Blog do Rodrigo Mattos

Arquivo : TV Globo

Globo terá impacto em seus ganhos caso não recupere seleção para 2018
Comentários Comente

rodrigomattos

Sem direitos sobre três amistosos da seleção em 2017, a Globo terá um impacto financeiro restrito para este ano pela falta das partidas. Mas, caso não consiga um novo contrato para 2018, a emissora passará a sofrer um duro golpe na sua arrecadação. Explica-se: os jogos do time nacional são um dos produtos mais valorizados dentro do pacote anual negociado pela Globo a seus anunciantes.

A emissora carioca vende a exposição em um grupo de 95 partidas no ano que inclui Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores, Estaduais, Sul-Americana e jogos da seleção. Por isso, ganhará R$ 1,8 bilhão neste ano. As partidas da seleção têm peso para completar o número total e principalmente por renderam altas audiências, tendo importância estratégica para a emissora.

Uma análise do calendário da CBF mostra que jogos do Brasileiro, Copa do Brasil e Estaduais garantem 79 datas para a Globo. Há várias datas coincidentes com a Libertadores que, em geral, tem preferência sobre a Copa do Brasil. Há mais nove jogos das competições sul-americanas que não são junto com os campeonatos do Brasil, mas não há garantia de presença de brasileiros. De qualquer maneira, os 88 jogos seriam insuficientes.

Para 2017, a Globo já tem as eliminatórias da Copa, isto é, a presença da seleção nos jogos mais importantes dentro do seu pacote. Por isso, a emissora não quis pagar o preço pedido pela CBF que queria em jogos avulsos valores similares aos do pacote. Até porque seu pacote publicitário já está vendido e empresa será pouco afetada nesta ano.

Para 2018, no entanto, a Globo deixaria de ter até 10 datas nobres em ano da seleção na Copa do Mundo. A emissora entende que até poderia substituir as datas por outros campeonatos em um rearranjo. Mas não seriam jogos do mesmo valor, o que afetaria o total pedido às empresas. Ou seja, a emissora teria de renegociar o pacote pelo qual tem incrementado valores.

Por isso, a Globo já se prepara para entrar forte na concorrência por bid que a CBF prepara para venda de seus jogos no ciclo de 2018 a 2022. Outras redes de televisão também avaliam que um pacote completo será bem mais valorizado porque poderá ser comercializado a longo prazo.

Questionada pelo blog, a Globo informou que não faria comentários sobre impacto financeiro de não ter renovado o contrato da seleção.


CBF e Globo discutem mudar a cara do Brasileiro na televisão
Comentários Comente

rodrigomattos

A CBF e a Globo discutem a criação de um padrão único nas transmissões televisivas do Campeonato Brasileiro, repetindo o modelo bem-sucedido da Premier League, Liga dos Campeões e Copa do Mundo. Isso se daria por meio de uma fonte só de imagens com gráficos padrão para cada competição. Assim, o Nacional teria uma cara na televisão.

O diretor de competições da CBF, Manoel Flores, revelou a ideia de criar um feed único para o Brasileiro durante palestra em seminário da entidade nesta semana. A Globo, que vê com simpatia o projeto, confirmou que essa ideia está em debate e provavelmente será implementada no futuro, sem data ainda.

No momento, a confederação e a Globo já chegaram a um consenso sobre padronizar as imagens da Copa do Brasil e da Série B do Brasileiro. Isso porque houve renovações dos dois contratos recentemente e o tema entrou em pauta. Daí, surgiu a conversa sobre a Série A

O modelo discutido não é igual ao da Copa do Mundo. Na competição da Fifa, a HBS faz todas as filmagens e já coloca gráficos, placar, escalação e logos nas imagens. Depois, manda para as emissoras detentoras de direitos. No caso do Brasil, a Globo continuaria a ser responsável pelas filmagens, por meio de suas produtoras, já que tem esse direito por contratos assinados.

A questão é o tratamento das imagens recebidas. A ideia é criar padrões pelos quais o telespectador imediatamente reconheça que aquele é um jogo do Brasileiro. Por exemplo, o logo da competição entra logo de cara na transmissão. Isso é importante para fixar a marca do campeonato.

Para aplicar a ideia, há duas discussões: custos de produção e propriedade intelectual. As criações de logos e grafismos exclusivos para cada competições envolvem dinheiro e por isso é preciso definir quem pagará. E marcas implicam em pagamentos por direitos de uso, e saber quem será o seu dono.


Globo fez proposta muito maior do que Turner por Carioca, diz Eurico
Comentários Comente

rodrigomattos

A Globo fez uma proposta maior do que o Esporte Interativo pelo direitos do Estadual do Rio de Janeiro a partir de 2017. É o que diz o presidente do Vasco, Eurico Miranda. O canal da Turner tinha oferecido R$ 100 milhões pelos direitos de transmissão de TV Aberta, Fechada e jogos Pay-Per-View.

“A proposta da Globo é bem maior, bem maior”, disse o dirigente vascaíno de forma enfática na CBF, sem revelar valores.

Isso aumenta as chances de a emissora global ficar com o Carioca. Afinal, dirigentes da Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) e de outros clubes já indicavam que a Globo tinha preferência para a renovação do contrato.

O blog não conseguiu apurar os valores da proposta da Globo. O atual valor do contrato do Carioca é de R$ 60 milhões, quase R$ 100 milhões a menos do que o Paulista. A renovação servirá para aproximar os valores das duas competições.


TV paga mais ao Fla do que ao Corinthians em 2013
Comentários Comente

rodrigomattos

O Flamengo foi o clube que mais recebeu dinheiro da televisão em 2013, superando o Corinthians. É a primeira vez que isso ocorre após três anos. O blog comparou os ganhos com diretos de transmissão dos três times de maior torcida do país, incluindo o São Paulo, nos últimos cinco anos. A principal fonte é a TV Globo, que tem contrato sobre todos os principais campeonatos do país.

Os balanço rubro-negro registrou um ganho de R$ 110,9 milhões com televisão no ano passado. Foi um valor R$ 8 milhões maior do que o marcado pelo Corinthians em seu relatório financeiro. O clube são-paulino ficou bem abaixo com R$ 72,3 milhões.

A comparação com o ano de 2012 é brutal. O clube do Parque São Jorge tinha levado R$ 153,8 milhões naquela temporada, enquanto a equipe carioca tinha obtido pouco mais do que neste ano, R$ 114 milhões.

“A nossa diferença foi por causa das luvas (pela assinatura do contrato) que tínhamos recebido em 2012. Não sei o que aconteceu com o Flamengo. Pode ser que seja o efeito de eles terem ido para a final da Copa do Brasil”, afirmou o diretor de finanças do Corinthians, Raul Corrêa e Silva.

Dirigentes do Flamengo informaram que não houve nenhum aumento nas receitas de televisão no ano passado. A avaliação é que o clube rubro-negro tem obtido crescimento de rendas em vários campos, mas principalmente com patrocínio e bilheteria.

Os contratos dos clubes carioca e paulista com a TV Globo têm as mesmas condições. A diferença de rendimento costuma ser determinada pelo pay-per-view. Dependendo de quantos torcedores de cada time se inscreveram no pacote aumenta o ganho com este item.

De fato, cotas da Copa do Brasil são pagas de acordo com classificação dos times: o Flamengo foi campeão, e o Corinthians eliminado nas quartas-de-final. As cotas da Libertadores, que os corintianos tiveram direito, são contabilizadas como prêmio.

A última vez que os rubro-negros superaram os corintianos em receitas de televisão foi em 2009. Naquele ano, o clube ganhou R$ 44,3 milhões, contra R$ 29 milhões do time paulistano. O São Paulo estava próximos aos rivais com R$ 37,1 milhões. Mas, nos últimos três anos, a equipe de SP sempre arrecadou pelo menos R$ 10 milhões a mais do que a do Rio.

Em relação a todas as receitas, o Corinthians acabou o ano à frente do rival carioca. Mas, se for excluída a negociação de jogadores, o Flamengo superaria o time paulista.

Discriminados os valores, o clube de Parque São Jorge ganhou mais do que o adversário em patrocínios, mas perdeu em receita de bilheteria. Veja no quadro abaixo o comparativo de renda:

Total das receitas

Corinthians R$ 316 milhões

Flamengo R$ 273 milhões

Renda de TV

Corinthians R$ 102,5 milhões

Flamengo R$ 110,9 milhões

Receita de patrocínio

Corinthians R$ 60 milhões

Flamengo R$ 53,3 milhões

Receita de bilheteria

Corinthians R$ 32,1 milhões

Flamengo R$ 48,3 milhões

Receita com venda de jogadores

Corinthians R$ 69,1 milhões

Flamengo 0

( Para seguir o blog no Twitter: @_rodrigomattos_)


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>