Blog do Rodrigo Mattos

Conmebol analisa final única na Recopa o que tiraria mando do Furacão

rodrigomattos

A Conmebol analisa realizar a final da Recopa entre River Plate e Atlético-PR em final única como ocorrerá com a Libertadores e a Sul-Americana. A explicação da entidade é de que se poderia criar um espetáculo mais rentável. Mas seria uma opção para evitar jogar a decisão em um Monumental com portões fechados.

As finais entre Athlético-PR e River Plate estão previstas para fevereiro em dois jogos, sendo o primeiro no estádio do Furacão como manda o regulamento e o segundo, na Argentina. O problema é que o River foi punido com dois jogos  de portões fechados pelos incidentes da final da Libertadores. Ou seja, a decisão ocorreria sem público.

''Estamos analisando a final única na Recopa'', contou o diretor técnico da Libertadores, Frederico Nantes. Ainda não há uma decisão. Caso se opte pela final em jogo único, poderia ser até fora da América do Sul caso exista uma boa proposta financeira. A final da Libertadores foi bem rentável apesar dos altos impostos na Espanha porque o ingresso médio custava em torno de US$ 150,00, o triplo do Monumental.

A decisão também poderia ocorrer em um estádio sul-americano neutro. Certo é que, se houvesse jogo único, o Athlético-PR perderia a chance de jogar mais uma final internacional em seu estádio.

''Ainda não posso falar nada porque desconheço essa possibilidade. Não sei de nada'', disse o presidente do Athlético-PR, Mário Celso Petraglia.

Em compensação, o River teria de jogar dois em vez de um jogo com portões fechados na fase de grupo da Libertadores. Isso pode beneficiar o Internacional e até o São Paulo que pode cair no grupo do time argentino se passar das fases preliminares.