Topo
Blog do Rodrigo Mattos

Blog do Rodrigo Mattos

Categorias

Histórico

Final da Libertadores repete custo alto e curto prazo para organizar

rodrigomattos

07/11/2019 04h00

Com Pedro Ivo Almeida, em São Paulo

Assim como ocorreu em 2018, a mudança de última hora da final da Libertadores para Lima vai representar um custo alto e um prazo curto para a organização do jogo. Isso certamente afeta as contas da Conmebol. A questão é a confederação sul-americana conseguir garantir que não tenha impacto no espetáculo do jogo como ocorreu no ano passado.

Lembre-se que, em 2018, a entidade sul-americana decidiu pela final da Libertadores em Madri a apenas 11 dias antes da realização do jogo por conta do incidente de violência no Monumental de Nuñes. O jogo teve casa cheia, bela festa das torcidas de Bova Juniors e River Plate, e repercussão em toda a Europa. Mas a receita bem alta com o jogo – em torno de US$ 10 milhões – foi quase inteiramente gasta em despesas de organização.

Pois bem, para 2019, a Conmebol terá um prazo maior de 18 dias e um local mais perto pois Lima fica na América do Sul. No dia seguinte a definição da sede, em Lima, funcionários da confederação sul-americana já se direcionavam ao estádio Monumental Universitário para organizar espaços físicos no estádio e discutir com autoridades peruanas autorizações para a partida.

O Monumental Universitario recebe até 80 mil pessoas, sendo 60 mil em arquibancadas e 20 mil em camarotes e cadeiras. Há expectativa de aumento de carga de ingressos como ocorreu em 2018 quando o Santiago Bernabeu era bem maior do que o estádio do River Plate. Ou seja, a renda pode ser maior.

Mas não há motivos financeiros para o comemorações da Conmebol. A cúpula da entidade sabe que terá prejuízos com a transferência da partida pois já havia investimento no Estádio Nacional do Chile, e também na infraestrutura para treinamento e eventos em Santiago. Ainda não há um levantamento de quanto a Conmebol vai perder. Há dirigentes que falam em prejuízo na casa de milhares de dólares.

Para o estádio peruano, será necessário estabelecer um novo manual de procedimentos, já que havia calhamaços de instruções a times e patrocinadores para o evento em Santiago. O desafio é tão grande quanto o jogo na Europa porque, desta vez, será a primeira final única da Libertadores, o que a Conmebol pretende que seja uma celebração do continente.

 

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Rodrigo Mattos