Blog do Rodrigo Mattos

Arquivo : PSG

Transferência de Neymar supera total de vendas de times brasileiros em 2017
Comentários Comente

rodrigomattos

Maior transferência da história do futebol, a negociação de Neymar para o Paris Saint-Germain representa 7% de todo o dinheiro investido em contratações internacionais em 2017. Em comparação com o mercado brasileiro, a operação supera todas as vendas de jogadores do Brasil nesta temporada juntas. E por larga margem.

Nesta semana, a CBF divulgou o total de vendas de jogadores de clubes brasileiros para o exterior até 31 de julho. A renda total foi de R$ 612 milhões. O valor pago pelo PSG ao Barcelona foi de € 222 milhões (R$ 823 milhões). E não é que o Brasil seja um mercado insignificante: foi o terceiro que mais vendeu jogadores em quantidade.

Considerado o mundo inteiro, um relatório da Fifa sobre o seu sistema de transferência apontou que foi negociado um total de US$ 3,755 bilhões (R$ 11,7 bilhões) em jogadores até 31 de julho de 2017. Para chegar a esse número, foram necessárias 10.514 contratações com pagamento de multa pelo mundo.

A discrepância da transação do atacante da seleção também se observa em comparação com mercado francês, país do Paris Saint-Germain. Todos os clubes da Ligue 1 gastaram em contratações no mês de julho, principal período da janela de transferências, US$ 180 milhões (R$ 563 milhões), menos do que o valor usado com Neymar.

Sua negociação vai inclusive mudar o ranking de países que mais compram e vendem jogadores. Na lista dos que mais adquirem atletas, a França vai saltar para a segunda posição, ultrapassando Alemanha e Itália, atrás apenas dos ingleses. Na relação dos que mais negociam, a Espanha já era a líder e agora terá larga distância para o segundo colocado, Portugal.

De uma certa forma, uma negociação como a de Neymar sai do padrão habitual, mas tem relação com a inflação crescente do mercado. Houve um crescimento do investimento em torno de 20% em 2017 em relação ao ano anterior.

 


Após pedido de Neymar, Santos entende que receberá do PSG sem disputa
Comentários Comente

rodrigomattos

Após pedido de Neymar, a diretoria do Santos entende que receberá o percentual da multa da transferência do Paris Saint-Germain sem precisar entrar em uma disputa na Fifa. O clube paulista já tinha notificado o time francês sobre seu direito como time formador, mas o clube europeu não reteve o percentual devido pelo mecanismo de solidariedade. Agora, o clube francês discute o assunto.

A operação foi feita por advogados com a tese de que não seria devida percentual de até 5% ao Santos porque houve pagamento da multa rescisória, não acordo de venda. Tanto que a multa de € 222 milhões foi paga integralmente ao Barcelona em cheque na sede do clube.

Mas, em reunião, Neymar pediu ao PSG que fosse pago o percentual ao Santos. Além disso, advogados indicam que era grande a chance de o Santos ganhar na Fifa o direito à parte da multa.

“Não é um problema. Essa questão é incontroversa. Eles têm um prazo para pagar. Nós notificamos o PSG na terça ou quarta”, afirmou o presidente santista, Modesto Roma Jr, que espera receber uma resposta nos próximos dias.

Questionado se o PSG teria de usar um dinheiro extra à transação, o dirigente do clube paulista afirmou que isso é uma questão do clube. “Não tem urgência.”

O sistema da Fifa que vai calcular quanto o Santos tem direito de acordo com o período em que ficou atrelado ao clube. A previsão é de que algo próximo de 4%, o que daria R$ 33 milhões.

Depois do pedido de Neymar, o PSG ainda não tem uma decisão sobre o pagamento ao Santos e como isso ocorreria, se seria um valor extra. Afinal, todo o dinheiro já está com o clube espanhol.


PSG não reteve percentual do Santos ao pagar multa de Neymar ao Barça
Comentários Comente

rodrigomattos

O Paris Saint-Germain não reteve o percentual do Santos como clube formador ao pagar a multa rescisória de 222 milhões de euros para o Barcelona. Pela norma da Fifa, o clube francês que deveria segurar até 5% para garantir o direito ao mecanismo de solidariedade.

Agora, há duas opções. A primeira é o clube parisiense pagar um valor extra para o Santos já que o agente de Neymar, Wagner Ribeiro, afirmou que o jogador pediu que seja dado o percentual ao seu time de origem. Ou restará ao Santos ir à federação internacional contra o PSG para exigir o pagamento de sua parte.

O blog tinha antecipado que a operação seria feita sem considerar o percentual do Santos. A tese dos advogados do PSG e do jogador é de que pagamento de multa sem acordo de venda não implica em dar parte ao time que formou o atleta.

E foi colocada em prática na quinta-feira. Os advogados de Neymar levaram um cheque de 222 milhões euros integrais para o Barcelona após a La Liga se recusar a receber o dinheiro. O clube espanhol não tem nenhuma obrigação de repassar o dinheiro ao Santos.

Pelos cálculos santistas, o time paulista teria direito a 4% da operação como formador, o que significaria um valor próximo de 9 milhões de euros (R$ 33,4 milhões). Se houver demanda do Santos na Fifa, o time francês pode incluir o Barcelona na ação para cobrar o dinheiro.

Advogados ouvidos pelo blog contaram que, em certos acordos, os clubes já estabelecem em contrato quem deveria pagar o direito de formador. Mas, como a transferência ocorreu de forma litigiosa, não há nenhum acerto entre os dois times.

Barcelona recebe pagamento da multa e anuncia rescisão com Neymar

 


Após pagarem multa, advogados de Neymar veem jogador liberado para PSG
Comentários Comente

rodrigomattos

Com a recusa da Liga Espanhola de receber a multa de Neymar, o estafe do jogador registrou o pagamento de € 222 milhões em cartório para liberar o jogador para o Paris Saint-Germain e depois levaram o cheque para o Barcelona. Com isso, eles veem a rescisão de contrato com o time espanhol executada, e o jogador liberado para assinar seu contrato com o time francês.

Nesta manhã de quinta-feira, a “La Liga” recusou o pagamento da multa pelo advogado de Neymar, Marcos Motta, alegando desrespeito aos termos do fair play financeiro (regras que estabelecem controle sobre contas do clube da UEFA). Mas a entidade espanhola não tem a prerrogativa de rechaçar o pagamento previsto em contrato, segundo a legislação de transferência internacional.

“Não tem autoridade para negar se está no contrato. A Liga já aceitou o pagamento de outras multas como de Javi Martinez pelo Bayern”, contou o advogado Eduardo Carlezzo, especialista em norma da Fifa. “A transferência tem que ser feita e depois a UEFA pode verificar o fair play.”

Com isso, o estafe do jogador registrou em cartório o pagamento da multa, o correspondente no Brasil ao pagamento em juízo. Em seguida, levou o cheque para o Barcelona com presença do notário do cartório.

A partir do pagamento, a transferência de Neymar terá de ser liberada pela federação espanhola de futebol. O Barcelona enviou documento para a UEFA com informações sobre o caso para procedimentos disciplinares, isto é, para eventual investigação em relação ao fair play financeiro.

Retificação: o post inicialmente registrou que o pagamento da multa seria feito em juízo. Na realidade, o pagamento foi registrado em cartório, correspondente ao juízo na Espanha, mas depois o cheque foi levado ao Barcelona.


Como PSG vai enquadrar conta de quase R$ 2 bi de Neymar no fair play
Comentários Comente

rodrigomattos

Com Pedro Lopes, em São Paulo

Um dos entraves sobre a transferência de Neymar é como o Paris Saint-Germain pagará a multa ao Barcelona sem ferir as regras de controle financeiro da UEFA. Para encaixar  a conta, o clube tem estratégia de amortizar os custos pelos próximos anos e há a possibilidade de negociação de jogadores. Até porque a conta pode chegar a quase R$ 2 bilhões considerados multa, salário, comissões e impostos.

Já de cara o estafe do jogador enfrentou um obstáculo porque a federação espanhola não aceitou o pagamento da multa nesta quinta-feira justamente alegando que poderia quebrar regras de fair play. A expectativa dos assessores do jogador era de fechar a operação com o PSG nesta quinta, e agora terá de falar com o Barcelona. Há uma previsão de uma reunião já em Paris para últimos acertos.

Primeiro, explica-se: o sistema de licenciamento da UEFA e fair play financeiro estabelece que um clube não pode ter déficit maior do que € 30 milhões (R$ 110 milhões) em uma temporada e esse valor tem que ser coberto pelo dono do clube. O PSG tem renda anual em torno de € 500 milhões (cerca de R$ 1,8 bilhão), já foi punido pela entidade europeia por descumprimentos à regra e teve de se enquadrar nos últimos anos.

Por isso, havia uma preocupação desde o início da operação em como contratar Neymar cumprindo as regras. Até porque a operação, somados todos os custos, se aproxima de € 500 milhões. Vamos destrincha-la com base em relatos de pessoas envolvidas na operação.

A multa rescisória que terá de ser paga integralmente é de € 222 milhões (cerca de R$ 819 milhões). O valor variava de acordo com o país e haverá pagamento de impostos que podem atingir € 70 milhões (R$ 258 milhões). Há ainda a previsão de comissão de 10% para empresários envolvidos na operação.

A previsão é de que a multa seja paga pelo próprio PSG ou pelo jogador Neymar. Mas, de qualquer maneira, a operação será feita nas formas regulares previstas pela norma da Fifa, sem manobras fora do padrão.

Por fim, os salários acertos para Neymar com bônus são de € 40 milhões por ano (com impostos), por cinco anos, uma soma que é de € 200 milhões. Ou seja, seriam € 514 milhões (R$ 1,9 bilhão). Esse é um montante aproximado. Quem está no meio da operação não tem ainda certeza do valor final, pois há discussões que podem causa variações como o bônus que o jogadora teria no Barcelona.

A ideia é que todos esses custos sejam amortizados pelo período de contrato. Isso significaria que pesaria na conta do PSG cerca de € 100 milhões por ano, no caso de um contrato de cinco anos. Ou seja, haveria um comprometimento de pouco menos de um quinto da receita do clube.

Há consciência entre os envolvidos na transação de que a UEFA vai investigar a negociação. A própria entidade informou que vai realizar uma averiguação. Mas há o entendimento de, com a estratégia montada, a operação vai passar nos trâmites de controle.

Até porque a UEFA considera na sua avaliação apenas os aspectos contábeis, isto é, as demonstrações financeiras de cada ano, além de fazer ajustes nos patrocínios quando são irreais.

 


Negociação de Neymar para PSG é montada para não pagar percentual ao Santos
Comentários Comente

rodrigomattos

A negociação de saída de Neymar do Barcelona para o Paris Saint-Germain está sendo estruturada para que não seja pago o percentual ao Santos como time formador. A tese dos clubes envolvidos no negócio é que pagamento de multa não é venda e portanto não obriga o repasse ao percentual de solidariedade. O Santos entende que tem o direito por precedentes na Fifa.

A multa de Neymar é de € 222 milhões (R$ 823,6 milhões) e terá de ser paga integralmente para sua saída como deixou claro o Barcelona. Pela legislação de status e transferência de atletas, o clube formador tem direito a até 5% do total de acordo com um cálculo por idade em que ficou no time.

O Santos ficaria com até  € 11 milhões (R$ 40,8 milhões), o valor de uma negociação grande. Esse valor pode ser um pouco menor porque o cálculo é o tempo que ele esteve sob contrato com o Santos de 12 anos a 23 anos.

Só que tanto o Barcelona quanto o PSG têm o entendimento de que quando a multa rescisória é paga não se caracteriza como venda. Por isso, a avaliação é de que não é necessário dar uma parte para Santos. Foi isso o conversado nas mesas de negociação até agora. A operação deve ser fechada quinta-feira ou sexta-feira.

A transferência deve ser feita com o pagamento da multa pelo próprio Neymar, ou por um terceiro interessado ligado ao PSG (a empresa Qatar Investments Authority, dona do clube). Há a possibilidade de o próprio clube francês pagar o valor. De qualquer forma, a transação será declarada em seus informes financeiros.

Internamente, o Santos se apega a decisões recentes da Fifa sobre pagamento do mecanismo de solidariedade para receber a grana. Diz que clubes já tiveram direito de receber o percentual após o pagamento da multa.

O artigo 21 do estatuto de transferência diz: “Se um profissional é transferido antes da expiração de seu contrato, qualquer clube que contribui para sua educação e treino tem direito a receber um percentual de compensação paro ao clube formador”. Não especifica sobre se é o valor da multa rescisória inteira.

Dois advogados especialistas em norma da Fifa ouvidos pelo blog entendem que o Santos tem boa chance de vencer uma demanda. O advogado Eduardo Carlezzo diz que a questão é controversa porque há brecha na legislação da federação internacional sobre pagamento da multa, mas há jurisprudência em favor do time brasileiro.

“Em teoria, se parte do princípio de que transferência é acordo entre os clubes para a venda. Mas há jurisprudência em favor do Santos. Já identifiquei dois casos. Um clube não pagou (percentual) e a Câmara (da Fifa) analisou e o formador recebeu”, contou Carlezzo. “Esse assunto fatalmente chegará ao CAS (tribunal esportivo).”

Já o advogado André Sica, que também atua em questões sobre transferências de jogador, considera certo o direito santista ao percentual da transação. “Não tenho a menor dúvida de que é devido ao Santos. Discussão é quase inócua.”

Mas, no momento, os clubes europeus não pretendem pagar o Santos porque esse é um entendimento que se disseminou na Europa, de que com pagamento de multa não há solidariedade. Como há uma controvérsia, o clube brasileiro poderá recorrer à própria Fifa para analisar se tem o direito.

A relação entre Barcelona e Santos é conturbada. O time paulista já entrou com uma ação na Fifa contra o espanhol para exigir mais dinheiro da transferência de Neymar realizada em 2011. E a atual diretoria santista entende que o clube não recebeu tudo a que tinha direito, enquanto os espanhóis avaliam que atuaram de forma correta ao dar um pagamento maior à empresa do pai de Neymar.

A N & N recebeu € 40 milhões na operação, e o Santos ficou com cerca de € 20 milhões, incluindo transferência, bônus e direitos de preferência. A Fifa, recentemente, deu razão ao jogador em demandas do time santista, mas obrigou o time espanhol a pagar € 2 milhões ao clube paulista que estavam retidos.

Colaborou Samir Carvalho, de Santos


Barça vê Neymar ainda indeciso e prevê novela mais longa
Comentários Comente

rodrigomattos

Apesar da ofensiva dos últimos dias para convence-lo a ficar, dirigentes do Barcelona reconhecem que Neymar continua indeciso se permanece ou se transfere para o Paris Saint-Germain. Por isso, já admite-se no clube que a novela se prolonge até a próxima semana. Enquanto, o clube catalão está bem otimista em relação à contratação de Philippe Coutinho, do Liverpool.

No momento, apesar do esforço de companheiros de times e de cartolas, o clube catalão reconhece que ainda não convenceu Neymar a ficar no clube. A proposta do Paris Saint-Germain, incluindo salários de € 40 milhões, balançou de fato o jogador.

O clube espanhol aposta em seus colegas de clubes como Piqué e na atuação de cartolas para tentar convencê-lo a ficar. Há ainda o representante do clube André Cury, um dos que fechou sua contratação, e agora conversa de perto com ele e seu estafe. Outra arma do clube catalão é desconfiar da capacidade dos franceses de pagar € 222 milhões de multa sem ferir o fair play financeiro.

Mas o Barcelona ainda vê o jogador sem responder nem que sim, nem não.  Enquanto o clube aceita a continuidade da novela, o PSG tenta pressionar por uma resposta rápida como informou o L’Equipe.

Mais um argumento barcelonista para manter Neymar seria fechar a contratação de Phillippe Coutinho. A suas negociações não têm relação, mas acertar com o brasileiros mostraria a força do time para a próxima temporada. Não é uma questão de amizade entre atletas, ou comunidade brasileiros, apenas convencer com um time mais forte.

O clube catalão entende que Coutinho já deixou claro que quer se transferir para a Espanha e aceitou as condições propostas. Em um mercado inflacionado, o time espanhol tende a aceitar pagar um valor de € 100 milhões por sua transferência do Liverpoll.

O empecilho para o negócio se concretizar é que o time inglês não tem interesse em perder Coutinho, seu principal jogador e por isso não quer negocia-lo. A aposta do Barcelona é que a vontade do jogador vai prevalecer e por isso há otimismo em relação a sua chegada ao time.

Neymar no PSG? Veja detalhes da negociação


 


Barça acena com aumento em 2018 a Neymar caso recuse PSG
Comentários Comente

rodrigomattos

Entre os argumentos para impedir a saída para o Paris Saint-Germain, a diretoria do Barcelona acena com futuro aumento para Neymar permitindo que ele ganhasse algo similar ao que levaria na França. Há uma ofensiva do time catalão para conseguir convencer Neymar pai e o jogador que está balançado pela proposta parisiense. O centro dos argumentos barcelonistas não é dinheiro, mas querem mostrar que o jogador não vai perder se ficar.

O time francês acena com pagar a multa rescisória de 222 milhões de euros e salários na casa dos 40 milhões de euros, como mostrou o blog do Marcel Rizzo. Isso representaria um aumento de mais de 100% nos vencimentos do atleta que ganha 15 milhões de euros após a renovação em 2016.

No entendimento de dirigentes do Barcelona, Neymar pode ganhar um valor próximo a esse no Barcelona. Não há previsão de aumento agora neste ano já que o contrato foi renovado em outubro do ano passado. Mas o clube acena com um incremento em outra renovação em 2018 quando faltariam três anos para o final do acordo. Nesta época, seu salário poderia saltar para acima de 30 milhões de euros.

Outro argumento do Barcelona, já tornado público, é que o PSG não teria condições de bancar a transferência sob o ponto de vista do fair play financeiro da Uefa. Só a multa rescisória representaria 42% da receita do clube francês. Com impostos e salários, a estimativa é de que o valor pode se aproximar de 300 milhões de euros.

No clube espanhol, há aposta de que o time francês poderia voltar a ser punido pela Uefa como ocorreu em 2014 por conta de descumprir as regras da entidade. Assim, poderia ficar até fora da Liga dos Campeões. Essa tese, óbvio, depende de como o PSG vai arrumar suas contas.

Essa não é a única frente, já que o Barcelona entende que não é uma questão de dinheiro. Um dos principais motivos para ver Neymar balançar pelo PSG foram os contatos dos jogadores brasileiros do time francês. Contra esse lobby, o Barcelona aposta em convencer o atacante brasileiro que em Barcelona tem muito mais visibilidade do que terá em Paris por conta da diferença das duas ligas. Outro argumento é de que se reduzirão as suas chances de ganhar títulos grandes como a Liga dos Campeões.

Todos esses argumentos têm sido colocados na mesa com o pai de Neymar em reuniões e jantares frequentes. O Barcelona percebeu o perigo de perder o jogador e tem agido para impedir.


PSG terá de gastar quase metade de sua renda se tirar Neymar do Barça
Comentários Comente

rodrigomattos

O Paris Saint-German terá de gastar quase metade de sua receita anual se conseguir fechar uma transferência de Neymar do Barcelona. O investimento francês em contratações aumentou porque essa será a primeira janela de transferências após dois anos de punição da UEFA que restringia seus gastos. Isso para botar limite no dinheiro dos sheiks do Qatar que são donos do clube.

Primeiro, ressalte-se que não existe nenhuma negociação fechada entre Neymar e PSG, segundo indica o staff do jogador. Há uma proposta do clube francês como anteriormente.

Em seu último relatório financeiro, de 2015/2016, o PSG declarou € 520 milhões (R$ 1,9 bilhão) de receita, sendo o sexto time mais rico, atrás do Barcelona. A multa de Neymar tem variação para cada país por conta de impostos, mas seu montante gira em torno de € 222 milhões (R$ 814 milhões). O Barcelona não admite reduzi-la. Ou seja, isso representaria 42% da receita anual do clube.

Uma operação desse montante do PSG teria de ser analisada sob o ponto de vista das rígidas regras de fair play financeiro da UEFA, ainda que o clube não esteja sob mais sob punição. Isso porque continua a valer para o times francês as regras gerais de limitação de gastos da UEFA.

A entidade permite déficit de até € 5 milhões por ano. Esse valor pode ser expandido para € 30 milhões no caso do dono do clube bancar o buraco. Patrocínios inflados para injetar dinheiro, como os de empresas do Qatar, são investigados e ajustados ao valor real.

Em maio 2014, após seguidos déficits, a UEFA fez um acordo com o PSG para não puni-lo apesar dos descumprimentos das regras. Pelo compromisso, o déficit de 2015 seria limitado ao valor de € 30 milhões e clube teria de fechar equilibrado em 2016. Não haveria aumento de salários até o ano passado, e foram impostas restrições com gastos de contratações.

Para 2017, o clube francês está livre dessas restrições mais duras, mas tem que continuar a respeitar as regras gerais da UEFA para não ser punido. O L’Equipe publicou que o clube teria € 300 milhões para contratações no ano. Mas a conta tem que fechar em relação às despesas, inclusive em relação a salários, sendo que foram oferecidos até € 40 milhões anuais para Neymar.

Pelo valor envolvido, que seria o maior da história, uma possível contratação do atacante brasileiro terá de ser bem estruturada dentro das contas do PSG para não haver nova punição. Pelo dinheiro que entra em caixa, o time francês tem menos dinheiro do que o Barcelona, que é o segundo da lista dos mais ricos.

 


Dono do PSG vai visitar Chapecoense com intermediação da CBF
Comentários Comente

rodrigomattos

O xeque do Qatar Al Thani um dos donos do Paris Saint Germain, visitará a Chapecoense nesta sábado com intermediação da CBF. É ele o xeque que ligou oferecendo ajuda para o time catarinense, como noticiou o blog da Gabriela Moreira, da ESPN.

O xeque Hamad Bin Khalifa Al Thani é presidente da Federação do Qatar de Futebol. Em 2011, a Qatar Sports comprou 70% das ações do PSG que, desde então, tem feito contratações milionárias no futebol. Al Thani, juntamente com sua família, são acionistas da Qatar Sports, um fundo criado pelo Estado para fazer investimentos fora do país. Mas Tamim Bin Hamad Al Thani, e atual emir do Qatar, é o mais atuante na gestão do PSG.

O presidente da federação do Qatar foi bastante atuante na campanha vitoriosa do país a se tornar sede da Copa-2022. Ele estará na CBF nesta sexta-feira, juntamente com o embaixador do Qatar. Depois, acompanhado por dirigentes da confederação, irá para Chapecó.

Segundo a ESPN, foi oferecida ajuda para o time catarinense. Não há confirmação desta informação na CBF. Houve uma notícia de que o PSG ofereceu ajuda à Chapecoense, mas isso foi desmentido pelo clube.