Topo
Blog do Rodrigo Mattos

Blog do Rodrigo Mattos

Categorias

Histórico

Como será a 'empresa Fla-Flu' que vai gerir o Maracanã

rodrigomattos

2006-04-20T19:04:00

06/04/2019 04h00

Anunciados como novos gestores do Maracanã pelo governo do estado, Flamengo e Fluminense vão fundar uma empresa independente que vai ser responsável pelas contas do estádio. Será ela a responsável por receber receitas e pagar despesas do estádio dividido igualmente. Rendas de jogos continuam em separado. Entenda o modelo abaixo em tópicos:

1) A proposta de Flamengo e Fluminense aceita pelo governo envolve o pagamento de todas as despesas de operação e manutenção do estádio por seis meses, mais um repasse mensal de R$ 230 mil para o governo do Estado (R$ 167 mil para custear equipamentos esportivos, e R$ 64 mil referente à visitação). A permissão é por seis meses, renováveis por seis meses.

2) A previsão é os clubes assinarem o contrato na próxima sexta-feira. Na ocasião, terão de dar uma garantia bancária no valor de R$ 700 mil. Isso representa 5% da avaliação patrimonial do Maracanã.

3) Com a gestão do estádio, Flamengo e Fluminense criarão uma empresa para gerir o estádio e o Maracanãzinho. As rendas dessa empresa virão dos aluguéis para jogos, pagos inclusive pelos dois, de shows e visitação do Maracanã, entre outras receitas que venham a ser criadas. Receitas e custos serão divididos meio a meio entre os dois. A estimativa é de que o custo do estádio é de R$ 28 milhões por ano, fora as operações de jogos. Por seis meses, os dois devem ter de investir em torno de R$ 16 milhões a R$ 17 milhões para manter o estádio.

4) As bilheterias dos clubes e vendas de bebidas e comidas nos jogos são receitas próprias de cada clube, separadas, e não vão para a conta da empresa. Cada clube pagará aluguel de R$ 90 mil por jogo. Com a Odebrecht, os times tinham que pagar R$ 120 mil para jogo comum, e R$ 150 mil para clássicos. Quando a renda era maior, tinham que pagar um percentual de até 15% à empresa. Ou seja, há uma redução do valor para todos. Assim, Vasco e Botafogo também terão condições mais vantajosas do que antes, além de aumentarem suas rendas com bebidas. As despesas de operações de jogos, segurança, limpeza, luz e água, continuam a ser pagas pelos clubes no borderô.

5) A vantagem para os clubes é que a expectativa é de que queda das despesas de jogos assim como do aluguel. Por exemplo, o Flamengo teve renda de R$ 2,5 milhões do jogo com o Peñarol e teve de pagar um aluguel bem mais alto do que os R$ 90 mil. Sem o intermediário que prevê lucro, sobra mais da bilheteria.

6) A expectativa de Flamengo e Fluminense é que a empresa gestora fique no zero a zero, ou seja, empate receitas e despesas. Ou que tenha uma perda pequena. Assim, o ganho vem nas suas rendas de jogo.

7) Fla-Flu dividem igualmente as decisões sobre o estádio como calendário de jogos, expansão de eventos para aumentar receitas, etc.

8) Ao assumir o estádio por seis meses, com possibilidade de mais seis meses, a dupla Fla-Flu terá condições de conhecer plenamente o custo real do estádio, assim como possibilidades de aumento de receitas. O Flamengo já tem conhecimento em parte dessa conta, mas com a gestão vai poder avançar bastante neste aspecto. Assim, os dois clubes esperam estar mais preparados para a licitação que o governo fará para uma Parceria Público-Privada.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Mais Blog do Rodrigo Mattos