Blog do Rodrigo Mattos

Arquivo : Conmebol

Sul-Americana terá final única por questão política para agradar Lima
Comentários Comente

rodrigomattos

A decisão do Conselho da Conmebol de realizar uma final única da Sul-Americana teve relação com uma negociação política na entidade. Inicialmente, essa não era o plano desenvolvido pelos organizadores da competição que pretendiam manter dois jogos na competição, como contraponto à Libertadores.

Com a confirmação da final única da Libertadores-2019, a Conmebol lançou uma concorrência para escolher a cidade-sede desta primeira decisão. Só houve candidaturas formais de Lima, Santiago e Montevidéu, que desistiu no meio por faltas de recursos. Cidades brasileiras como Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro chegaram a se interessar, mas não apresentaram candidatura formal.

Foi feita uma visita técnica de membros da Conmebol que concluíram que Santiago reunia as melhores condições para a final. O Conselho da entidade sul-americana confirmou a cidade chilena, o que gerou descontentamento em Lima.

No meio da reunião nesta semana, um dirigente da federação colombiana sugeriu que fosse feita a final da Sul-Americana em Lima como compensação. Assim, ficaria decidido que também a segunda competição da Conmebol teria apenas um jogo na decisão. Todos os dirigentes aprovaram.

A questão é que, antes disso, a Sul-Americana tinha sido pensada justamente para ser diferente da Libertadores. Primeiro, manteria a tradição de duas decisões nas casas dos times finalistas. Segundo, seria vendida comercialmente como uma competição diferente da principal.

A decisão política, no entanto, botou esse plano por água abaixo. Agora, a decisão é de que as finais únicas ocorrerão em 2019 e será testado o modelo. No futuro, o objetivo é fazer uma semana de eventos anteriores a cada semana, com a possibilidade de as duas decisões serem na mesma cidade.

 


Após traição na Copa, Coronel Nunes evita ir à primeira reunião na Conmebol
Comentários Comente

rodrigomattos

Depois de protagonizar uma traição em votação na Fifa, o presidente da CBF, Antônio Carlos Nunes, decidiu não ir à primeira reunião da Executiva da Conmebol após a Copa-2018 que ocorrerá na próxima semana em Assunção. Ele mandou uma carta para que o futuro presidente da CBF Rogério Caboclo o represente no encontro. Apesar disso, segue como membro do comitê executivo em cargo que é remunerado.

O episódio que queimou o Coronel Nunes na Conmebol foi na votação para sede da Copa-2026 no Congresso da Fifa, às vésperas da competição. A confederação sul-americana tinha fechado um acordo para apoiar a candidatura de EUA, Canadá e México. Na hora do pleito, Nunes, como presidente da CBF, votou no Marrocos e depois confessou que não sabia que o voto era secreto.

Isso causou um enorme desgaste com a cúpula da Conmebol, que acusou a confederação de traição. Durante o Mundial, Nunes já tinha ficado de fora de eventos da entidade continental. A confederação sul-americana até estudava um movimento para afastá-lo, mas é o próprio Nunes que teria de abrir mão da vaga o que não ocorreu.

Como solução provisória, Nunes ficou de fora desta primeira reunião embora continue a ter o cargo no Comitê Executivo. O mesmo ocorreu na CBF onde ele ficou afastado da negociação para renovação do técnico Tite, tocada por Caboclo com o aval do afastado presidente da confederação Marco Polo Del Nero.

A principal tarefa da Conmebol nos próximos meses é a organização da Copa América-2019 no Brasil. A confederação sul-americana e a CBF atuarão juntas na organização dentro do comitê organizador. É necessário, portanto, ter harmonia nas relações o que seria mais difícil com Nunes por perto. Outra discussão até o final do é a distribuição de cotas da Libertadores para os clubes já que haverá um crescimento de do contrato de TV em 2019.

Há uma autocrítica entre dirigentes da CBF de que a confusão em torno de quem de fato mandava na entidade deixou a comissão técnica da seleção muito livre para tomar decisões sozinha. Caboclo estava na Rússia como chefe de delegação e acompanhou o time de perto, mas ainda não tem o cargo de presidente para ter autonomia plena. Neste cenário, o desgaste do Coronel Nunes ajuda a mantê-lo afastado das questões da seleção.


Conmebol espera licitação para saber quando terá VAR na Libertadores
Comentários Comente

rodrigomattos

A Conmebol espera a definição do custo do árbitro de vídeo para definir em que fase será implantando na Libertadores. O ideal para a entidade é começar a ter o sistema já nas oitavas-de-final. Mas, por enquanto, a garantia é apenas que haverá na semifinal da competição.

A Conmebol abriu uma licitação para empresas interessadas em implantar o sistema na Libertadores. Cada uma vai apresentar um preço por jogo e se será reduzido caso exista um pacote maior de jogos.

A questão é que a confederação sul-americana conta com um orçamento limitado para utilizar o sistema. Afinal, na atual temporada, ainda vale o contrato antigo da Libertadores para televisões, isto é, um terço do que se ganhará no futuro. Assim, em 2017, usou o árbitro de vídeo apenas a partir das semifinais.

Agora, a Conmebol espera o resultado da concorrência para saber quanto terá de pagar por jogo. A previsão é que isso ocorra na próxima semana. A intenção do presidente da entidade, Alejandro Dominguez, era ter o recurso já nas oitavas-de-final.

No ano passado, sem pacote, a Conmebol tinha que pagar US$ 20 mil por jogo de tecnologia para a Mediapro, fora viagens de juízes. A intenção é reduzir esse custo para expandir o uso do vídeo. Para o próximo ano, a Conmebol vai avaliar se é possível usar em todos os jogos, visto que há mais dinheiro do contrato de televisão.


Diretoria da CBF exclui opositor da FPF da cúpula da Conmebol
Comentários Comente

rodrigomattos

A cúpula da CBF destituiu o presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, do seu cargo na cúpula da Conmebol, substituindo o pelo Coronel Nunes. A decisão foi oficializada em reunião nesta quinta-feira no Paraguai. Bastos tinha tentado ser candidato de oposição contra o futuro presidente da confederação, Rogério Caboclo, o que causou contrariedade na cúpula da entidade nacional.

O presidente da FPF assumira o cargo porque o então presidente da CBF Marco Polo Del Nero não podia viajar para o exterior, com medo de ser preso por conta de acusações de corrupção nos EUA. Foi indicado pela própria confederação e atuava como um intermediário entre os pedidos de clubes brasileiros e a Conmebol.

Mas houve um racha durante a eleição da confederação que deixou Bastos em campo oposto da atual diretoria: Caboclo acabou eleito, e o presidente da FPF nem se candidatou. Além disso, Del Nero foi banido definitivamente do mundo do futebol em decisão do Comitê de Ética da Fifa. Com isso, a CBF decidiu por retirar Bastos do Conselho da Conmebol, substituindo o pelo atual presidente da confederação, o Coronel Nunes. O outro membro brasileiro é Fernando Sarney, que integra tambémo Conselho da Fifa.

Durante a reunião, Bastos se despediu do cargo e fez um discurso amistoso para Caboclo. Afirmou que ele era um sopro de modernidade para a gestão da CBF. Nesta sexta-feira, haverá um Congresso extraordinário de eleição da Conmebol em que o presidente Alejandro Dominguez será reeleito para o cargo já que é candidato único.


Conmebol distribui 70% da renda da Libertadores para clubes: R$ 354 mi
Comentários Comente

rodrigomattos

A Conmebol distribuirá 70% do dinheiro arrecadado com a Libertadores para os clubes em 2018 em um total de R$ 354 milhões. O restante será usado para operação e logística da competição. O percentual é levemente inferior ao que a UEFA costuma repassar aos times em relação às suas competições.

As informações constam do relatório financeiro da Conmebol de 2017 que detalhou também a evolução das receitas da competição e do repasse aos clubes. É a segunda vez que a confederação sul-americana divulga seus dados econômicos e do campeonato, o que era uma exigência antiga dos times sul-americanos.

Pelas informações publicadas, a receita da Libertadores teve uma evolução nos últimos três anos, embora longe do salto que vai se verificar no próximo ano. Em 2016, a renda estava em US$ 121 milhões (R$ 415,7 milhões), atingindo US$ 144 milhões em 2017. Houve um novo contrato de patrocínio neste período. A previsão para 2018 é de uma receita de US$ 148,2 milhões (R$ 505 milhões).

Houve um crescimento do valor repassado aos clubes, mas em volume menor do que o aumento de receita. Em 2016, os clubes ficaram com US$ 92,1 milhões (R$ 314 milhões). A previsão para 2018 é de que seja distribuído aos times US$ 103,850 milhões (R$ 354 milhões), isto é, 70% do total. Ressalte-se que, em quatro anos, as receitas dos clubes vão praticamente dobrar já que em 2015 eram de US$ 52 milhões.

As cotas dos clubes em 2018 começam em US$ 50 mil para clubes eliminados na primeira fase e que só disputaram dois jogos. Até o campeão que leva US$ 6 milhões, valor que é o dobro do ano passado.

A UEFA repassa aos seus times 73% das receitas obtidas com a Liga dos Campeões, Liga da Europa e Recopa. O volume de dinheiro, no entanto, é muito maior na Europa, atingindo 2 bilhões de euros.

Dentro da Conmebol, a alegação é justamente de que o percentual de distribuição é mais alto na UEFA porque há mais dinheiro para suportar os custos das competições. Lembre-se que a operação logística de jogos da Liga dos Campeões é mais cara. Mas, na América do Sul, houve aumento de gasto com a implementação do árbitro de vídeo a partir das quartas-de-final, além disso há gastos com passagens de árbitros e delegados.

Segundo o relatório da Conmebol, o total de despesas com a Libertadores foi de US$ 103 milhões em 2017. Assim, haveria uma sobra de US$ 41 milhões para a confederação sul-americana já que as receitas foram de US$ 144 milhões. A tendência é, com a valorização da Copa América a partir de 2020, haver menos necessidade da renda da Libertadores para manter a confederação.

Para a temporada de 2019, o contrato da Libertadores de televisão vai pelo menos triplicar de valor atingindo um mínimo de US$ 350 milhões por ano, fora receitas de marketing. A promessa dentro da Conmebol é de que haverá aumento proporcional nas cotas distribuídas para os clubes, embora ainda não exista uma regra definida de como isso vai acontecer.

Há itens que podem aumentar as despesas da competição como a extensão do árbitro de vídeo para toda a competição. A final única também vai gerar custo extra para organização, mas, em compensação, os clubes não terão mais de pagar a logística da final.


Globo paga por Copa América no Brasil um terço do Paulista: R$ 51 mi
Comentários Comente

rodrigomattos

A Globo pagará por todos os direitos da Copa América-2019 no Brasil R$ 51 milhões – um valor que, comparando com outros torneios transmitidos pela emissora, representa um terço do que foi pago pelo Campeonato Paulista. O dado consta do contrato obtido pelo blog em colaboração com o programa jornalístico “Sin Falta” do Paraguai.

O contrato firmado diretamente entre a Globo e a Conmebol foi assinado em 2010 e envolve duas edições da Copa América (2015 e 2019), mais todos os campeonatos sul-americanos sub-17 e sub-20 do período. Quem assinou pela Conmebol foi o ex-presidente da Conmebol Nicolás Leóz que está em prisão domiciliar no Paraguai por acusações de corrupção no caso Fifa.

Na Justiça dos EUA, o ex-executivo da Torneos Alejandro Burzaco acusou a Globo de pagar propina por direitos da Libertadores e da Copa do Mundo. A emissora nega essas acusações. Há ainda denúncia de que contratos da Copa América obtidos pela Datisa foram fruto de subornos.

Pelo contrato direto entre Globo e Conmebol, a emissora fez uma oferta à confederação pela Copa América e seu comitê executivo aceitou. Ou seja, não houve concorrência como está previsto ocorrer atualmente na confederação. A proposta era de pagar US$ 30 milhões (R$ 102 milhões) por duas edições da Copa América e mais os campeonatos de categorias de base.

Para efeito de comparação, um ano de contrato do Campeonato Paulista vale R$ 160 milhões e o Estadual do Rio tem valor de R$ 120 milhões. Ressalte-se que o Paulista e o Carioca tem 18 datas em TV Aberta com quatro times grandes por quatro meses. A Copa América terá maior visibilidade concentrada com até seis jogos da seleção que todo país assistirá, além de Messi e a Argentina, por um pouco menos de um mês.

Em 2010, época da assinatura do contrato, estava previsto que a Copa América de 2015 seria no Brasil. Posteriormente, houve uma troca com o Chile que ficou com esta edição, e o Brasil se tornou sede de 2019. Ou seja, a Conmebol sabia que estava vendendo sua principal competições de seleção para a maior rede do país.

Ao mesmo tempo, era um período com menor concorrência entre televisões a cabo já que não existia a Fox Sports e o Esporte Interativo não tinha a capacidade de investimento atual. Houve crescimento do valor de direitos esportivos. Em compensação, a Record estava investindo no esporte, pois comprou os direitos da Olimpíada.

Pelo acordo entre a Globo e a Conmebol, a Copa América tem que ter um mínimo de 25 jogos. A Globo já realizou pagamento da maior parte do valor acertado. Pelo acordo, a emissora tem que pagar mais US$ 11 milhões até 30 dias antes da Copa América. O acordo engloba todos os direitos, incluindo internet, TV a cabo e aberta.

Foi dada à emissora brasileira também o direito de preferência sobre renovação do acordo. Isso significa que para a próxima Copa América a Globo terá direito de igualar a melhor proposta de outra TV que tem que ser apresentada pela Conmebol.

A gestão do presidente da confederação sul-americana, Alejandro Dominguez, ficou surpresa com a existência desse contrato com a Globo. Isso porque o documento não constava dos arquivos da entidade, tendo sumido no período dos antecessores. Foi a própria emissora que apresentou o documento.

Com isso, a Conmebol teve restrito os seus direitos de negociação, reduzindo a receita com a Copa América. O contrato da Globo é considerado abaixo do que vale o mercado dentro da confederação que até pensa em negociar um aumento. Após uma licitação, a confederação sul-americana cedeu a MP & Silva a responsabilidade de vender os direitos da Copa América, excluindo o que já fora negociado.

Questionada pelo blog, a emissora defendeu a lisura do contrato: ‘Em 2010, o Grupo Globo negociou de boa-fé os direitos de transmissão da Copa América, edições de 2015 e 2019, em valores de mercado. Nas suas relações comerciais, como aliás, em todas as suas atividades, nada é mais importante para o Grupo Globo do que adotar práticas éticas e transparentes’.

A Globo não respondeu se a assinatura do acordo era feita por Marcelo Campos Pinto, ex-executivo da entidade acusado nos EUA de participar da negociação de propina a dirigentes. Em processo na Justiça norte-americana, a emissora foi acusada por delatores de pagar propinas a ex-dirigentes da Conmebol para obter direitos de competições sul-americanas, mas tal denúncia não tem qualquer citação a esse acordo pela Copa América-2019.

 


Libertadores abre ofertas de TVs e deve conhecer vencedores em 15 dias
Comentários Comente

rodrigomattos

Encerrado o prazo para ofertas, a empresa parceira da Conmebol formada por IMG e Perfom já abriu os envelopes com as propostas para os direitos da Libertadores no Brasil a partir de 2019. Só que nem cartolas da confederação tomaram conhecimento das propostas. Ao contrário de anos anteriores, o processo será feito em sigilo e só chegará à Conmebol para negociações de adaptações das ofertas em um modelo para evitar manipulações.

O prazo para entrega de propostas de televisões brasileiras acabou no dia 26 de março. A informação da Conmebol é que o resultado foi dentro do esperado em termos de valores. Mas a confederação não sabe mais do que isso em termos de informação. A expectativa é de que pelo menos Fox Sports, Sportv e Esporte Interativo façam propostas, e possivelmente a ESPN.

Os envelopes foram abertos em Londres pela empresa joint venture formada pela IMG e Perform, que ganhou o direito de revender a Libertadores em outra concorrência. Será a empresa que fará a análise inicial e depois levará os dados para a Conmebol.

Na segunda fase, será analisado se alguma empresa ofereceu um pacote de exclusividade para a TV fechada. Lembrando, a Conmebol ofereceu quatro pacotes: A) TV aberta B) TV fechada com prioridade para jogos C) TV fechada com segunda escolha D) Todos os jogos de quinta-feira em todas as plataformas.

Uma emissora pode se oferecer para comprar os pacotes B e C, mas para isso tem que oferecer mais do que as outras propostas em conjunto. Em resumo, a IMG e Perform, juntamente com executivos da Conmebol, vão conversar com as emissoras para adaptar suas propostas e entender qual opção representa maior valor.

A expectativa é de que a concorrência se conclua em um período de 15 a 20 dias. Neste prazo, serão conhecidas as emissoras que transmitirão a Libertadores no Brasil pelos próximos quatro anos até 2022.


Conmebol tenta montar quebra-cabeça da Copa América no Brasil
Comentários Comente

rodrigomattos

A Conmebol tem se esforçado para montar o quebra-cabeça da Copa América do Brasil-2019, decidindo número de participantes e sedes. Entre as dúvidas, haverá 12 ou 16 seleções participantes e se a competição ficará de fato restrita ao Sul e Sudeste do país. A decisão deve sair no início de abril no próximo Congresso da confederação.

É certa a intenção da Conmebol de expandir o torneio além dos 10 times da América da Sul. Por isso, existe a negociação com países da América do Norte e da Ásia. No caso do continente americano, os alvos são México e EUA, podendo ser acrescentadas outras nações. Na Ásia, o alvo é o Japão.

Por que a ideia da Conmebol de aumentar o torneio? O projeto é uma expansão comercial do torneio que sofre com limitações financeiras para esta edição. Explica-se: a maior parte dos direitos de países da América do Sul está preso em contratos antigos como é o caso do Brasil. Sem expansão, terá de ser feita uma competição modesta com poucos recursos.

Há complicações: a Concacaf (Confederação da América do Norte) tem datas da Copa Ouro, sua competição, que podem coincidir com a Copa América. E o mesmo pode ocorrer com o Japão, mas há uma esperança que os asiáticos se comprometam a trazer seu time A.

As decisões sobre número de equipes terão direto impacto no tamanho da competição no Brasil e no número de sedes. A princípio, com uma competição modesta, seriam usadas apenas sedes no Sudeste e no Sul, incluindo dois estádios em São Paulo e um no Rio.

Se houver mais dinheiro, com a inclusão de novos mercados, será possível incluir talvez uma capital do Nordeste ou outro centro fora deste eixo. A influência política também pode pesar no cenário.

Certo é que a Conmebol não tem tanto tempo por isso tem que definir tudo em abril. A partir daí, teria pouco mais de um ano para vender a competição, cujos direitos serão negociados pela MP & Silva.

 


Conmebol repete a Champions em plano para patrocinadores da Libertadores
Comentários Comente

rodrigomattos

Ao mesmo tempo que vende direitos de TV em licitação, a Conmebol traça um plano similar ao da Liga dos Campeões para aumentar os recursos e visibilidade com os patrocinadores da Libertadores. Entre as novidades oferecidas, estão inserções das suas marcas nas transmissões das competições, a final única e o uso de campanhas das empresas para promoção dos eventos.

Depois dos direitos de televisão, a renda com patrocinadores é a segunda mais importante dos campeonatos de futebol, seja a Copa do Mundo, seja a Liga dos Campeões. Na Libertadores, essa exploração, no entanto, limitava-se a espaços em placas, em propagandas, em eventos e nomes.

A ideia da diretoria da Conmebol é expandir a associação da competições com seus patrocinadores, oferecendo novas propriedades. Assim, poderão pedir aumentos nos contratos atuais com os parceiros e atrair novos patrocínios. Entre os parceiros principais, atualmente estão a Amstel, Santander, Bridgestone e Toyota. Além de quatro parceiros pontuais, Gatorade, Nike, DHL e Tag Heuer.

Na licitação de concorrência de televisões, a Conmebol incluiu como condição para as TVs a inserção de 60 segundos das marcas de seus parceiros. Isso será válido a partir de 2019. Houve bastante resistência das emissoras porque essa exibição de marcas é usada justamente para aumentar os ganhos das redes com o futebol.

A confederação sul-americana poderá usar, então, essa nova propriedade na renovação dos contratos, mostrando aos parceiros que terão espaço nas TVs sem pagar um extra. Isso já ocorre na Liga dos Campeões.

Outro ponto foi a realização da final única. Houve pressão de pelo menos um dos patrocinadores pela aprovação da realização do jogo único. Isso porque uma partida assim permitirá uma série de eventos de ativações para os parceiros da Libertadores, o que aumenta sua visibilidade.

Além disso, a Conmebol conta com o know-how da Amstel para expansão da marca da própria Libertadores. A marca de cerveja é do mesmo grupo da Heineken que tem propagandas criativas para a Liga dos Campeões, o que lhe gerou associação automática com a competição. Ao mesmo tempo, as propagandas ajudam a promover o torneio.

A Amstel já botou o logo da Libertadores em suas latinhas. E tem trabalhado junto com o marketing da Conmebol para novas iniciativas. A empresa está empolgada com a realização da final única.


Libertadores-2019 terá transmissão de todos os jogos e novos horários fixos
Comentários Comente

rodrigomattos

A Libertadores-2019 terá a transmissão de todos os jogos, horários de jogos fixos e transmissão própria feita pela Conmebol. Essas são algumas das condições postas na licitação dos direitos de televisão da competição apuradas pelo blog, além da tabela nas mãos da confederação. E, como previsto, a confederação incluiu jogos marcados às 21h30, embora as emissoras possam fazer propostas para alterar o horário.

A Conmebol lançou nesta terça-feira a licitação dos direitos da Libertadores para as TVs dos dez países da América do Sul: é a primeira da história. Há uma concorrência específica para o Brasil e outra para o restante dos países. O objetivo é conseguir TVs Abertas e Fechadas na maioria dos países possíveis.

A concorrência é organizada pela Conmebol e as agências Perform/IMG, que compraram os direitos da competição ao garantir um mínimo. O Conselho da Conmebol não irá interferir na escolha das propostas das televisões que serão analisadas pelas agências e pelo marketing da entidade. O que vale é a maior proposta econômica, como primeiro critério, e depois questões técnicas.

Aí vão as principais condições da concorrência:

Transmissão de todos os jogos

As redes de televisão que comprarem qualquer um dos pacotes oferecidos pela Conmebol terão de transmitir todos os jogos a que tem direito em alguma plataforma. Se for uma TV Aberta, e não quiser botar no ar na sua grade, terá de disponibilizar em um site aberto. Caso seja um canal fechado, terá de transmitir por canal para assinantes na internet.

Quatro pacotes para o Brasil

Serão quatro pacotes para o Brasil. Um de TV Aberta, e dois de TV Fechada. No caso desses dois pacotes, uma TV tem a primeira escolha para o jogo, e a outra tem a segunda opção, e assim na sequência. Por fim, há um pacotes que inclui todos os jogos de quinta-feira. Só a TV Aberta e a TV Fechada que comprar o melhor pacote terão acesso à final única. Os outros pacotes só dão direito a jogos até semifinais.

Proibição de proposta conjunta

Na concorrência no Brasil, há uma proibição de uma proposta conjunta entre mais de uma emissora. Ou seja, a Globo não pode se associar com a Band pelos direitos de TV Aberta, nem a Sportv com a Fox. É vetado também o repasse de parte dos direitos para outra emissora como ocorre atualmente. A Fox, portanto, não poderia ceder parte dos jogos para a outra emissora como faz atualmente.

Horários fixos

A Conmebol estabeleceu dois horários fixos para seus jogos às terças-feiras e quartas-feiras em vez da grande variação atual. Como era desejo da entidade, um dos horários será às 21h30, do Brasil. Isso antecipa o horário padrão usado pela Globo de 21h45. O segundo horário será às 19h15.

As emissoras, no entanto, têm flexibilidade para fazer uma proposta com um horário diferente dos propostos pela Conmebol. A partir daí, a confederação analisará o que foi proposto levando em conta o valor econômico. Ou seja, a Globo pode manter seu horário se oferecer mais ou não tiver concorrentes.

No caso da quinta-feira, serão três horários diferentes, sendo o último às 11 horas. Não haverá mais jogos à meia-noite.

Tabela fixa 

A Conmebol tem o poder sobre a tabela de competições e não às TVs como atualmente. Assim, é a confederação que define que time joga em que dia, e portanto o que estará disponível para as emissoras transmitirem daquela rodada. A tendência é haver um maior rodízio entre clubes na TV Aberta.

Transmissão da Conmebol 

Ao contrário do que ocorre atualmente, a Conmebol passará a contratar a produtora que fará todas as filmagens dos jogos da Libertadores-2019. Essas imagens serão repassadas às emissoras que comprarem os direitos. Ou seja, a Fox, por exemplo, não terá mais como ter poder sobre as imagens, recebendo o material já pronto da confederação. Esse era um plano da entidade na modernização da competiçãoseguindo tendência do que ocorre na Liga dos Campeões.