PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

Contrato de Neymar com Real foi feito em avião e nunca assinado em 2011

rodrigomattos

08/04/2017 04h00

A disputa acirrada de Real Madrid, Barcelona, Chelsea e Bayern Munique pela contratação de Neymar enquanto ele estava no Santos é relatada em detalhes no novo livro "Football's Secret Trade" (Os segredos das transferências de futebol), de Tariq Panja e Alex Duff. O blog publica aqui trechos e algumas informações do livro, que será lançado nesta segunda-feira, pela editora Bloomberg Press, na Europa.

Há dois capítulos sobre a transferência de Neymar. Algumas das histórias são bem conhecidas pelo público brasileiro como a tentativa frustrada do Chelsea de contrata-lo em 2010 em reunião em Nova York, a investida forte do Real Madrid e o sucesso obtido pelo Barcelona ao assinar o acordo em novembro de 2011 (muito fruto da vontade do próprio Neymar).

Mas alguns detalhes novos dessas negociações são revelados como os bastidores da investida do Real Madrid sobre o atacante agora barcelonista. O livro nos conta como o time madrilenho tentou seduzir todos os lados, e esteve tão perto de assinar com o jogador a ponto de um contrato ter sido rascunhado para fechar o acordo em 2011. Aí vai o trecho do livro que conta essa história:

"O Real Madrid estava ciente da série de patrocinadores que Neymar estava atraindo. O clube espanhol tinha a política de pegar 50% dos contratos dos jogadores que assinava, e por anos perseguiu jogadores de alto padrão como David Beckham para aumentar sua renda. José Angelo Sanchez, o diretor geral do clube que tinha assinado com Beckham em 2003, teve um encontro com o advogado do Sonda, Eduardo Carlezzo, em Madrid no final de 2011. Mais ou menos na mesma época, o Real Madrid fez uma oferta por Neymar de € 45 milhões que foi rejeitada, e o advogado representando a cadeira de supermercado não tinha poder de ajudar para que se concretizasse. "Eu falei para o Real Madrid que estávamos interessados em que o jogador fosse para o Real Madrid também, mas a influência do Sonda no Santos era zero", disse Carlezzo. A relanção do Santos com o Sonda se deteriorou porque o clube não gostava mais da ideia de empresas de fora terem percentuais sobre os direitos econômicos de Neymar, e tinha "começado uma guerra" com Sonda, disse Carlezzo."

"O Real Madrid tentou em outro front. O presidente Florentino Pérez chamou o o presidente do Santos enquanto ele estava levando dois de seus seis filhos mais velhos para uma viagem à França. Pérez ofereceu um voo para Luiz Alvaro ir a Madrid almoçar. 'Eu imagino que você queira almoçar comigo para falarmos dos direitos de Neymar?", perguntou Luis Álvaro, lembrando a conversa. "Eu disse 'não perca seu tempo e combustível de avião porque nós não temos interesse em vender'. O que ele fez? Ele entrou em um avião e voou para Paris e almoçou comigo'. Em meio a cordeiro e batata gratinada no Guy Savoy, um dos mais exclusivos restaurantes de Paris, Álvaro disse para Pérez o que dissera para o Chelsea: sem venda."

"Mesmo assim, o Real Madrid entendia que estava fazendo progresso com o pai de Neymar. Motta (Marcos, advogado de Neymar) até rascunhou um contrato entre o clube e Neymar. O contrato era para ser totalmente secreto, mas com pouco tempo antes de um encontro crucial, Motta completou seu trabalho em um voo de uma hora da TAM entre Rio de Janeiro e São Paulo. 'Eu disse para o meu assistente Stefano, vamos olhar o contrato no avião", disse Motta, um extrovertido cujas camisas sociais têm suas iniciais. 'Mas nós não vamos levar a primeira página do contrato porque você nunca sabe quem está sentado do seu lado"'

"Na manhã seguinte às 5 horas da manhã eu recebo uma chamada no meu telefone celular de um amigo perguntando para mim se eu tinha visto a edição da manhã do jornal "O Globo". Nas páginas do jornal diário do Rio de Janeiro, o colunista Anselmo Gois noticiou: "Marcos Motta advogado de Neymar estava em um voo da TAM na manhã revisando um contrato entre o Real Madrid e o garoto" Motta pensou para lembrar quem poderia estar olhando sobre seus ombros no avião. "Tinha um cara fingindo que estava dormindo, um tipo de cara famoso na TV e talvez ele tenha visto" disse Motta. "Eu estava preocupado com as pessoas atrás de mim, não com este cara que parecia estar dormindo". No final, o rascunho do contrato não foi necessário"

Além da história do Real, o livro conta que o Chelsea insistiu na tentativa de contratar Neymar usando um diretor chamado Micheal Emenalo que prometia que o jogador iria se transformar em um astro do time, a ponto de compara-lo com Michael Jordan no Chicago Bulls. Já o Bayern de Munique tentou por meio de um agente chamado Giovanni Branchini.

Ao final, um trecho mostra o momento decisivo para a escolha de Neymar pelo Barcelona:

"Quanto mais ele se encontrava com os poderosos perseguidores de seu filho, mais dinheiro o pai de Neymar percebia que ele poderia tirar deles. Ele decidiu que qualquer time que assinasse com o seu filho teria de pagar adiantado a multa de € 10 milhões, um arranjo que não era conhecido no mundo do futebol. E então, com o complemento do negócio, seu filho teria direito a outros € 30 milhões. Com esse plano, se uma das partes desistisse, teria de pagar a penalidade de € 40 milhões. Motta disse para Neymar pai que era uma jogada de mestre. ' Eu disse: parabéns você conseguiu. Não é uma questão de dinheiro agora. Você pode conseguir  o dinheiro que você quer do Chelsea, Real Madrid, Barcelona e Bayern. É o momento de você olhar seu filho nos olhos e dizer onde ele quer jogar, o que vai fazê-lo feliz?"

Como se sabe, Neymar decidiu pelo Barcelona e recebeu os € 10 milhões antecipados seis dias apenas antes da final com o Santos pelo Mundial, como mostrou esse blog em 2014. A diretoria santista o tinha autorizado a negociar com qualquer clube. Depois disso, um sócio do Barcelona começou a questionar negócios feitos pelo ex-presidente Sandro Rosell, entre eles a transação de Neymar.

Isso resultou em processos criminais na Espanha em torno da transação ainda em aberto que investigam as condutas de Neymar, seu pai, o Barcelona e seus dirigentes. O clube catalão já teve que pagar milhões de euros por uma multa do fisco espanhol. Ainda não há uma conclusão para o caso.

PS Recomendo bastante a leitura do livro "Football's secret trade How the Player Transfer Market was Infiltrated" não só pela história detalhada de Neymar como outras envolvendo os negócios de transferências de jogadores. Tariq Panja é um dos repórteres de maior credibilidade no jornalismo esportivo europeu e conhece bem o Brasil porque morou aqui. É também amigo deste blogueiro. Infelizmente, o livro não tem edição brasileira ainda. A tradução é por conta e risco do blog.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.