Topo

Histórico

Categorias

Fla e Flu terão de rever contratos do Maracanã para baixar custo

rodrigomattos

20/04/2019 04h00

O Flamengo joga pela primeira vez "em casa" no Maracanã na final do Estadual diante do Vasco. A partir de sexta-feira, o clube rubro-negro assumiu ao lado do Fluminense a gestão do estádio com a responsabilidade de pagar as despesas e administrar receitas. Para isso, o clube terá de renegociar contratos feitos pela Odebrecht.

Um dos desafios é relacionado à Copa América. O contrato foi assinado entre a Odebrecht e o comitê organizador e a Conmebol, compromisso este que não é mais válido.

Agora, os termos do acordo estão sendo renegociados entre os organizadores da Copa América e o governo do Estado, juntamente com a dupla Fla-Flu. Perguntado, o secretário de Esporte e Lazer, Felipe Bornier, informou que era dever do Estado atuar para negociar juntamente com o clube o novo contrato. A renegociação foi confirmada pelo comitê organizador.

Não se sabe, por exemplo, quanto tempo exatamente o estádio ficará sem poder receber jogos dos clubes por estar com a Conmebol. O prazo estipulado para fechamento depende do estado do gramado. Haverá oito rodadas do Brasileiro antes da Copa América.

Uma limitação já é certa: não haverá tempo hábil para retirada das cadeiras do setor Norte, uma reivindicação de parte da torcida do Flamengo para aumentar a capacidade. A Conmebol exige que a existência de assentos em todos os setores.

Além disso, o Flamengo e o Fluminense terão de renegociar contratos com fornecedores e parceiros da Odebrecht. Os dois clubes podem romper os contratos com as atuais empresas e assinar com outras que representem valores menores. Isso ainda será avaliado pelos novos gestores, e certamente não deve ter impacto na operação desta partida final.

A intenção dos clubes é ter uma equipe própria para a gestão do estádio. Devem se instalar nos escritórios da Odebrecht que ficam no Maracanã, embora essa equipe ainda não esteja completamente pronta.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Blog do Rodrigo Mattos