Blog do Rodrigo Mattos

Arquivo : Neymar

Neymar vive em uma bolha isolada de críticas que só o prejudica
Comentários Comente

rodrigomattos

Eliminado o Brasil, Neymar não deu entrevistas, evitando o escrutínio de perguntas incômodas. No dia seguinte, postou uma mensagem no instagram dizendo que era o pior momento da sua carreira. Em sua página social, comentários críticos são bloqueados por mediadores, só se vê elogios e apoio.

No mesmo dia, o coordenador da seleção Edu Gaspar disse que não era fácil ser Neymar, e que tinha pena do jogador. Anteriormente, o técnico Tite já o tinha protegido em entrevista após o jogo com o México, ao impedir que respondesse uma pergunta sobre ataque de Juan Carlos Osório.

O entorno do jogador tem parças, familiares, namorada, cabeleireiro, todos dispostos a elogiá-lo o tempo inteiro. As críticas são externas, de jornalistas, de outros técnicos, de ex-jogadores. Quando ocorrem, são alvo de contra-ataque do staff do atleta como ocorreu com comentários de Galvão Bueno, ou simplesmente ignoradas.

De uma certa forma, a bolha em que vive o craque brasileiro é um reflexo dos tempos atuais. Essa realidade onde redes sociais são na maioria das vezes plataformas principalmente de exibição, e não de debate. Onde a blindagem a celebridades, no caso de jogadores, virou regra.

Não é à toa. As imagens desses atletas valem milhões em explorações de patrocínio, e portanto são protegidas arduamente para que o fluxo de dinheiro continue. Neymar é um produto e, como tal, entende que deve ser vendido, não debatido.

Esportivamente, a consequência é que a falta de acesso a críticas, ou a ignorância deliberada delas, leva o jogador a acreditar que faz tudo corretamente em campo e nada tem a evoluir. Por que se preocupar com a fama de cai-cai se, por princípio, Neymar acredita que todos os comentários negativos são uma tentativa de miná-lo? Quem pensa assim raramente vai ser capaz de mudar, de se aprimorar.

Isso não significa que o craque brasileiro seja culpado pela eliminação. Fez uma Copa de altos e baixos, uma atuação brilhante diante do México, uma decepção contra a Bélgica. Fato é que poderia ter dado muito mais ao time pelo seu potencial ainda que recentemente tivesse se recuperado de contusão.

Para que ele atinja seu auge, não adianta estender um tapete vermelho para Neymar ou protegê-lo em excesso. O futebol tornou-se um jogo de atletas milionários e suas imagens superprotegidas, mas continua a ser jogado no mesmo gramado verde habitado por zagueiros duros. Quem não enfrenta e aprende com críticas ou recebe cobranças fora de campo vai ter dificuldade para se virar com as botinadas dentro dele.

 


Ataques a Neymar lembram campanha contra Suárez na Copa-2014
Comentários Comente

rodrigomattos

Sim, Neymar exagera na reação às faltas sofridas e isso não é correto por tentar criar uma vantagem indevida no jogo. Dito isso, há um exagero nas críticas ao atacante brasileiro especialmente em parte da mídia estrangeira ao se maximizar os seus erros e se minimizar suas qualidades. Algo parecido com o que ocorreu com o uruguaio Luis Suárez durante a Copa-2014 pela sua agressão a jogador italiano – os dois atos não são comparáveis, as campanhas, sim.

Como já dito neste blog, e virtualmente em todos os lugares, Neymar promoveu um excesso de quedas com giros nos dois primeiros jogos do Brasil. Isso criou uma antipatia entre estrangeiros até compreensível no início da Copa. Mas, a partir daí, a postura do jogador mudou.

Diante do México, ele rodopiou no chão quando sofreu um pisão de Layun, um teatro descenessário. Mas o pisão existiu e não foi punido com cartão como merecia. E, depois disso, começou a onda com Osório dizendo que “futebol para homem”, seguido por outros jogadores mexicanos atacando o e esquecendo que foram superados na bola.

Um jornal inglês chamou o de falso. O ex-jogador Lineker, um dos mais lúcidos comentaristas do futebol atual, ironizou ao dizer que ele tinha um baixa capacidade de suportar a dor. No centro de imprensa de estádio de Moscou, onde eu estava, havia exclamações de indignação de jornalistas estrangeiros como se Neymar tivesse agredido alguém.

Lembra bastante o ataque de fúria contra Luis Suárez após ele morder Chielini na Copa-2014.  Não, não estou comparando os dois fatos, são bem diferentes. Suárez agrediu, errou feio e mereceu sua punição ao ser excluído da Copa. Mas, a partir daí, houve uma gritaria como se ele fosse um animal que não soubesse se comportar entres seres-humanos. Houve quem defendesse que fosse banido do futebol.

Peraí, onde estava essa cobrança toda por comportamentos éticos e postura quando ingleses e belgas botaram times reservas quando uma derrota os dava uma chave mais fácil? Onde estava a gritaria toda quando japoneses “jogaram para perder”? Neymar é o único jogador do futebol mundial que simula? O que fez Cristiano Ronaldo em seus saltos contra o Marrocos para cavar pênaltis (muito mais discretos do que os de Neymar, diga-se)?

A transformação de um jogador em vilão da Copa não faz nenhum sentido. Neymar trouxe para si mesmo essa onda ao se jogar demais no início da Copa, mas os ataques que sofre são exagerados e ofuscam a ótima Copa que faz. E só enxerga-se defeitos em um jogador que tem muitas qualidades. O ser-humano é complexo: reduzir sua descrição a apenas uma faceta não é correto.

Entres as maiores estrelas Mundiais, incluídos aí Messei e Cristiano Ronaldo, Neymar e Mbappé foram os únicos capazes de atuações brilhates nas eliminatórias da Copa. Considerado todo o Mundial, o atacante brasileiro tem tido um desempenho de ótimo nível, com alto número de dribles, passes decisivos e conclusões a gol. Resumir um jogador desse só ao seu defeito é uma injustiça.


Neymar tem atraído antipatia estrangeira pelo excesso de quedas
Comentários Comente

rodrigomattos

A cena ocorreu no centro de mídia do Estádio do Spartak, em Moscou: a queda de Neymar no suposto pênalti contra a Costa Rica causa um grunhido de indignação entre jornalistas neutros de outros países. Quando o árbitro Bjorn Kuipers anulou a marcação, houve alguns aplausos.

Não é um fenômeno isolado. Tem sido comum jornalistas estrangeiros pedirem cartões amarelos ou punições pelas simulações ou reclamações constantes do craque brasileiro. Imagens da partida diante da Costa Rica mostram Neymar caindo, ofendendo o árbitro em mais de uma vez e sendo grosseiro ao pedir que este não o toque.

A irritação de Kuipers é evidente nos lances em que manda o brasileiro se levantar. A mesma irritação é vista em outros jornalistas, especialmente europeus, que veem como desrespeitosa as atitudes do jogador brasileiro.

Como bicho papão de Copas do Mundo, o Brasil não é exatamente querido na mídia estrangeira e entre torcedores de outros países com tradição no Mundial. É um pouco o time a ser batido em determinadas circunstâncias.

Mas jogadores de alto quilate como Cristiano Ronaldo, Messi e Neymar (não, ele não está no mesmo patamar técnicos dos outros) costumam causar admiração pelo que são capazes dentro de campo. O adorador de futebol se ajoelha diante do craque quando ele brilha intensamente. É só ver nossa admiração com o português e o argentino.

No caso de Neymar, no entanto, essa admiração cada vez mais se transforma em repulsa. Porque as atitudes do craque brasileiro são vistas como antidesportivas. Parece que está sempre querendo levar vantagem ao torcer as regras do jogo, ao pressionar por decisões favoráveis.

Essa percepção geral, além de aumentar uma já grande pressão sobre ele, espirra para o campo. O departamento de arbitragem da Fifa costuma marcar jogadores com tendência a se jogar demais, e será mais difícil que estes consigam faltas marcadas, mesmo quando forem. No final, não há nada que Neymar tenha a ganhar com o tipo de comportamento que tem exibido nesta Copa.


Neymar fará bem se entender arbitragem: contorcer-se não expulsará rivais
Comentários Comente

rodrigomattos

Neymar sofreu um número excessivo de faltas por parte do time suíço? Fato, foram 10, um número dos mais altos na história da Copa do Mundo. E qual foi o efeito para o time brasileiro neste caso? Dois cartões amarelos para os jogadores adversários, apenas uma falta perigosa, um desgaste desnecessário sobre o principal atleta nacional.

O excesso de faltas teve relação direta com Neymar segurar muito a bola. Sem toca-la com mais rapidez, ficou exposto a um rodízio dos jogadores suíços. Cada vez um cometia falta sobre ele.

Tite reclamou desse método. Mas, embora sua ponderação tenha sido ouvida na Fifa, o departamento de arbitragem da entidade não entendeu que houve qualquer erro do árbitro Carlos Ramos. Marcou todas as faltas, deu os amarelos. Não entendeu que houve nenhuma falta que merecesse um cartão vermelho. E não houve de fato.

Em diversos lances, Neymar ainda exigiu cartões com gestos, ou se contorceu no chão exagerando o efeito da falta sofrida. Isso não teve nenhum efeito sobre Carlos Ramons, nem impressiona o comando da arbitragem da Fifa. A avaliação final é de que ele foi protegido como deveria pelo árbitro.

Ora, Neymar pode no próximo jogo tentar tudo de novo ao tentar com outro juiz. Mas a realidade é que ficou claro o padrão adotado pela Fifa: não adianta que sofra várias faltas de nível médio para arrumar uma expulsão. Isso só ocorrerá com lances mais duros de fato.

O atacante brasileiro sempre foi um jogador inteligente. Cabe a ele interpretar essa realidade do jogo e se adaptar a ela. Ou seja, soltar mais a bola para evitar pancadas constantes, e deixar de lado as reclamações excessivas. Talvez caso se concentre mais em desenvolver o excepcional jogo de que é capaz em vez de se preocupar com o árbitro.


Neymar tentará penhorar receitas do Barça na Justiça por bônus
Comentários Comente

rodrigomattos

O atacante Neymar preferiu ação na Justiça comum da Espanha para cobrar valores contratuais do Barcelona por entender que é mais fácil bloquear rendas do clube do que na Fifa. A federação internacional encerrou a ação do jogador justamente porque não pode haver cobrança em dois âmbitos. Agora, o jogador pretende entrar com pedidos para reter receitas do time espanhol.

Após a rescisão do contrato entre as partes, e a transferência para o PSG, Barcelona e Neymar recorreram à Justiça e à Fifa com cobranças contra o outro lado. A discussão girava principalmente em torno de um bônus por renovação a que o jogador teria direito. O clube espanhol avalia que, como ele saiu, não tem porque receber, e ele quer ganhar os valores.

No total, a discussão envolve € 43 milhões em cobranças por parte de Neymar. Inicialmente, ele levou essa demanda à Fifa no ano passado. Como noticiou o UOL Esporte, no final de janeiro, ele entrou com um processo na Justiça Espanhola.

Foi a partir daí que a Fifa decidiu encerrar o processo já que seriam duas cobranças. Os advogados de Neymar sabiam disso. Mas a intenção deles é pedir a penhora de rendas do Barcelona na Justiça da Espanha.

O entendimento do estafe do jogador é de que o time espanhol tem muita liquidez em suas rendas, que têm múltiplas fontes como contratos de TV, patrocínio, etc. Assim, poderiam obter uma retenção de uma parte das receitas para que fosse feito o pagamento do bônus. O Barcelona tinha pago a primeira parcela, mas não a segunda, a qual os advogados acrescentaram a cobrança de juros e multa.

Ao mesmo tempo, o time espanhol cobra a devolução do dinheiro já recebido por Neymar por entender que ele descumpriu os termos do seu bônus ao deixar o clube. Afinal, a premiação era para renovação do acordo e ele saiu em seguida.


Globo se aproxima do PSG por presença de Neymar
Comentários Comente

rodrigomattos

Executivos da Globo iniciaram uma aproximação com a diretoria do Paris Saint-Germain por conta do interesse em Neymar. A emissora tem os direitos do Campeonato Francês que passou a exibir com frequência após a chegada do jogador ao time parisiense. E há interesse em renovar ao mesmo tempo em que se aumenta os laços com o clube.

No início da semana, o presidente do PSG, Nasser Al-Khelafi, afirmou ao “Daily Telegraph” que tinha falado com o dono da Globo sobre a audiência da apresentação de Neymar. O número de 85 milhões brasileiros assistindo ao evento, citado pelo executivo, soa exagerado e não pôde ser confirmado pelo blog.

De qualquer maneira, executivos da Globo viajaram a Paris para assistir a partidas e há conversas com a diretoria do PSG. A emissora poderia se beneficiar das imagens de Neymar e o clube da penetração no mercado brasileiro.

Não foi possível confirmar com o PSG as intenções de uma relação. Mas o clube já tem presença no Brasil com escolinhas de futebol no Rio de Janeiro e em São Paulo, por meio de franquias. O próprio Al-Khelafi citou o interesse brasileiro ao falar sobre o potencial de aumento de receitas do clube, necessário para o PSG se enquadrar nas regras de Fair Play Financeiro da UEFA.

O contrato da Globo pelo Francês vai até o meio de 2018, isto é, dura esta temporada. A negociação é com a Ligue 1, e não com o PSG. Provavelmente, haverá uma concorrência que deve ocorrer neste final do ano: há uma expectativa de que seja lançado após outubro. Outras emissoras de TV Fechada entendem que o campeonato se valorizou bastante com a presença de Neymar.

Ficou claro a atratividade quando a Globo exibiu imagens do jogo em flashes até em TV Aberta para mostrar Neymar ao público brasileiro. O resultado foi considerado satisfatório. Isso pode se repetir neste domingo em que o PSG atua contra o Lyon justamente no horário da rodada do Brasileiro.

 

 


PSG avisa ao Santos que pagará percentual por Neymar
Comentários Comente

rodrigomattos

A diretoria do Santos recebeu um aviso do Paris Saint-Germain de que será pago o percentual de solidariedade da transação da transferência de Neymar. A informação é do presidente santista Modesto Roma Jr. A quantia para o clube santista deve girar em torno de € 9 milhões (R$ 33 milhões) por ser 4% do total.

A operação de pagamento do PSG ao Barcelona foi feita inicialmente para não pagar o percentual que não foi retido sobre os € 222 milhões. Mas o Santos notificou o PSG do seu direito. E, mais decisivo, Neymar pediu ao seu novo clube que pagasse o percentual ao time onde se formou. Depois, veio a resposta do PSG ao Santos.

“Recebemos um e-mail (do PSG) pedindo desculpas pela demora na resposta, alegando que eles estavam com muita coisa para resolver, mas que estavam tomando providências para efetuar o pagamento”, contou o presidente do Santos, Modesto Roma Jr, que não soube precisar a data da resposta. “É um pessoal muito sério, que não está no futebol para brincadeiras.”

A expectativa santista é receber o valor ainda este mês. O prazo normal para pagamento seria em torno de um mês após o registro do jogador. Neymar foi registrado em 13 de agosto, na véspera de sua estreia. Outras fonte envolvida na operação confirma que o percentual será pago sem disputa.

Modesto Roma Jr. disse nunca ter duvidado que o Santos receberia esse dinheiro. “Nunca senti isso da parte de quem fazia a negociação.” Mas o próprio empresário Wagner Ribeiro afirmou à ESPN que inicialmente não seria pago o percentual, mas, depois, voltou atrás após pedido de Neymar.

Outros dois pagamentos esperados pelo Santos para este ano são por parte do Barcelona. Um deles é referente aos € 4,5 milhões (R$ 17 milhões) do amistoso não realizado com o time espanhol enquanto Neymar estava por lá. E tem direito a outros € 2 milhões (R$ 7,5 milhões) que o clube ganhou dos catalães em ação na Fifa: trata-se de dinheiro relativo ao bônus por desempenho de Neymar.

“Deve acontecer em breve”, afirmou Modesto Roma Jr.. “É o que diz o contrato que teria o jogo enquanto ele jogasse no Barcelona. Caso ele não jogasse mais, previa a taxa.”


Puxado por Neymar, mercado de transferências bate recorde: R$ 14,5 bi
Comentários Comente

rodrigomattos

As transferências internacionais de jogadores atingiram o valor recorde de US$ 4,670 (R$ 14,5 bilhões) na janela de verão na Europa de 2017. Os números foram apresentados pela primeira vez pela diretora da Fifa, Kimberly Morris, em seminário na Escócia, nesta quinta-feira. A saída de Neymar para o PSG puxou esse valor para cima representando 5,7% de todo o mercado.

A janela de transferências dos principais mercados europeus fechou essa semana com contratações em valores elevados. Além de Neymar, Dembelé, contratado pelo Barcelona, também gerou cifras acima de € 100 milhões.

O gráfico apontado por Kimberly Morris, que é diretora de transparência e compliance da Fifa, mostrou que houve um aumento de 24% no dinheiro gasto com contratações neste verão em relação à temporada de 2016. No ano passado, o total foi de US$ 3,760 bilhões, em torno de US$ 1 bilhão a menos do que na atual temporada. O blog confirmou que os números são já com a janela fechada na quarta-feira.

Em cinco anos, o crescimento foi de mais de 50%. Em 2013, o montante gasto com contratações internacionais foi de US$ 3 bilhões.

Para atingir o patamar recorde em 2017, foram necessárias 1.454 transferências internacionais. Na comparação com cinco anos atrás, foram 400 contratações de jogadores do exterior a mais.


Acionado na Espanha, Neymar processa Barça na Fifa por bônus
Comentários Comente

rodrigomattos

Com Bruno Thadeu

Os advogados do jogador Neymar já entraram com processo contra o Barcelona na Fifa para receber o pagamento de bônus pela assinatura de sua renovação, assinada antes do jogador se transferir para o PSG (Paris Saint-Germain). O valor é de 26 milhões de euros (R$ 93 milhões). A ação na federação internacional já tinha ocorrido antes de o clube espanhol anunciar que acionou o seu ex-jogador em tribunal do trabalho por danos morais.

A saída de Neymar do Barcelona ocorreu de forma conflituosa. O PSG pagou a multa em negociação que não tinha concordância do clube espanhol. Por isso, o blog apurou que o Barça não pagou nada do bônus de 26 milhões de euros da renovação do contrato feita no ano passado, alegando que ele não ficou mais de um ano.

Oficialmente, a assessoria de Neymar não confirma que há um processo na Fifa, apenas informou que foi “iniciado procedimento formal de cobrança”. O blog apurou que o processo na federação internacional já se iniciou.

Anteriormente, o stafe de Neymar já tinha sinalizado com um processo como informou o blog do Perrone. Mas, depois, desistiu por uma solução negociada. Mas a relação com o Barcelona se acirrou novamente e o jogador foi para a Fifa.

O processo do Barcelona na corte trabalhista da Espanha é relacionado ao bônus e cobra outros 8,5 milhões de euros em prejuízos.

Abaixo a nota da N & N, empresa do pai de Neymar que administra sua carreira:

“Cumpre-nos informar que o atleta Neymar Júnior e seus advogados já estão cientes do comunicado divulgado hoje – 22/08 – pelo F.C. Barcelona, acerca da ação promovida perante a Justiça Social de Barcelona.

Vale ressaltar que tal notícia foi recebida com surpresa, vez que o Atleta cumpriu integralmente o contrato então vigente, com o depósito integral dos valores livremente pactuados com o F.C. Barcelona visando sua liberação.

Não obstante, quando da regular citação e após a análise integral da demanda promovida pelo Clube, a defesa formal do Atleta será oportunamente apresentada. 

Já com relação aos bônus devidos pela assinatura do contrato de 2016, contratualmente ajustados e declaradamente não pagos pelo F.C. Barcelona, cumpre ainda informar que o Atleta já iniciou o procedimento formal de cobrança perante o foro competente.”


Transferência de Neymar supera total de vendas de times brasileiros em 2017
Comentários Comente

rodrigomattos

Maior transferência da história do futebol, a negociação de Neymar para o Paris Saint-Germain representa 7% de todo o dinheiro investido em contratações internacionais em 2017. Em comparação com o mercado brasileiro, a operação supera todas as vendas de jogadores do Brasil nesta temporada juntas. E por larga margem.

Nesta semana, a CBF divulgou o total de vendas de jogadores de clubes brasileiros para o exterior até 31 de julho. A renda total foi de R$ 612 milhões. O valor pago pelo PSG ao Barcelona foi de € 222 milhões (R$ 823 milhões). E não é que o Brasil seja um mercado insignificante: foi o terceiro que mais vendeu jogadores em quantidade.

Considerado o mundo inteiro, um relatório da Fifa sobre o seu sistema de transferência apontou que foi negociado um total de US$ 3,755 bilhões (R$ 11,7 bilhões) em jogadores até 31 de julho de 2017. Para chegar a esse número, foram necessárias 10.514 contratações com pagamento de multa pelo mundo.

A discrepância da transação do atacante da seleção também se observa em comparação com mercado francês, país do Paris Saint-Germain. Todos os clubes da Ligue 1 gastaram em contratações no mês de julho, principal período da janela de transferências, US$ 180 milhões (R$ 563 milhões), menos do que o valor usado com Neymar.

Sua negociação vai inclusive mudar o ranking de países que mais compram e vendem jogadores. Na lista dos que mais adquirem atletas, a França vai saltar para a segunda posição, ultrapassando Alemanha e Itália, atrás apenas dos ingleses. Na relação dos que mais negociam, a Espanha já era a líder e agora terá larga distância para o segundo colocado, Portugal.

De uma certa forma, uma negociação como a de Neymar sai do padrão habitual, mas tem relação com a inflação crescente do mercado. Houve um crescimento do investimento em torno de 20% em 2017 em relação ao ano anterior.