Topo

Histórico

Categorias

Cruzeiro e Galo devem R$ 182 mi a clubes por transferências, dizem balanços

rodrigomattos

16/04/2019 14h59

Com Thiago Fernandes

Os balanços de Atlético-MG e Cruzeiro de 2018 registram uma dívida total de R$ 182 milhões com outros clubes em transferências não pagas. Houve pagamentos feitos em 2019 que reduziram esse montante como os relacionados a Diego Tardelli e Mancuello, só que os clubes também fizeram novas contratações então não é possível calcular o valor atualizado. Boa parte dessa dívida dos times mineiros é com clubes estrangeiros e resultou em ações na Fifa que podem gerar punições como perda de pontos.

As contas de Galo e Cruzeiro mostram um quadro de despesas maiores do que as receitas, de crescimento ano a ano da dívida e de compromissos pesados a serem pagos neste ano. Ambas as diretorias têm feito promessas de austeridade, mas não é a direção que seus balanços apontam.

O Cruzeiro tem registrado uma dívida com clubes de R$ 90,8 milhões ao final de 2018, um crescendo de R$ 20 milhões no ano. Desse total, são R$ 53,3 milhões com clubes estrangeiros, sendo que a maior parte é cobrada em ações na Fifa como reconheceu a agremiação celeste nas notas explicativas. Ou seja, houve atraso de parcelas. Outros R$ 37,5 milhões são de débitos com clubes nacionais.

O relatório aponta que o Cruzeiro reduziu em R$ 4,4 milhões seus débitos relacionados a transferências já em 2019 após o fechamento do período do balanço. O valor quitado com clubes foi com o Flamengo, referente a Mancuello, em compensação na transação de Arrascaeta. Foi um montante de R$ 3,7 milhões. O restante foi com um agente.

No total, a dívida líquida cruzeirense aumentou em R$ 73 milhões durante o ano de 2018. Atingiu agora o patamar de R$ 445 milhões. (Essa conta soma o passivo circulante e não circulante, e diminui o ativo circulante e depósitos). O maior aumento da dívida é relacionado a empréstimos bancários – foram R$ 43 milhões só com o fundo Polo que antecipa dinheiro de televisão.

No início de janeiro, o vice-presidente de Futebol cruzeirense Itair Machado dissera ao Sportv que reduzira em cerca de R$ 100 milhões a dívida do Cruzeiro em 2018. O balanço do clube desmente essa afirmação, e aponta na realidade um crescimento do débito.

No caso do Atlético, a dívida registrada com clubes de futebol é de R$ 91,6 milhões, um crescimento em torno de R$ 17 milhões a mais do que em 2017. Desse total, houve uma redução com o pagamento de Diego Tardelli em 2019 que ficou em torno de R$ 13 milhões – a quitação ocorreu porque o clube perderia pontos por decisão final do tribunal. Com isso, a dívida atual giraria em torno de R$ 78 milhões. Mas, assim como o Cruzeiro, houve novas contratações no ano o que torna impossível saber o valor exato neste mês.

Um dado preocupante para o Galo é que, da sua dívida com clubes, R$ 86,8 milhões tinham que ser quitados neste ano de 2019, incluído o valor já pago por Tardelli. São R$ 58 milhões de pendências com clubes do exterior, e portanto, também passíveis de ações na Fifa para retirada de pontos. O clube fica bastante ameaçado de punição esportiva neste cenário.

Assim como o Cruzeiro, Atlético-MG teve um aumento de dívida total líquida em 2018. Seu débito era de R$ 538 milhões ao final de 2017, e passou para R$ 595 milhões ao final de 2018. Assim, houve um crescimento de R$ 57 milhões.

No mesmo caso do rival, há um forte endividamento bancário do clube alvinegro de Minas. E, também como o Cruzeiro, o Galo fez um empréstimo com o fundo Polo, no valor de R$ 31,8 milhões, dinheiro que funcionará como um adiantamento de televisão já que a instituição recebe diretamente a cota.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Blog do Rodrigo Mattos