Blog do Rodrigo Mattos

Arquivo : Kairus

Copa terá VAR para identificar concussão como do goleiro do Liverpool
Comentários Comente

rodrigomattos

A Fifa usará o árbitro de vídeo para identificar lances que possam gerar concussões como a sofrida pelo goleiro do Liverpool Loris Karius na final da Liga dos Campeões. Foi uma decisão diante da preocupação da entidade em relação a esse tipo de contusão e pela dificuldade de diagnóstico. No caso de Karius, um médico poderia ter verificado o choque com Sergio Ramos e ajudado a tomar a decisão de tira-lo de campo, que era necessária pela regra. Fora o aspecto de saúde, ele cometeu duas falhas na decisão.

Atualmente, pelo protocolo da Fifa, o jogo pode ser paralisado por três minutos para que seja feito um rápido protocolo de teste chamado CRT. Neste, basicamente, verifica-se se houve perda de consciência do jogador, isto é, se está tonto, andando como bêbado. O problema é que o exame nem sempre é conclusivo.

“Um médico pode examinar e não perceber que houve concussão o que ocorre em 80% dos casos. Dá para perceber se tem perda de consciência”, contou o médico da CBF, Jorge Pagura. “O ideia era fazer um teste SCAT, teste cognitivo em que se verifica se há dor na cabeça, cervical, além de perguntas sobre o placar do jogo, quem fez o último gol, onde você está jogando. Isso demoraria 10 minutos.”

Um exemplo dado por Pagura foi do zagueiro Miranda que sofreu uma concussão em choque em partida das eliminatórias da Copa. Como era intervalo, foi possível entrevista-lo e verificar o problema. Miranda achava que já estava jogando na Copa da Rússia.

Para poder realizar o SCAT, a CBF quer testar uma substituição provisória por 10 minutos em campeonatos sub-20 para depois levar a sugestão à Fifa. Neste caso, os diagnósticos passariam a ter acerto de 70% a 80%, segundo Pagura. Mas, como isso não será possível ainda na Copa, a ideia é usar o árbitro de vídeo para identificar o choque entre jogadores que provoque concussões.

“Dá para ver no lance que ele (Karius) levou uma cotovelada. Com um árbitro de vídeo, o médico pode indicar que tem que verificar se o goleiro está bem, sofreu algum traumatismo”, explicou Pagura, que exime completamente os médicos do Liverpool no caso de Karius. Afirmou que não havia tempo suficiente para fazer o diagnóstico corretamente e tirar o jogador do campo.

No caso da Copa, uma pesquisa dos médicos Astrid Junge e Jiri Dvorak, publicada no “British Journal of Medicine”, apontou que houve 12 concussões em jogadores nas últimas cinco edições. É considerado um evento raro, mas de grande gravidade. A principal preocupação é a saúde dos atletas, mas também afeta suas performances.

“Diminui o tempo de reação, visão periférica, entendimento e orientação espacial, atenção para tomada de escolhas”, detalhou Pagura. Kairus cometeu dois erros graves no jogo depois do choque com Sergio Ramos. Deu uma bola nos pés de Benzema que fez o gol, e depois não conseguiu agarrar um chute de longe. Foram dois gols decisivos para a vitória do Real Madrid. “Se houvesse uma substituição, teriam 10 minutos com outro goleiro para poder analisar sua situação. Mas imagina tirar um goleiro titular em um jogo desse sem ter certeza?”

No Brasil, o Nacional tem tido um aumento de casos de concussão nas edições de 2016 e 2017. Pagura ressalta que o protocolo da CBF melhorou bastante, e tem ocorrido de forma correta. Citou inclusive identificação do jogador João Pedro, do Botafogo, após um choque que causou concussão. Agora, ele está se recuperando com supervisão da CBF.

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>