascaínos têm problemas extras: uma parte significativa de suas cotas com a Globo foi antecipada pela gestão de Eurico Miranda. Ou seja, se não tivesse direito a cotas da Série A, essa pendência comprometeria temporadas futuras.

Além disso, o Vasco é bem mais dependente de cotas de televisão do que o Corinthians. No ano de 2017, último com contas completas disponíveis, o clube teve 80% de sua arrecadação proveniente da Globo. No caso corintiano, foram 37% para o período de 2017 porque o clube tem mais patrocínio e venda de jogadores.

Essas perdas seriam ainda mais sentidas se levarmos em conta que o Vasco foi deixado em situação de penúria financeira por Eurico. Ainda tem dificuldades de pagar salários em dia e teve de pegar um empréstimo de cerca de R$ 40 milhões para fechar o ano. A dívida é crescente pelo balanço publicado pela gestão de Alexandre Campelo, embora Eurico tenha feito um documento paralelo.

No caso corintiano, o clube vive mais um ano de déficit financeiro mesmo com o desmanche do elenco campeão em 2017. A dívida continua a crescer e atingiu R$ 504 milhões, excluído o débito da Arena Corinthians.

Feitas todas essas contas, uma vitória no estádio corintiano se torna crucial para ambos os times. O Vasco tem 39 pontos e está a dois da zona de rebaixamento, enquanto o Corinthians tem um ponto a mais. É bem possível que a pontuação necessária para fugir do descenso seja inferior ao patamar habitual de 45.

Mas as rodadas finais dos dois times estão longe de serem fáceis: os vascaínos pegam o provável campeão Palmeiras, além de São Paulo e Ceará. Já o Corinthians tem um jogo contra a Chapecoense, em confronto direto na luta contra Série B, e duas outras partidas com times de cima, Furacão e Grêmio.