Topo
Blog do Rodrigo Mattos

Blog do Rodrigo Mattos

Categorias

Histórico

Projeto de clube-empresa tem pressa para driblar reforma da previdência

rodrigomattos

13/09/2019 04h00

De iniciativa da presidência da Câmara, o projeto de lei para transformação dos clubes-empresas tem tramitação acelerada para ser aprovado em outubro para tentar driblar restrições da reforma da previdência. Isso porque o refinanciamento de dívidas previdenciárias no modelo proposto não é permitido pelas novas regras a serem aprovadas em definitivo no Senado.

Indicado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o relator do projeto de lei do clube-empresa, deputado Pedro Paulo (PMDB-RJ), prevê um novo financiamento das dívidas fiscais dos clubes, substituindo o Profut que foi feito em 2015. Pelas regras propostas, os clubes poderiam alongar dívidas novamente e pagar menos no início, além de ter direito a um desconto de até 50% dos juros. Em troca, aceitariam virar empresas e pagariam mais tributos.

Só que, para oferecer essas condições, o projeto teria de ser aprovado antes das novas regras previdenciárias serem válidas. Com a nova previdência aprovada na Câmara, não é mais permitido parcelamento acima de 60 meses, isto é, cinco anos. O Profut dá prazos maiores de 20 anos.

O deputado Pedro Paulo confirmou ao blog que seria necessário aprovar a nova lei antes da validade da nova previdência, prevista para outubro após passar no Senado e se for sancionada. "Tem o prazo de 60 meses da previdência que passa a valer", disse o deputado. Foi o próprio Maia quem defendeu e viabilizou a aprovação da reforma da previdência.

"Pela PEC 95 da reforma a previdência, não é mais permitido parcelamento acima de 60 meses. Não poderia (prazo além desse) para contribuições previdenciárias", explicou o advogado tributarista Matheus Montenegro, do escritório Bichara Advogados. "O texto da PEC da reforma da previdência, contundo, ainda não é definitivo", observou ele, lembrando que a lei ainda não tem formato definitivo.

Outra questão levantada pelo especialista é que está em discussão a reforma tributária no Congresso. Ou seja, o projeto de clube-empresa poderia ser aprovado e, depois disso, os clubes já verem em seguida as regras de impostos para suas empresas serem modificadas.

"A PEC 45, atualmente a mais avançada no Congresso, prevê a criação do IBS (Imposto sobre Bens e Serviços) com alíquota estimada em 25% e base ampla, englobando as receitas de cessão de direitos, o que, para os clubes, envolveria a maior parte das receitas, que são provenientes dos contratos de televisão, já que proíbe a concessão de benefícios fiscais", disse Matheus

Dois dirigentes de clubes ouvidos pelo blog também confirmaram que lhes foi dito que havia a necessidade de acelerar o projeto por causa da reforma da previdência. "É um dos pontos do PL que leva a essa celeridade para fazer antes da reforma", afirmou o presidente do Vasco, Alexandre Campello, que é contra o novo Refis por entender que prejudica a imagem do futebol.

 

 

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Rodrigo Mattos