Topo
Blog do Rodrigo Mattos

Blog do Rodrigo Mattos

Categorias

Histórico

Contrato do Palmeiras de pay-per-view muda em 2020 e perde valor fixo

rodrigomattos

08/10/2019 04h00

Com Danilo Lavieri, do UOL, em São Paulo

A diretoria do Palmeiras fechou com a Globo após longa negociação porque conseguiu condições mais vantajosas em seu contrato. Mas a garantia de um valor mínimo no pay-per-view de quase R$ 80 milhões só é válida para este ano de 2019. Ou seja, a partir do ano que vem, a renda alviderde vai depender do percentual de torcedores palmeirenses cadastrados como assinantes. Em compensação, o clube tem um mecanismo pelo qual pode romper o acordo se não for atingido um patamar mínimo de renda, isto é, os jogos sairiam do pacote do programa até uma renegociação.

A conversa entre Palmeiras e Globo estendeu-se até as rodadas iniciais do Brasileiro. Isso porque o clube foi duro na negociação para exigir condições parecidas às de Flamengo e Corinthians. Os dois clubes têm garantia mínima de R$ 120 milhões cada um na distribuição dos recursos do ppv.

Em suas conversas, a agremiação alviverde também conseguiu uma garantia, no caso próxima de R$ 80 milhões. Foi uma vantagem na negociação porque a arrecadação de ppv tem caído. Assim, o Palmeiras garantia 12% dos R$ 650 milhões previstos como arrecadação para o ppv. O blog apurou que a pesquisa Datafolha entre assinantes do ppv, que determina a distribuição do dinheiro neste ano, registrou um percentual menor do que esse de palmeirenses. Ou seja, o clube ganharia menos sem a garantia.

A questão é que esse valor fixo de R$ 80 milhões só é válido para este ano. Para os próximos anos, o valor a ser arrecadado pelo Palmeiras dependerá do cadastro de assinantes do ppv. O clube tem, sim, uma garantia de que receberá seu percentual sobre R$ 650 milhões mesmo que a Globo tenha queda de arrecadação geral do ppv – várias outras agremiações não têm esse direito. Além disso, pode auditar os números de cadastros do ppv levantados pela emissora.

O Palmeiras conseguiu incluir em seu acordo uma salvaguarda. Caso o valor do ppv não atinja um patamar mínimo, que não é revelado pelas partes, o clube poderia rescindir o acordo. Isso iria tirar os jogos do clube do ppv e obrigaria as partes a uma renegociação.

A diretoria alviverde entende que desta forma tem como pressionar a emissora caso seu percentual entre os assinantes do ppv esteja abaixo do esperado. Foi uma alternativa visto que a Globo não aceitava dar uma garantia de valor fixo por todo o contrato do Brasileiro.

Para saber se haverá uma queda de dinheiro de TV em 2020, o Palmeiras terá de esperar os resultados do cadastro da Globo com assinantes válido para o próximo ano – esses números já existem, mas não foram divulgados. Para manter seus ganhos atuais, a agremiação alviverde terá de atingir 12% neste levantamento, isto é, ter um crescimento em relação à atual temporada.

Globo e Palmeiras não falam sobre o contrato porque há confidencialidade sobre os termos.

 

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Mais Blog do Rodrigo Mattos