Blog do Rodrigo Mattos

Arquivo : Otero

Fifa decide que Galo estará vetado de contratar se não quitar dívida
Comentários Comente

rodrigomattos

Com Thiago Fernandes

O Comitê de status de jogadores da Fifa determinou que o Atlético-MG estará proibido de contratar jogadores na próxima janela de transferências se o clube não quitar uma dívida de R$ 2,7 milhões com o chileno Huachipato pelo jogador Otero. O time mineiro tem até 30 dias para pagar o débito e evitar a sanção. A diretoria atleticana ainda vai analisar e informou que pode recorrer.

O Atlético-MG contratou Otero em abril de 2017 com a promessa de pagar 800 mil euros. Desse total, apenas 200 mil euros forma quitados de fato, tendo o time mineiro atrasado as outras parcelas no total de 600 mil euros (R$ 2,7 milhões) que venceram em agosto de 2017, e em janeiro de 2018.

Em março, o Huachipato entrou com uma ação no comitê da Fifa para exigir o pagamento pelo jogador, pedindo punição para os mineiros. Detalhe: no final de maio, o Galo emprestou Otero para o Al Wehda por US$ 5 milhões (R$ 21 milhões), dinheiro que daria com folga para quitar a dívida. Mas não pagou.

Em 11 de junho, o Comitê de status de jogadores tomou uma decisão sobre o caso com a sanção para o Atlético-MG em caso de não falta de pagamento. Pelo prazo, o time mineiro tem até 11 de agosto para quitar a dívida, mais custos do processo de 20 mil francos suíços.

Na decisão, o Comitê da Fifa afirma que, em sua defesa, o Galo informou que reconhecia a dívida, mas que não havia motivo para impor sanções disciplinares ao clube. A alegação era que estava em contato com o credor e que havia o “compromisso incontestável de pagar a alta quantia assim que fosse possível”.

A Fifa não se convenceu e soltou a seguinte decisão:  “Assim levando em conta as considerações sob os números II/16 e II/17 abaixo, o escritório decide que no evento de que o reclamado (Atlético-MG) não pague a quantia devida ao reclamante (Huachipato) em 30 dias seguintes à notificação da presente decisão, uma sanção de registrar novos jogadores, nacionalmente ou internacionalmente, pela próxima janela de transferências inteira seguinte à notificação da presente decisão vai se tornar efetiva em cima do reclamado de acordo com os artigos 12bis, par4 dos regulamentos.”

Na prática, isso pode significar que o Atlético-MG já poderia ficar proibido de registrar jogadores na próxima janela de transferências brasileira que começa agora no dia 16 de julho e depois vai até o meio de agosto. A questão é que, neste prazo, ainda não terá acabado o prazo final para o pagamento do Galo. Ou seja, a punição pode ficar para a próxima janela da virada do ano.

Questionado pelo UOL Esporte, o Atlético-MG informou já ter sido notificado da decisão, mas ainda não tomou uma decisão do que fazer: “O caso está sob análise, tomaremos decisões cabíveis. Um valor não muito alto. Não é nada alarmante. Ainda podemos recorrer desta decisão. Estamos estudando a melhor solução para o caso”, advogado do Galo, Breno Tannuri.


Após Carille, Liga da Arábia Saudita paga dívida com Fla e mira atletas
Comentários Comente

rodrigomattos

O mercado brasileiro viu três negociação que aparentemente são aleatórias, mas que, na verdade, fazem parte de um mesmo movimento. O Corinthians perdeu seu técnico Fábio Carille, o Flamengo recebeu o valor de uma dívida após quatro anos de calote e o atleticano Otero foi contratado. Tudo isso faz parte de uma reestruturação do futebol da Arábia Saudita com o objetivo de virar uma potência no esporte, financeiramente e politicamente.

O futebol saudita tinha vários clubes com problemas financeiros, endividados, e por isso punidos pela Fifa. Por exemplo, o Al Nassr, que devia ao Flamengo, já estava fora da Champions da Ásia e com decisão de perda de pontos pendente que levaria ao rebaixamento. O Al Wehda também estava punido.

O príncipe Mohammed Bin Salman decidiu por uma reestruturação do futebol local com o objetivo de virar uma força política dentro do esporte e da Fifa, como mostrou o “New York Times”. Já houve um encontro com o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e uma articulação para formação de um grupo de países na Ásia dentro da Fifa.

Ao mesmo tempo, há uma possibilidade de entrar na Copa do Qatar-2022 caso o Mundial aumente de tamanho para 48 times. Em paralelo, há dinheiro da Arábia Saudita, junto ao japonês, na proposta de US$ 25 bilhões por um novo Mundial de Clubes e da Liga das Nações.

Localmente, o príncipe estabeleceu uma intervenção na liga nacional para resgatar clubes. Foi criado um fundo para cobrir todas as dívidas dos times. A informação é de que há dinheiro para cobrir 70% de todos os débitos.

Por isso, o Al Nassr procurou o Flamengo para pagar a dívida após quatro protelando. O dinheiro veio do fundo e foi negociado um acordo com pequeno desconto, com o clube carioca recebendo 5 milhões de euros líquido. Faltam apenas trâmites do Banco Central para o dinheiro entrar. Com o pagamento, o Al Nassr, um dos times sauditas mais populares, vai poder voltar à Champions League local.

No caso do Al Wedha, também houve injeção de dinheiro para dívida e para contratações. Por isso, o time levou Fábio Carille e agora fechou a contratação de Otero. Lembre-se que Carille, ao ser contratado, falou que havia um projeto grande da liga local. E, antes, outro time saudita quase o contratou.

Agentes brasileiros já foram procurados para identificarem outros atletas que possam ir para o país. A princípio, a procura é por jogadores de renome, tarimbados, que deem prestígio à liga saudita, não jovens jogadores como fazem os europeus.

A primeira parte do projeto saudita é pagar os débitos para limpar os nomes dos clubes e os devolverem as competições internacionais. Ainda é difícil saber qual o tamanho do investimento, e se vai se assemelhar ao chinês. Certo é que o príncipe decidiu botar a Arábia Saudita no mapa do futebol do novo para alavancar seus projetos relacionados à Fifa.


Clube chileno pede punição ao Atlético-MG na Fifa por dívida de Otero
Comentários Comente

rodrigomattos

O chileno Huachipato entrou com uma ação na Fifa de cobrança contra o Atlético-MG por uma dívida de € 600 mil (R$ 2,5 milhões) pela transferência do meia Otero. Há um pedido dos chilenos para que o Galo seja proibido de realizar transferências de jogadores em duas janelas. Agora, o time mineiro terá de se defender na Fifa.

Após um empréstimo inicial, o Galo exerceu os direitos de compra do meia Otero com a obrigação de pagar € 800 mil por 50% dos seus direitos econômicos. Isso foi fechado em março de 2017. O valor seria dividido em duas parcelas iguais em agosto de 2017 e janeiro de 2018.

A primeira parcela não foi quitada pelo Atlético-MG. A partir daí, o Huachipato passou a mandar seguidos e-mails de cobranças ao Galo até o final do ano. O time mineiro não dava um prazo para pagamento ou sequer respondia, segundo a ação do clube chileno.

Em janeiro, o Huachipato ameaçou de ir à Fifa, o que levou o Galo a pagar € 200 mil, um quarto da dívida. Depois, o Atlético-MG não fez mais pagamento e o clube chileno deu um ultimato, sem resultado.

Então, o Huachipato perdeu a paciência e entrou com a ação na Fifa em março de 2018, por meio do advogado chileno Javier Gasman. Cobrou o pagamento dos valores com juros de 5% e pena ao Atlético-MG. Baseou-se no artigo 12bis do Regulamento de Status e Transferências de Jogadores da Fifa. Pelo artigo, há previsão de punição para clubes que tenha dívidas vencidas com o outro time.

O Comitê de Status de Jogadores da Fifa notificou o Galo em 2018: exigiu que fizesse o pagamento do valor devido ao time chileno ou que apresentasse defesa até final de maio. Se pagar, encerra-se a ação. Caso seja apresentada a defesa, o caso será julgado no Comitê.

Procurado pelo blog, o Atlético-MG informou que “os casos FIFA estão sendo objeto de contestação jurídica e algumas composições em curso”.

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>