PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Globo fica sem Fla no pay-per-view por quase cinco meses e avalia impacto

rodrigomattos

11/12/2019 04h00

Com o encerramento de Flamengo x Santos, a Globo transmitiu o seu último jogo do time rubro-negro no pay-per-view garantido até pelo menos o final de abril. Isso porque a agremiação rubro-negra e a emissora, no momento, estão longe de um acordo sobre o Estadual. A Globo e o Flamengo avaliam o impacto deste cenário atualmente, entre prejuízos e efeitos financeiros.

Como mostrado na última pesquisa, a torcida do Flamengo representa 18% dos assinantes do ppv, isto é, praticamente um quinto do total. Esse público ficaria sem jogo do seu time no pacote no período em que costuma haver uma saída em massa de assinantes.

Do ponto de vista da Globo, é óbvio que isso tem impacto no seu produto, embora seja difícil mensurar. A emissora terá, sim, jogos do time até mais relevantes da Libertadores, mas na TV Aberta. E vinha usando Corinthians e Flamengo para atrair assinantes, priorizando sua presença no ppv em detrimento das outras plataformas.

O cenário tem pontos similares ao do entrave na negociação com o Palmeiras pelos direitos do Brasileiro quando a emissora perdia um ativo importante, mas gastava menos. Sem o clube rubro-negro no Estadual, a Globo economiza R$ 15 milhões que pagaria ao time e outros R$ 15 milhões que serão reduzidos do contrato total do Estadual. Há uma cláusula que prevê que, se qualquer time grande não fechar com a emissora para a competição, haverá um desconto. Assim, a emissora passaria a pagar R$ 90 milhões pela competição em vez de R$ 120 milhões.

Além disso, há uma avaliação de que o torcedor compra mais o ppv pelos jogos do Brasileiro do que pelo Estadual, sendo este um extra. Na TV Aberta, a emissora não perderá dinheiro – mesmo eventualmente ficando sem uma final de campeonato – já que os pacotes publicitários já foram vendidos.

Do lado do Flamengo, a aposta é que vale a pena para o clube forçar a mão na negociação levando em conta que a renda garantida do Estadual – R$ 15 milhões – representaria 1,7% da receita de R$ 900 milhões prevista para o clube em 2019. É provável que a renda rubro-negra caia no próximo ano, mas ainda assim, o Estadual representaria no máximo 5% do total da arrecadação do clube.

O clube não teria como transmitir os jogos porque os direitos dos outros times estarão vendidos para a Globo. Em compensação, poderia turbinar a bilheteria do clube que não é tão forte no Estadual quanto no Brasileiro.Outro aspecto é que, sem contrato com a TV, o Flamengo não será obrigado a escalar titulares no Estadual. Por enquanto, é certo apenas que o time principal não jogará as primeiras rodadas porque estará voltando de férias.

Internamente, o clube considera estar em uma posição mais forte para negociar do que em 2016 quando levou o acerto com a Globo até quase o início do Estadual. Até porque o ppv já teve perda de arrecadação neste ano, e a saída do Flamengo poderia representar novo impacto. Das duas partes, a expectativa é de que, se houver um acordo, este aconteça em janeiro poucos dias antes da competição.

Sobre o Autor

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de “O Estado de S. Paulo” em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

Sobre o Blog

O objetivo desse blog é buscar informações exclusivas sobre clubes de futebol, Copa do Mundo e Olimpíada. Assim, pretende-se traçar um painel para além da história oficial de como é dirigido o esporte no Brasil e no mundo. Também se procurará trazer a esse espaço um olhar peculiar sobre personagens esportivas nacionais.

Blog do Rodrigo Mattos